Yagê Araújo, surfista de Itacaré, vai representar o sul da Bahia na disputa do WQS 3000, na Costa Rica. Yagê já está em Esterillos, Puntarenas, próximo onde a disputa será realizada a partir desta quarta-feira, dia 5 e até o próximo domingo (9).

Esta será uma das últimas etapas de QS este ano. Yagê está na disputa buscando melhorar o seu posicionamento no ranking 2016, com vistas às participações mais efetivas no tour de acesso para o ano que vem.

No início desta semana, Yagê usou as redes sociais para demonstrar otimismo quanto à sua participação no evento. “Estou muito feliz de está aqui. Vamos treinar e coloca os equipamentos no pé pra ficar tudo certo quando começar o WQS. Vamos com tudo”, observou o itacareense, demonstrando todo o entusiasmo que lhe é peculiar.

O Essential Costa Rica Pro Open será realizado no belo pico de Esterillos Este, em Parrita, simultaneamente nas categorias Masculino e Feminino. Esta etapa marca o retorno de uma competição da WSL ao litoral costarriquenho após 14 anos fora do país.

Com 3000 mil pontos em disputa para os vencedores, e numa altura em que os circuitos se aproximam da fase de decisões, a etapa da Costa Rica deverá contar com a presença de alguns dos surfistas do top 100 mundial e também das principais estrelas do surf da América do Norte, Central e do Sul. No total 144 surfistas masculinos e 64 mulheres estão inscritos no evento.

Esta será a quarta participação de Yagê em etapas do WQS em 2016. Este ano o itacareense já participou do QS em Mar Del Plata (Argentina), do QS na Praia do Forte (BA), e do QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour, no Chile. O primeiro, Yagê terminou em quinto lugar e no QS do Forte passou a primeira bateria e ficou na segunda fase, mesma colocação obtida no Chile.

ETAPAS RESTANTES CONFIRMADAS DO QS EM 2016

– Esterrilos, Parrita, Costa Rica – 3.000 pontos
– Okuragahama, Hyuga, Japão – 1.000 pontos
– Sunset Beach, Oahu, Havaí – 3.000 pontos
– Joaquina, Florianópolis, Brasil – 6.000 pontos
– Haleiwa, Oahu, Havaí (Tríplice Coroa) – 10.000 pontos
– Jinzun Harbor, Taitung, Taiwan – 1.500 pontos
– Sunset Beach, Oahu, Havaí (Tríplice Coroa) – 10.000 pontos

Fonte: Surf 73 // Foto: South to South)


Um corpo de um homem foi encontrado na manhã desta quarta-feira (05) dentro de um riacho na entrada do bairro da Passagem, na região conhecida como “Ganga”. O corpo estava parte fora da água, porém com a cabeça dentro do rio, e em avançado estado de decomposição.

Uma equipe da Perícia Criminal foi acionada para realizar procedimentos no local onde o corpo foi encontrado. Uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) de Ilhéus (BA) foi acionada para fazer a remoção do corpo. Fonte: Itacaré Urgente.

img_20161005_062102327


A candidata a vereadora em Guajará-Mirim, interior de Rondônia, Edilamar Quintão Pimentel (PTN-RO) descobriu, na última hora, que fez toda a sua campanha com o número errado. A postulante digitou seu número de campanha na urna e verificou que não estava registrado. O número correto da candidata era 19.789, porém os santinhos – com erro de impressão – informavam o número 19.159.

Segundo o 1º Cartório Eleitoral, uma audiência pública foi realizada logo após o deferimento das candidaturas de Guajará-Mirim para resolver possíveis erros e alterações, mas a candidata não compareceu para verificar seu número. Edilamar, que fez toda a sua campanha com um número errado, não conseguirá receber nem o próprio voto. (Verdinho)


Cansado por ter que se dividir durante 45 dias entre a carreira musical e a campanha política, ele está em casa se recuperando, segundo a esposa do cantor, Maria Quitéria.
“Ele teve até febre, por causa do emocional. Ele está em casa desde ontem, comemorou só com a família, ainda não fez festa, nem nada”, disse. Mesmo com a rotina cansativa, ela afirma que a campanha foi tranquila.
Segundo ela, o cantor e agora vereador eleito, não pretende abandonar a carreira artística, mesmo durante o mandato, que vai até 2020. “Meu marido não tem como parar de cantar, não tem como ele abandonar a música, o que ele quer são outras coisas”, completou. (Bocão)

Vanderlei Luxemburgo foi demitido em junho do Tianjin Quanjin, time da segunda divisão chinesa. Sem conseguir brigar pelo acesso à elite local, acabou substituído por Fabio Cannavaro. Em participação no programa Bem, Amigos, o técnico brasileiro deu sua opinião sobre o desempenho ruim e culpou problemas internos com um empresário local, ex-jogador do clube, como responsáveis pela falta de resultados positivos.

“Deu errado logo de cara. Os chineses que me contrataram aqui são pessoas sérias, me levaram para lá e mandaram eu montar toda a estrutura, com construção de estádio, centro de treinamentos. Só que quando eu cheguei lá, encontrei um grupo liderado por um ex-jogador, que era um grupo que se envolvia com outros empresários. E eu no meio do caminho com toda minha comissão técnica. Ele com muito mais força, porque esse jogador tinha acabado de parar de jogar e (estava) envolvido com algumas coisas ruins do futebol chinês. Até apareceu aqui no Brasil algumas coisas de apostas”, afirmou o treinador.

Segundo Luxemburgo, o ex-jogador em questão “queria ter feito as contratações” do Tianjin. “Ele começou a me boicotar”, acusou o treinador.

Resultados arranjados?

Luxemburgo não mediu palavras na hora de criticar a corrupção constatada por ele no futebol chinês. Segundo o treinador brasileiro, a segunda divisão do Campeonato Chinês estava definida “para entregar o jogo”, com a conivência dos dirigentes.

“A conversa lá é paralela. Estou dizendo o que o meu presidente (Shu Yuhui) falou para mim. No segundo turno, nós tínhamos que avançar porque ‘os jogos estão todos prontos'”, explicou o treinador, atualmente sem clube.

“Nos anos anteriores, um monte de gente foi presa (na China). Para o futebol chinês avançar, precisa parar com a corrupção dentro do próprio futebol chinês”, declarou também. Eu queria voltar à china, porque acho que a China é o futuro do futebol. Chegar lá e pegar um time na primeira divisão é fácil, mas eu queria marcar um espaço dentro do futebol da China”, acrescentou. (Uol Esportes)


Os bancários decidiram em assembleia nesta segunda-feira, 3, que a categoria continua em greve. A paralisação foi iniciada no dia 6 de setembro. De acordo com o sindicato, a categoria não abre mão de aumento real porque os bancos formam o setor mais lucrativo da economia nacional e, mesmo com a crise financeira internacional, têm alcançado lucros cada mais expressivos.Ainda com informações do sindicato, os cinco maiores bancos em operação no país obtiveram lucro líquido de R$ 29,7 bilhões no primeiro semestre deste ano. Na última negociação, os banqueiros propuseram acordo com validade de dois anos. Para 2016, reajuste de 7% para salários e demais verbas e abono de R$ 3,5 mil. Em 2017, seria a recomposição da inflação mais aumento real de 0,5%. A proposta foi rejeitada. Os bancários querem reajuste salarial de 14,62% (reposição da inflação mais 5% de aumento real), PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de três salários mais R$ 8.317,90, ampliação nas contratações, segurança e melhores condições de trabalho. (Giro em Ipiaú)