Preso por tentar furtar 2 kg de carne de um mercado para ter o que comer e ser liberado após uma policial pagar a fiança, o eletricista desempregado Mário Ferreira Lima se disse arrependido do crime e classificou a própria situação como “desespero”. “A pior que coisa existe na vida da gente é não poder alimentar o próprio filho”, disse. Ele foi preso nesta quarta-feira (13) em um mercado de Santa Maria, no Distrito Federal, e sensibilizou os policiais civis, que decidiram dar um final diferente à história. Além de pagar a fiança, eles fizeram compras para Lima, que contou em depoimento ter praticado o crime para alimentar o filho de 12 anos. O homem cria o menino sozinho desde que a mulher se mudou para a casa de um filho mais velho, de outro casamento, para se recuperar das sequelas de um acidente. O desempregado contou que se confundiu com as datas e achou que já tivesse caído na conta os R$ 70 que recebe mensalmente por meio do Programa Bolsa Família. Ele foi então ao mercado comprar banana, pão e carne. Na hora de passar as compras no caixa, o homem descobriu que o valor que tinha levado – R$ 7 – era insuficiente e tentou esconder a carne na bolsa. Os 2 kg do alimento custavam R$ 26. A ação foi flagrada pelas câmeras de segurança, e o dono do estabelecimento não aceitou as desculpas do ladrão e acionou a polícia.

Homem preso por roubar carne para o filho recebe ofertas de emprego
Homem estava há dois dias sem se alimentar. Foto:TV Globo

O agente da Polícia Civil Ricardo Machado conta que o desempregado desmaiou pouco depois de chegar à delegacia, quando ouviu que ficaria preso. Questionado se estava bem, o homem respondeu que estava sem comer havia dois dias, porque deixou o filho consumir sozinho o pão que restava em casa, e que estava preocupado porque não havia alguém para cuidar do menino. Machado terminou de ouvir a história do suspeito – que narrou ter perdido o emprego com carteira assinada por ter precisado acompanhar a mulher nos oito meses em que ela ficou internada em coma no hospital – e procurou os colegas. “Dei a ele R$ 30 para pagar a carne e depois fui contar aos colegas o que estava acontecendo no plantão. Ficou todo mundo comovido, e logo um tirou R$ 5, outro R$ 10, outro R$ 20 do bolso”, lembra. A ocorrência foi registrada na delegacia do Gama Oeste, e a fiança foi estipulada em R$ 270. Sensibilizada, uma agente pagou sozinha o valor, enquanto os colegas arrecadavam mais dinheiro para comprar mantimentos para o ladrão. (G1)


Sucesso no funk, a música ‘Parara Tibum’, cantada por MC Tati Zaqui, não pode mais ser tocada em emissoras de TV, eventos, vídeos e rádios de todo o Brasil. Segundo informações do colunista Léo Dias, do jornal ‘O Dia’, o pedido partiu da Peermusic do Brasil Edições Musicais Ltda, detentora do original ‘Heigh Ho’, com autoria de Larry Morey e Frank Churchill.

De acordo com a publicação, a detentora da canção entrou em contato com a funkeira, que acatou o pedido para não executar mais a música. O clipe da versão feita pela cantora já foi retirado do ‘YouTube’. Segundo a assessora da editora musical, um dos motivos para a não liberação do hit foi a erotização da letra com conteúdo sexual.

Ainda segundo o colunista, recentemente, a TV Globo usou a música no programa ‘Esquenta’ e logo depois foi notificada. Procurada pela coluna, a assessoria da MC Tati Zaqui não quis se pronunciar sobre o assunto.


O meia do Vasco Bernardo registrou boletim de ocorrência nesta quinta-feira (15), no Rio de Janeiro, após o vazamento de um vídeo de sexo ao lado de uma ex-namorada. Segundo o jornal Lance, as imagens em que o jogador aparece ao lado de uma loira tatuada se espalhou na internet.

Segundo o jornal, o meia pediu à polícia para descobrir quem vazou as imagens. A assessoria do atleta confirmou que é Bernardo quem aparece no vídeo de sexo. Bernardo é reserva com o técnico Doriva, mas tem entrado frequentemente durante as partidas do Vasco.

A divulgação na internet de conteúdos sem a autorização dos autores pode ter punição de três meses a um ano de prisão.

Em 2013, Bernardo se envolveu em outro caso polêmico envolvendo mulheres. Ele foi sequestrado na Favela da Maré, no Rio, acusado de manter um caso com a mulher do traficante Marcelo das Dores, o Menor P. Ele teria sido sequestrado e espancado por comparsas do traficante, porém, como nunca prestou queixa, a investigação não continuou. (Correio24hrs).

vazamento de um vídeo de sexo ao lado de uma ex-namorada.


A agência da Caixa da Econômica Federal de Gandu foi a mais nova vítima dos criminosos. De acordo com as primeiras informações colhidas pela reportagem do Giro, a quadrilha chegou ao local em quatro veículos na madrugada desta sexta-feira (15). Três dos carros teriam seguido para o banco e o outro ficou no semáforo com o apoio de dois motociclistas dando cobertura a ação criminosa. Após explodir os caixas eletrônicos da agência o bando fugiu pela BR-101, em direção à Santo Antônio de Jesus. Dois dos veículos foram abandonados. Uma Guarnição da Cipe Cacaueira estava chegando em Gandu no momento do roubo e chegou a trocar tiros com a quadrilha. A polícia militar realiza buscas na região.

Essa semana a Secretaria de Segurança Pública do Estado anunciou que desde o início do ano já prendeu 25 pessoas acusadas de envolvimento com quadrilhas de assaltos a bancos. O número de agências roubadas já se aproxima de 90, só este ano. (Giro em Ipiaú)


Uma baiana morreu durante um acidente na BA-093, em Mata de São João, cidade do litoral norte da Bahia. Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o veículo capotou enquanto trafegava na altura do quilômetro 32 da rodovia, por volta das 13h30 desta quinta-feira (14). No carro estavam empresária Alessandra Moreira e seu filho, uma criança de cinco anos.Alessandra morreu no local e seu filho foi encaminhado pela equipe de resgate da concessionária Bahia Norte, que administra a via, para o hospital municipal Dr. Eurico Gular de Freitas, em Mata de São João. O estado de saúde do menino, ainda de acordo com a PRE, é considerado grave.

Segundo informações do site Mais Região, Alessandra ficou conhecida na cidade após ganhar o prêmio do Avião do Faustão, em julho de 2011. Ela era ainda proprietária do mercado Popular, localizado no bairro do Caboré, em Mata de São João. *Informações do Correio24h.

RTEmagicC_alessandra-pmpmpm.jpg


Cerca de 12 homens fortemente armados explodiram dois caixas eletrônicos de uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF), no município de Gandu, na madrugada desta sexta-feira (15). Após a ação, os assaltantes também invadiram uma delicatessen e uma loja de roupas, localizadas nas proximidades da agência bancária. De acordo com a 60ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Gandu), os bandidos chegaram ao município em cinco veículos – quatro carros e um moto -, por volta das 3h. A PM conta que, na ação, os assaltantes arrombaram o portão de acesso à agência e explodiram dois caixas eletrônicos. Após as explosões, a PM detalha que guarnições foram encaminhadas para o local e atiraram uma granada do lado de fora da agência, a fim de assustar os criminosos e evitar o crime. Com a chegada da polícia, os bandidos deixaram a unidade, mas entraram em conflito com as guarnições da 60ª CIPM durante a fuga. Houve troca de tiros. Durante a fuga, os criminosos ainda invadiram uma delicatessen, de onde levaram chocolates, sorvetes e um micro-ondas. Em seguida, a polícia conta que os assaltantes invadiram uma loja de roupas, de onde levaram algumas peças.

carro_usado_em Assalto em gadu

Na tentativa de fuga, a PM afirma que um dos carros usados pelos bandidos colidiu contra um poste. No veículo, estavam os itens roubados da delicatessen e da loja de roupas. O carro foi abandonado pelos criminosos e os itens roubados recuperados. Ainda de acordo com a PM, cerca de 30 minutos após a ação, um veículo de pequeno porte foi visto na saída da cidade com características suspeitas. Após abordagem, os ocupantes iniciaram fuga e, após uma curva, acabaram caindo em uma ribanceira. Mesmo após o acidente, os suspeitos abandonaram o carro e fugiram por dentro de uma área de vegetação. Até a publicação desta reportagem, nenhum dos criminosos envolvidos na ação tinha sido preso. Segundo a PM, a gerência do banco informou que os bandidos não conseguiram levar dinheiro dos caixas eletrônicos explodidos. *Informações do G1.


O relator da comissão especial que discute a reforma política na Câmara dos Deputados, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), afirmou que o texto a ser apresentado à comissão prevê o fim da reeleição para o Executivo (prefeito, governador e presidente) e mandatos de cinco anos para todos os eleitos, incluindo senadores, deputados federais, estaduais e vereadores. Castro deu as informações na noite desta segunda-feira (11) em entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura. Como o texto que será apresentado na comissão trata-se de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), depois de ser aprovado no colegiado, precisará da aprovação de ao menos 3/5 do plenário da Câmara (308 deputados) e 3/5 do plenário do Senado (49 senadores). Segundo ele, o relatório propõe eleições simultâneas para todos os cargos a cada cinco anos – atualmente, há eleições a cada dois anos (para prefeitos e vereadores; e para presidente, governadores, senadores e deputados).Para se permitir a coincidência, haveria uma etapa de transição pela qual, na próxima eleição, prefeitos e vereadores teriam um mandato de somente dois anos. Esta eleição seria, no entanto, segundo Castro, a última em que os eleitos poderiam ser reeleitos, podendo permanecer ate sete anos no poder.

O projeto modifica também a escolha dos suplentes de senador que passam a ser os três mais votados, além eleitos em cada unidade da Federação. Com o fim da reeleição para os cargos do Executivo, o substitutivo cria um mandato tampão de 2 anos para os eleitos em 2016, de forma a possibilitar a coincidência das eleições em 2018, com mandato de cinco anos para todos os eleitos. Na transição, os eleitos para os cargos no Executivo em 2016 poderão ser reeleitos em 2018, quando passa o viger o fim da reeleição.

Coligações
A proposta do relator, articulada, segundo Castro, a partir de discussões com os membros da comissão, prevê ainda o fim das coligações proporcionais, pela qual partidos se unem para disputar eleições para deputado e vereador.

O sistema atual permite a união de partidos nessas eleições. Na hora de votar, o eleitor pode escolher um candidato (voto nominal) ou apenas o partido (voto de legenda). Quanto mais votos uma coligação obtiver (somando nominais e na legenda), mais vagas terá no Legislativo. Na prática, coligações com candidatos capazes de obter grandes votações (os chamados “puxadores de votos”) e/ou muitos votos na legenda conseguem eleger também candidatos pouco votados. Por isso, é comum ver um candidato ser eleito mesmo obtendo menos votos que outro, de outra coligação.

A proposta também deverá ter um modelo de escolha de deputados e vereados que ficou conhecido como distritão, em que são eleitos os candidatos mais votados da cidade ou do estado. O modelo se contrapõe ao atual sistema proporcional com lista aberta, em que o número de votos do partido ou coligação define que sigla tem direito de ocupar as vagas em disputa. Com base nessa conta, o candidato mais bem colocado de cada partido entra.

O modelo do distritão é defendido pelo presidente nacional do PMDB e vice-presidente da República, Michel Temer. Castro, no entanto, defende o voto distrital misto, que combina o sistema distrital com o proporcional. “A noção do distritão é um voo cego, um salto no escuro, embora esteja discordando aqui do meu presidente do PMDB”, declarou. (G1)