Revoltados com o descaso do poder público municipal, em relação ao abandono da orla norte de Ilhéus, moradores do bairro São Domingos e São Miguel interditaram o início da rodovia Ilhéus-Itacaré, na tarde desta quarta-feira (29).

No local, o aspecto de degradação chama a atenção, com o mar avançando, ameaçando derrubar postes e a poucos metros de chegar na pista.

Os participantes do protesto queimaram pneus para impedir a passagem dos veículos.


Com o objetivo de promover a organização do setor turístico em Itacaré, agências de turismo, unidades hoteleiras e restaurantes passam por um processo de regularização que termina nesta sexta-feira (31).

A ação, que integra o projeto Trade Legal, idealizado pela prefeitura do município com a coordenação da Setur-BA (Secretaria de Turismo do Estado), visa sensibilizar as empresas de turismo quanto à importância do cadastro no Controle de Qualidade dos Meios de Hospedagem, em parceria com o destino.

Três etapas norteiam a iniciativa: manter a comunicação com os prestadores de serviços sobre as visitas, vistoria nos empreendimentos feita por técnicos da Setur, e regularização dos estabelecimentos. Durante os encontros, os técnicos identificam o perfil de atuação e os padrões oferecidos.

Ao final do projeto as empresas devem se cadastrar no Cadastur (Sistema Nacional de Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos), vinculado ao MTur (Ministério do Turismo), para adquirir a certificação de funcionamento. Fonte: www.setur.ba.gov.br


Numa experiência inédita no Brasil, um apicultor de Vitória da Conquista (BA) desenvolveu o combustível etanol do próprio carro a partir do mel de abelha, antes descartado durante o processo de controle de qualidade do produto. A descoberta do apicultor Luiz Jordans Ramalho Alves é o desdobramento de uma pesquisa que tinha por finalidade o melhor aproveitamento do mel de descarte para produção de álcool alimentício (ou nobre), usado para fazer cachaça ou aguardente de mel. Segundo o apicultor, das 10 toneladas de mel que produz ao mês, entre 50 e 100 quilos acaba tendo de ser descartado. Só que ao invés de jogar fora, Alves foi acumulando o produto em seu entreposto de mel, localizado em Barra do Choça, município vizinho a Vitória da Conquista. É no próprio entreposto que ele realiza todo o processo químico, num pequeno laboratório. Primeiro, o mel descartado entra em fermentação em um tanque de 250 litros, que pode durar de cinco a 15 dias. Após isso, ocorre a primeira destilação do álcool, por um período de 24 horas. Dessa primeira destilação é retirado o álcool alimentício e a sobra (30%) vai para a produção do álcool combustível, numa segunda destilação. A pesquisa, no valor de R$ 185.052,40, financiados pela Fapesb (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia), teve início em 2012 e o final da vigência em dezembro de 2014. Mas a descoberta do álcool combustível, contudo, só ocorreu há cerca de um mês. É que as pesquisas ainda não tinham indicado o que fazer com os 30% de álcool que sobrava ao final da primeira destilação. Insistente no desejo de aproveitar 100% de todo o descarte do mel, o apicultor avançou nas pesquisas por conta própria e com o auxílio de um laboratório de Salvador avaliou que o produto tinha características semelhantes ao etanol utilizado no funcionamento de veículos. “Foi quando tive a ideia de usar o álcool no meu carro e funcionou”, conta Luis Jordans, revelando em seguida que o produto não passou por teste mecânico em laboratório: “Foi um teste empírico que fiz no meu carro”. O combustível de mel, segundo Luis Jordans, possui graduação alcoólica de cerca de 80%. Pelas normas da ANP (Agência Nacional de Petróleo), o etanol utilizado em veículos deve ter entre 92,5% e 94,7% de álcool. “O desempenho do carro diminui um pouco, mas dá para andar tranquilo”, relatou o apicultor. A produção de combustível de mel está em 50 litros por semana e ele consegue economizar ao menos R$ 117,5 durante os dias de trabalho em que roda com o carro (de segunda a sexta-feira). O apicultor informou que o que ele produz de combustível de mel é o limite, e que não tem pretensões de produzir em larga escala. O próximo passo agora, diz ele, é patentear o uso do combustível de mel em veículos, já que as pesquisas sobre este tipo de etanol no país ainda não tinham avançado neste sentido. Na Fapesb, o trabalho do apicultor repercutiu bem. “Ficamos muito satisfeitos com as descobertas, sobretudo porque elas se deram após a vigência do contrato. Ele terá nosso apoio, inclusive para patentear a ideia”, afirmou o pesquisador Alzir Antonio Mahl, da diretoria de Inovação da Fapesb. (Voz da Bahia)


O baiano Tierry contou, em uma rede social, que foi mais uma vítima da violência no país. O baiano disse que foi vítima de um ‘saidinha bancária’, e que foi reconhecido pelo criminoso. “Acabei de sofrer uma saidinha bancária e o assaltante deixou a minha vida e ai o mais louco aconteceu… Ele me reconheceu e eu pedi pra ele devolver meu celular que minhas músicas estavam todas lá”, escreveu no Instagram.

Apesar do acontecido, o cantor e compositor se mostrou agradecido por uma atitude do ladrão. “Já perto de ir, desceu da moto e me devolveu o celular! OBRIGADO! Por ter deixado dois dos inúmeros tesouros que tenho A MINHA VIDA E A MINHA ARTE!!! Dinheiro a gente trabalha e corre atrás! OBRIGADO DEUS! E que proteja a vida daqueles homens, dando oportunidade deles serem pessoas melhores!”, contou. (Bahia Notícia)


Moradores do Alto do Coqueiro, em protesto na manhã dessa terça-feira(28), fecharam a Av. ACM, Parque Infantil e Av, Ubaitaba. Neste momento o engarrafamento é grande na zona norte de Ilhéus. Segundo os moradores, a situação da comunidade, em especial na ladeira e escadaria que dá acesso à localidade, está impossibilitando ônibus, carro do lixo e até a viatura do Samu de subir o morro e pedem melhorias ao governo municipal. “ Já enviamos solicitações para concertar a ladeira há mais de um ano, e nada foi feito”, explica o morador.

Esse é o terceiro protesto em menos de 24 horas, contra o desgoverno do prefeito Jabes Ribeiro e a Embasa. (Agravo)


Itacaré receberá pelo segundo ano consecutivo, mais uma Etapa do “Campeonato Baiano de Pesca Esportiva”.Com o objetivo de evidenciar o potencial turístico da pesca esportiva na região e a importância da preservação das espécies de peixes que proporcionam a pratica do esporte, e destacando uma das espécies mais esportivas existentes no nosso país, o “robalo”, que é comum em nosso estuários, mais vem sofrendo muito com a pesca predatória ao longo dos anos.

A região oferece, possuí uma imensa faixa de manguezais, rios e mar onde se encontram uma vasta quantidade de espécies de peixes, entre elas uma das mais esportivas, o robalo, principalmente as espécies,Centropomus paralleleus (robalo peva) e Centropomus undecimalis (robalo flecha). Infelizmente hoje estas espécies são cada vez mais difíceis de encontrar devido à pesca predatória. Tais Aspectos evidenciam a necessidade de ações educativas e de conscientização. Entendemos que a realização de eventos como um campeonato onde se pratica o pesque e solte, podem proporcionar uma visão diferente da pesca, e mostrar a importância do pesque e solte para a preservação ambiental e do turismo de pesca esportiva para a economia da região.

REGULAMENTO

ARTIGO 1º – DA ORGANIZAÇÃO:
O Campeonato Baiano de Pesca Esportiva é uma realização da ABAPE (Associação Baiana de Pesca Esportiva), somente para pesca de Robalos.
ARTIGO 2º – DOS OBJETIVOS:
I – Preservação dos Robalos na Bahia, Centropomus paralleleus (robalo peva), Centropomus undecimalis (robalo flecha) e Centropomus pectinatus (robalo ripa).
II – Mostrar a importância de manter os robalos vivos para pesca esportiva e o que isso pode gerar para o turismo local.
III – Divulgar os potenciais turísticos e atrativos da Pesca Esportiva na Bahia.
IV – Promover o lazer e a confraternização entre os amantes da Pesca Esportiva.
V – Promover as atividades náuticas com observação das leis de Marinha e atitudes de Conservação Ambiental.
ARTIGO 3º – DA COMISSÃO ORGANIZADORA:
A Comissão Organizadora Central cabem os trabalhos de coordenação geral e regulamentação da competição.
ARTIGO 4º – DA PROVA:
O Campeonato Baiano de Pesca Esportiva será realizado em duas etapas, sendo Etapa de Itacaré e Etapa de Ilhéus, nos dias 08 de Agosto de 2015 e 03 de Outubro de 2015.
Etapa Itacaré: 08 de Agosto de 2015.
Etapa Ilhéus: 03 de Outubro de 2015.
A prova será feita exclusivamente na modalidade iscas artificiais através de arremesso. Não será permitido pesca de corrico:
A- A competição consiste em pesca embarcada utilizando barcos com motor sem limite de potência.
B- Será validas apenas as espécies de peixes Centropomus paralleleus (robalo peva), Centropomus undecimalis (robalo flecha) e Centropomus pectinatus (robalo ripa).
C- Limite de captura: Serão considerados para efeito de classificação apenas os 3 (três) maiores exemplares em peso por embarcação.
D- Estão autorizados treinos na véspera das provas.
ARTIGO 5º – DA LARGADA e TÉRMINO
A- Todos os participantes deverão estar presentes e com as embarcações respectivas aportadas no local de largada às 07:30 horas para vistoria, numeração e recebimento das orientações necessárias.
B- Antes da largada cada equipe receberá o cartão de “check in” onde terá a numeração da equipe e a numeração individual de cada membro.
C- O cartão de “check in” é o documento principal da competição, onde serão a notados os pesos dos peixes e onde indica a numeração da equipe e dos pescadores para participar do sorteio.
D- O pescador/equipe que não devolver à comissão o cartão “check in” não participara dos sorteios
E- A largada acontecerá em duas baterias conforme potência de motores: 08 horas para as embarcações de motores com potencia igual ou superior a 90 hp; 08:00h e 30 segundos para as demais embarcações. O atraso de 30 segundos para a largada das embarcações menores tem como objetivo a segurança.
F- O horário de término da prova será às 15 horas e será sinalizado com 2 sinais sonoros: um 10 minutos antes (14:50 horas) e outro, pontualmente às 15:00 horas, independentemente de qualquer atraso na largada.
G- Embarcações que ultrapassarem o horário limite de encerramento (15 horas) será desclassificada.
H- Por motivos particulares e de segurança, a Comissão Organizadora poderá alterar a largada e chegada de acordo com as condições no dia da prova.
ARTIGO 6º – DA PESAGEM E PONTUAÇÃO
A- Os exemplares deverão ser apresentados no ponto pré-determinados pela Comissão Organizadora para fiscalização, pesagem e soltura dos mesmos.
B- Cada Barco poderá apresentar para a pesagem no máximo 3 (Três) peixes, podendo estar com 5 (cinco) peixes no viveiro. O quarto e quinto peixe servem de reserva técnica para dúvidas de avaliação, no entanto deverá ser solto imediatamente antes da pesagem final. Poderão ser feitas pesagens intermediárias, porém cada peixe pesado antecipadamente é insubstituível.
C- A pontuação será realizada da seguinte forma: 200 pontos por peixe + 1 ponto por grama. Só pontuarão os peixes em condições de retorno saudável à água, sendo dado ao competidor o máximo de 3 minutos de tempo para recuperação de peixes com sobrevivência duvidosa.
D- A pontuação utilizada pra definição dos vencedores do campeonato geral será por média de capturas nas duas etapas.
E- A comissão de pesagem estará ativa desde as 09 horas, possibilitando pesagens intermediárias em qualquer momento da prova. “Excepcionalmente”, para manter a integridade de peixes grandes, poderão existir pesagens antecipadas.
F- Após o término da prova, só serão pesados os peixes das embarcações que tiverem posse do cartão de “Chek in” distribuída pela comissão organizadora. Esta distribuição acontecerá na recepção de chegada dos barcos, no local sinalizado pela Comissão Organizadora.
G- Para efeito de desempate, será considerado o peso da maior peça de cada dupla e caso o empate persista, será considerado o segundo maior peixe e assim sucessivamente.
H- Depois de conferida a pesagem pelo árbitro, o representante da dupla deverá conferi-la e rubricar a planilha, não serão aceitas reclamações posteriores.
I- Peixes apresentados para pesagem com ferimentos poderão ser desclassificados, a critério do árbitro da prova. Porém o pescador poderá fazer uma consulta ao árbitro sobre esse exemplar antes da pesagem.
ARTIGO 7º – LIMITAÇÃO DE RAIA:
A raia de pesca está limitada:
Itacaré – Do Farol da Barra (coordenadas 14º 16,21.00” S e 38º 59’12.40” O) até a volta do Poço(coordenadas 14º 18’05.49” S e 39º 05’56.22” O), não sendo permitida a pesca além desses limites, sob pena de desclassificação.
Ilhéus – Do Morro de Pernambuco (coordenadas 14°48’25.73″S e 39° 1’39.38″O)
Ao rio Cachoeira até as limitações descritas (coordenadas 14°49’2.37″S e 39° 4’9.56″O)
E ao rio Santana nas limitações do rio do engenho (coordenadas 14°50’28.91″S e 39° 2’36.28″O)
ARTIGO 8º – DOS EQUIPAMENTOS PERMITIDOS:
A- Linhas de diâmetro livre; mono ou multifilamento.
B- Carretilhas, molinetes ou fly de qualquer tipo.
C- Varas de qualquer tamanho, em qualquer quantidade.
D- Cada atleta poderá fazer uso de apenas uma vara por vez, não sendo permitida vara de espera.
E- Iscas artificiais de qualquer tamanho ou modelo.
F- SERÁ VETADO O USO DE FIEIRAS PARA MANTER OS PEIXES, SOB QUALQUER PRETEXTO. Obs.: identificadores de peixes individuais presos às bocas dos peixes não são considerados como fieira.
ARTIGO 9º – DAS EQUIPES:
A- As equipes serão compostas por, no máximo, (03) três pescadores.
B- Durante o desenvolvimento da competição, nenhuma equipe poderá receber ajuda de outra equipe ou pessoa, sob pena de desclassificação.
C- Só será permitida ajuda de terceiro em caso de pane ou perigo, e nesse caso os peixes deverão permanecer no viveiro da embarcação de origem.
ARTIGO 10º – DOS COMPETIDORES:
A- O número de vagas está previsto para 40 barcos com no máximo 03 pescadores por barco.
B- É obrigação dos competidores:
I – Cumprir e fazer cumprir o regulamento.
II – Fiscalizar a pesagem e anotação dos referidos exemplares capturados.
III – Assinar as anotações do fiscal.
IV – Colaborar com a fiscalização notificando a organização “por escrito”, qualquer irregularidade que venha observar durante o desenvolvimento da prova.
V – Manter os seus peixes vivos até a pesagem e libertação do peixe.
C- Fica vetada à equipe e seus componentes sob pena de desclassificação:
I. Abordar ou deixar-se abordar por outras embarcações que não sejam da organização do torneio, exceto em caso de emergência, socorro ou cobertura autorizada da imprensa.
II. Exercer atitudes que depredem o meio ambiente, bem como se apresentar em estado de embriagues, antes ou durante toda competição.
III. Desacatar ou agredir competidores ou qualquer membro da Comissão Organizadora.
IV. Transgredir quaisquer das regras contidas neste regulamento.
V. Jogar lixo nas águas, bem como usar material predatório de qualquer natureza.
ARTIGO 11º – DAS INSCRIÇÕES:
COMO SE INSCREVER.
Para participar do Campeonato Baiano de Pesca Esportiva, os Atletas deverão se inscrever através do e-mail [email protected], [email protected] e [email protected], também nas Lojas: Casa do Pescador em Ilhéus, telefone (73) 3634-5692; Pesca Azul em Itacaré, telefone (73) 3251-2148 ou nos pontos por elas credenciados.
O valor para inscrição é R$ 90,00(noventa reais) por pescador não sócio da ABAPE e R$70,00 (setenta reais) por pescador sócio da ABAPE, para o pescador que fizer antecipado a inscrição em ambas as etapas fica o valor de R$160,00 (cento e sessenta reais) não sócios e R$120,00 (cento e vinte reais) sócios da ABAPE, até 15 dias. Não serão permitidas inscrições com o prazo inferior a 15 dias do inicio da prova.
PREMIAÇÃO
ETAPA:
1- Os prêmios e brindes serão sorteados entre os participantes dentro das etapas e na premiação geral.
2- Somente receberão os prêmios sorteados os pescadores inscritos presentes na etapa, na ausência do sorteado um novo sorteio será realizado.
3- Haverá premiação com troféus do 1º ao 3º lugar e troféu “Dedo” por etapa.
4- “Para participar do sorteio é necessário entregar o cartão de “check in” à comissão”.
GERAL:
1- O premio Master (Um Barco) será sorteado entrar as 10 (dez) equipes mais bem colocadas no campeonato.
2- Ao sorteio do premio máster só concorrerão quem se inscrever nas duas etapas e ao menos ter participado de uma delas e justificado a ausência na outra
3- A equipe sorteada deverá ter ao menos um membro presente no momento do sorteio, caso não esteja um novo sorteio será realizado.
4- O premio maior peixe (mais pesado) será de quem capturar o robalo com maior peso entre as duas etapas.
5- Haverá premiação de troféu de maior peixe, premiação com troféus do 1º ao 3º lugar e troféu “Dedo”.
6- No ato do sorteio, a equipe deverá estar representada por pelo menos um dos seus competidores utilizando camiseta do Evento.
LEGISLAÇÃO E SEGURANÇA:
A- Todas as equipes deverão ter seus barcos em condições de navegabilidade, conforme normas e instruções da MARINHA DO BRASIL.
B- Todos os pilotos que participarem da prova deverão estar habilitados.
C- As embarcações deverão portar sacolas para lixo.
D- Todos os pescadores deverão portar sua Licença de Pesca e obedecer à legislação vigente.
E- O evento não se responsabiliza por possíveis vistorias nas embarcações pelos órgãos competentes, é obrigação das equipes manter suas embarcações regularizadas.
ARTIGO 14º – DA SUSPENSÃO DA PROVA:
A Comissão Organizadora operando em consonância com o ÁRBITRO é soberana e poderá suspender a prova total ou parcialmente, desde que haja motivos suficientes, adotando medidas, visando proceder qualquer alteração do programa e poderá haver a sua consideração, suspensão da prova ou transferência para outra data em qualquer tempo.
ARTIGO 15º – CONSIDERAÇÕES GERAIS
A- Os participantes deverão se portar de maneira ética, não atrapalhando competidores com excessiva aproximação ou interceptando seu trajeto.
B- Os participantes concordam em autorizar o uso de suas imagens e som de voz em qualquer tipo de mídia ou peças promocionais referentes aos eventos promovidos pela ABAPE.
C- As embarcações participantes deverão portar em local visível os adesivos com sua numeração.
D- Durante a Cerimônia de Premiação, os pescadores deverão usar o material promocional do Evento (ex: bonés, camisas, etc.).
E- Cada embarcação receberá kit com cópia do regulamento, material promocional do Evento e fichas plastificadas com numeração idêntica ao número de inscrição para facilitar a pesagem.
F- A Imprensa poderá circular em todo local da prova para o exercício de seu trabalho, desde que não atrapalhe as equipes.
G- Os Organizadores e autoridades da competição não se responsabilizarão por perdas, roubos ou qualquer tipo de danos materiais ou corporais ocorrido com os participantes, espectadores, acompanhantes, etc, antes, durante ou após o evento.
H- O participante que venha praticar ato ILÍCITO durante a competição será desclassificado e ficará impedido de participar da premiação.
I- A realização da inscrição implica em que o participante tenha conhecimento e concorde com todo o conteúdo deste REGULAMENTO.
J- Qualquer descumprimento desse regulamento poderá acarretar penalidades desde advertência até a sumária desclassificação, a critério do Arbitro Geral da Prova.
K- Eventuais mudanças nesse regulamento poderão ser feitas pela Comissão Organizadora, desde que anunciado aos participantes antes do início da competição.
L- Casos omissos neste regulamento serão.

 

1513196_1613542258918283_3481288297122144772_n


Aconteceu na última sexta-feira (24), no colégio Aurelino Leal em Itacaré, uma reunião do grupo de oposição, encabeçado por Nego de Saronga e Danilo Reis. Os temas da reunião foram as mudanças da lei eleitoral e as estratégia eleitoral para 2016. Além dos projetos aprovados pelo Senado como: as PLS 430/2015, PLS 477/2015, PLS 473/2015 e PLS 483/2015. E das que ainda estão em discussão como: PEC 98/2015, PLS 464/2015, PLS 442/2015.

E contou com as presenças dos vereadores da bancada de oposição Arnaldo do Esporte, Pedro Reis e Joselito Reis. Além das presenças do ex-vice prefeito e pré candidato a vereador Ró Oliveira, o pré candidato a vereador Tonho do Bicho, do ex vereador e pré candidato a vereador Azul, do ex candidato a prefeito Marivaldo Patrão, do ex vereador Saronga, do ex vereador Cândido Reis, do ex vice prefeito e ex vereador Mário do Correio.

Durante a reunião, o vereador Pedro Reis também colocou seu nome a disposição do grupo, que agora somasse ao de Nego de Saronga e Danilo Reis. Com isso,  a oposição agora conta com três nomes disponíveis para a prévia. Lembrando que a escolha do candidato que representará o grupo em 2016 será discutida internamente, mas tudo indica que a pesquisa de intenção de voto será a opção mais viável.

IMG-20150726-WA0007

IMG-20150726-WA0006

IMG-20150726-WA0010