Os bancários entraram em greve nesta terça-feira, 6, em todos os estados do país, após quase dois meses de negociações fracassadas entre as representações de trabalhadores e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), braço sindical da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcellos, apenas 30% da categoria que trabalha na compensação bancária permanecerá trabalhando.

Caixas eletrônicos funcionarão enquanto estiverem abastecidos e outros serviços serão interrompidos. A Bahia, conforme o sindicalista, possui cerca de mil agências e 20 mil trabalhadores (aposentados e ativos).

Na Bahia, a paralisação foi aprovada na última quinta, em assembleia no Ginásio Esportivo dos Bancários, nos Aflitos. Nesta segunda, 5, no mesmo local, uma reunião esvaziada – com cerca de 60 trabalhadores – organizou a atuação de sindicalistas no fechamento de agências nos municípios e outras ações de greve.

Negociação

Entre as reivindicações da categoria estão o aumento salarial de 16%, melhorias na participação em lucros e resultados, ampliação de contratações, fim das demissões e combate ao assédio moral. Em seis rodadas de negociação realizadas até agora, a Fenaban ofereceu 5,5% de reajuste salarial aos trabalhadores e não fez contraproposta nos outros itens.

Para Augusto Vasconcellos, a proposição “está aquém” da realidade financeira dos patrões. “Os bancos fazem parte do setor mais lucrativo da economia, não há crise para eles, porque os impostos estão lá em cima”, argumentou ele, lembrando do lucro de R$ 60 bilhões das empresas bancárias no ano passado.

De acordo com o sindicalista, o cenário político e a falta de avanços nas negociações com as representações patronais desenham uma greve extensa. A conquista mínima para o fim da paralisação, conforme apuração da  equipe de A TARDE, seria um aumento salarial real (acima da inflação).

A categoria faz passeata nesta quarta, 7, 16h, na avenida Sete de Setembro (Mercês), com concentração e saída da sede do sindicato. Logo depois, às 18h, uma assembleia avaliará o movimento e traçará estratégias, no Ginásio Esportivo dos Bancários.

Apesar do esvaziamento da reunião desta segunda, sindicalistas afirmam que a categoria está mobilizada.

“Essa foi uma assembleia organizativa. Nós estamos mobilizados e essa mobilização vai crescendo durante a greve, vamos ganhando adesão da categoria e construindo uma paralisação forte”, defendeu Augusto Vasconcellos. (A Tarde)


Nem a proximidade da alta estação é suficiente para reverter o cenário de dificuldades no setor hoteleiro. O momento compromete investimentos dos mais diversos portes e foi responsável, por exemplo, pela perda de mais de 100 empregos no Hotel Pestana Salvador – maior da capital baiana, com aproximadamente 430 leitos – como adiantou com exclusividade, a coluna Farol Econômico, do Jornal O Correio. A reportagem esteve no local e apurou que existem 12 andares desativados, de acordo com um funcionário, que pediu para não ser identificado. A situação enfrentada pelo setor hoteleiro é explicada pelo aumento no número de leitos após a Copa do Mundo e se agravou com a redução no fluxo de turistas após o fechamento do Centro de Convenções da Bahia para reformas. Segundo o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (Febha), Silvio Pessoa, 18,4 mil dos 40 mil leitos dos hotéis na capital baiana estão ociosos. “Até agosto, acumulamos 54% de ocupação. Ou seja, 46% dos quartos nos 404 hotéis estão vazios”, diz. De acordo com ele, o ponto de equilíbrio para qualquer hotel pagar todas as contas é ter uma ocupação média de 60%. “O Pestana, assim como os outros 28 grandes hotéis da cidade, não está atingindo esse ponto de equilíbrio. A situação é crítica para todos, estamos escolhendo as contas que vamos pagar. Se a situação não melhorar, mais hotéis vão ter que demitir ou até fechar”, revela ele, acrescentando que isto resultaria em uma situação pior do que a do ano passado. Em todo o ano de 2014, o setor demitiu 8.061 pessoas com mais de um ano de trabalho na capital baiana, segundo o Sindicato dos Empregados em Hotéis, Bares e Similiares (Sindhotéis).


Um acidente ocorrido na madrugada desta terça-feira (6) deixou quatro policiais militares feridos depois que uma viatura da CIPE/Cerrado saiu da pista da BR-242 e capotou. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os policiais feridos foram encaminhados para hospitais, mas o estado de saúde deles ainda é desconhecido. A ocorrência foi registrada por volta das 2h10 da madrugada, no km-814 da rodovia, entre as cidades de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, região oeste da Bahia. Segundo a PRF, informações iniciais colhidas no local apontam que uma roda do veículo se desprendeu. No entanto, uma perícia ainda irá apurar as causas do acidente. A previsão é de que o veículo seja retirado do local do acidente na manhã desta terça-feira. *Informações do G1


Aconteceu neste domingo (04), eleição do Conselho Tutelar de Itacaré para escolher os 05 novos Conselheiros Tutelares de Itacaré para um mandato de 04 anos, começou tumultuada e com muitas reclamações. Eleitores formaram uma enorme fila, com participação acima do esperado pela Comissão Eleitoral.

As reclamações dos eleitores foram justamente por conta das filas longas e da demora na votação, fazendo com que alguns desistissem. As eleições aconteceram no Centro Educacional de Itacaré, e na Escola Paulo Souto em Taboquinhas. Mas no geral, o pleito foi tranquilo e ao final da apuração houve muitas comemorações por parte dos eleitos, familiares e amigos.

Proclamados os eleitos, a multidão que aguardava o resultado da apuração saiu às ruas, em especial o grupo de apoio ao candidato mais votado Sander Palafoz , que logo improvisaram uma carreata que tomou conta da cidade.

Foram eleitos:

1º Sander Palafoz Costa – 238 votos

2º Thiago Silva Reis Gomes – 228 votos

3º Caio Oliveira Marinho de Souza – 138 votos

4º Sales Barbosa dos Santos Silva – 133 votos

5º Laura Rodrigues do Nascimento – 127 votos


Bancários de todo o país iniciam greve na próxima terça-feira (6), informou o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). A categoria ainda fará assembleias na próxima segunda-feira (5), para organizar o movimento. Ontem à noite, foram feitas assembleias em várias cidades do país: a greve foi confirmada. Em Brasília e em Porto Alegre, os bancários decidiram pela greve na quarta-feira (30).

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ofereceu 5,5% de reajuste para salários e vales. A proposta inclui abono de R$ 2,5 mil, não incorporado ao salário. Os bancários querem reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real), entre outras reivindicações.
Em nota, a Fenaban informou que a proposta dos bancos tem o objetivo de compensar perdas da inflação passada. “No momento delicado da economia, a proposta apresentada visa a compensar perdas decorrentes da inflação passada, sem contaminar os índices futuros, o que iria contra todos os esforços do governo para reequilibrar os fundamentos macroeconômicos, possibilitando a retomada do crescimento econômico”, diz o documento.
Para a federação, o reajuste de 5,5% sobre os salários de 31 de agosto de 2015 vai, no mínimo, recompor o poder de compra dos trabalhadores dos últimos 12 meses. “Os trabalhadores terão ainda um abono de R$ 2,5 mil, a ser distribuído igualmente para toda a categoria dos bancários, que abrange cerca de 500 mil trabalhadores – esse valor não será incorporado aos salários – para compensar as perdas passadas. Seu impacto será maior nos salários mais baixos, indenizando integralmente as perdas passadas decorrentes da inflação de até 60% dos bancários”, acrescenta.
Com a correção, o salário de ingresso de um caixa, após 90 dias no emprego, passa de R$ 2.426,76 para R$ 2.560,23, diz a Fenaban. “É importante destacar que os bancários receberão participação de 5% a 15% nos lucros dos bancos, maior quanto menor for o salário e maior seja a lucratividade da instituição”, acrescenta.
A Fenaban diz ainda que a fórmula de cálculo dessa distribuição é idêntica à adotada anteriormente com aprovação dos sindicatos. “Quando sua aplicação resultar numa soma inferior a 5% do lucro do banco, ela prevê mecanismos para que o valor pago ao funcionário seja reajustado de forma a alcançar 5% do lucro ou 2,2 salários do bancário, até o limite de R$ 22.884,87”, explica. *Correio da Bahia


Nesta edição, os portões dos locais de prova ficarão abertos de 12 às 13h e o Exame terá início às 13h30min, pontualmente, seguindo o horário oficial de Brasília/DF.

Até a edição de 2014, as provas tinham início marcado para as 13h, mesmo instante em que os portões eram fechados. A partir de agora, prezando pela segurança do Enem 2015 e maior comodidade aos participantes, haverá um intervalo de meia hora entre o fechamento dos portões e o início de aplicação das provas. Durante este tempo, os fiscais poderão efetuar a revista dos candidatos com maior cuidado e os participantes poderão se acomodar com mais comodidade.

Outra mudança que será implantada nesta edição do Exame é a não distribuição do cartão de inscrição do Enem 2015. O documento que era entregue a todos os participantes via Correios ficará disponível para consulta apenas via internet, na página do candidato no portal do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), acessível em http://enem.inep.gov.br/participante/.

A apresentação do cartão nos dias de prova não é obrigatória. Entretanto, o documento possui informações valiosas: data, local e horário das provas do Enem 2015, opção de língua estrangeira, número de inscrição, eventual necessidade de atendimento diferenciado e possível escolha por obtenção do certificado de conclusão do ensino médio.

Deste modo, é essencial que todos os participantes acessem a página do Inep nas semanas anteriores ao Exame para consultar o local de prova do Enem 2015, disponível no cartão de confirmação de inscrição. Aqueles que acharem conveniente terá a opção de salvar e imprimir o documento.

O tempo de duração das provas permanecerá o mesmo: 04h30min no primeiro e 05h30min no segundo dia. Ao todo, serão aplicadas 180 questões de quatro áreas de conhecimento. No sábado haverá as provas de Ciências da Natureza e Ciências Humanas. No domingo, além da redação do Enem 2015, serão aplicadas as provas de Linguagens e Matemática. (Ilhéus 24hrs)


Metade da população das grandes cidades brasileiras acredita que “bandido bom é bandido morto”. A constatação aparece em pesquisa Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ONG que reúne especialistas em violência urbana do país. O levantamento foi realizado no final de julho e fará parte do 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que será divulgado nesta semana. O instituto ouviu 1.307 pessoas em 84 cidades com mais de 100 mil habitantes. Para a pergunta se bandido bom é bandido morto, 50% disseram concordar, 45% discordaram e o restante não soube responder ou não concorda nem discorda. Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, essa divisão no país é um bom sinal. Esse resultado da pesquisa reforça a sensação de especialistas da área de que a sociedade é tolerante com a matança de suspeitos por policiais. *Informações da Folha.