A agência do Banco do Brasil do Conde, no Litoral Norte baiano, foi assaltada na manhã desta terça-feira (2). Na fuga, a quadrilha levou dois seguranças do banco amarrados como reféns na frente de cada um dos carros usados na ação. O fato ocorreu por volta das 10h. Segundo um morador, em contato com o Bahia Notícias, cinco pessoas foram feitas como reféns. Em torno de 15 bandidos participaram da ação. Ao entrar na cidade, eles atiraram na Delegacia Territorial, como forma de intimidar a polícia. Até o momento, não foi informado o valor roubado pelo bando. Abaixo, um vídeo mostra a fuga da quadrilha, que tomou o rumo da cidade de Jandaíra.


O baiano Yagê Araújo é um dos integrantes da equipe brasileira no ISA World Surfing Games 2015, que começa nesta segunda-feira, na praia de Popoyo, Nicarágua. Ao todo, 27 delegações disputam a competição. Yagê disputa a categoria Open.

A competição começa nesta segunda-feira, às 11 horas (horário de Brasília), com transmissão ao vivo no site ISAWSG.com.   (Surf Bahia)


O ex-deputado federal baiano Luiz Argôlo (SD) não se contém em lágrimas na carceragem do Complexo Médico Penal de Pinhais, no Paraná, para onde foi transferido esta semana. A informação é da coluna Radar Online da Revista Veja. De acordo com a publicação, o ex-deputado André Vargas pediu atendimento psiquiátrico. Já o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto se recusa a comer com frequência. Os três e o ex-deputado Pedro Corrêa foram transferidos no dia 26, após ficarem detidos na Superitendência da Polícia Federal em Curitiba, juntamente com outros presos da Operação Lava Jato. Argôlo é acusado de participação no esquema ilegal, por supostamente receber propinas do doleiro Alberto Youssef.


No domingo (31), o Fantástico denunciou o golpe do DPVAT, o seguro obrigatório que o motorista que tem carro, moto, qualquer tipo de veículo, tem que pagar todo ano. O DPVAT é usado para indenizar as vítimas do trânsito. Mas tem gente que caiu do cavalo e recebeu:
Em uma noite de São Paulo, ao bater em um carro, o motoqueiro quebrou a perna e ficou em coma. Ele e todos que se machucam com alguma gravidade no trânsito brasileiro têm direito a receber uma indenização. É dinheiro do DPVAT, o seguro obrigatório.

“Nós observamos vários casos absurdos. Nós não temos dúvida alguma de que as fraudes podem chegar a até R$ 1 bilhão ao ano em todo o país”, afirma o delegado da Polícia Federal Marcelo Freitas. Em 2014, os donos de carros, motos, ônibus e caminhões pagaram quase R$ 8,5 bilhões de seguro obrigatório, o DPVAT. Por lei, 45% têm que ir para o Sistema Único de Saúde (SUS) e 5% para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A outra metade é para pagar as vítimas de acidentes.

Quando a polícia diz que as fraudes representam R$ 1 bilhão por ano, significa que 25% do valor destinado às indenizações em 2014 estariam sendo usado indevidamente. “Uma completa ausência de controle, uma absoluta ausência de fiscalização”, diz Freitas.
Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais. Nesses estados, em uma investigação recente da Polícia Federal e do Ministério Público, foi possível descobrir o caminho da fraude, que começa com uma mentira e termina com o dinheiro no bolso dos golpistas.

De acordo com as investigações, policiais civis também faziam parte do esquema. Em uma delegacia de Montes Claros (MG), um único investigador chegou a fazer, em um ano, seis mil boletins de ocorrência. Todos de acidente de trânsito. Fernando Lopes das Neves, o ‘Caveirinha’, é policial há 18 anos. Segundo o Ministério Público, o investigador de Montes Claros fazia ele próprio os boletins com informações falsas e também permitia que outros usassem a senha dele para acessar o sistema da polícia.

O investigador foi preso em abril de 2015, acusado de receber R$ 100 de propina a cada boletim forjado. E em maio de 2015, respondia em liberdade. O Fantástico tentou falar com ele, mas nem o policial, nem o advogado responderam. O último passo do golpe é conseguir um laudo com informações falsas, assinado por um médico. O valor da indenização paga pelo DPVAT varia conforme a lesão, que tem que ser grave e provocar invalidez permanente total ou parcial.

A Seguradora Líder é a responsável pelo pagamento das indenizações. Esta semana, o Ministério Público deve entrar com uma ação civil pública contra a empresa. “A investigação aponta que há sim uma participação de dentro da seguradora Líder pra facilitar os pagamentos de fraude”, afirma Guilherme Fernandez Silva.

A seguradora nega e diz que as fraudes não chegam a R$ 1 bilhão por ano, como afirma a Polícia Federal. “Nós temos um controle de qualidade, nós fazemos auditoria. Poderá haver problema? Poderá haver problema. Afinal de contas é um país grande. Mas nós temos um cuidado muito grande, fiscalizamos com a maior intensidade possível. Fraudes efetivamente não chegam a 1% do que efetivamente acontece”, afirma o presidente da Seguradora Líder, Ricardo Xavier.

Ou seja, para a seguradora, as fraudes não somam R$ 40 milhões por ano. E a empresa recomenda que as pessoas deem entrada no pedido de indenização por conta própria. “Se a pessoa procurar uma da nossa rede autorizada, que tem 7.880 pontos de atendimento em todo Brasil, em todos os municípios, terá o atendimento gratuito”, aponta o presidente da Seguradora Líder. “As fraudes ao seguro DPVAT estão acontecendo em cidades de Norte a Sul do país de maneira absolutamente impune, razão pela qual os órgãos têm que agir de maneira firme evitando que essas fraudes possam persistir”, alerta Marcelo Freitas.

Fonte: G1


A menos de um mês do São João, o interior baiano vive realidades diferentes. Várias cidades ainda não têm definido se o festejo vai acontecer. Outras cancelaram o arrasta-pé, mas pelo menos 12 cidades que mantêm a tradição optaram por realizá-lo, mesmo com dificuldades relacionadas ao clima e à crise econômica. Para viabilizar a festa, prefeitos reduziram a programação e cortaram custos. No Recôncavo, apesar da chuva que atingiu a região, só Santo Amaro cancelou a festa. Cachoeira, Cruz das Almas, Amargosa e Santo Antônio de Jesus já confirmaram. Apesar de dificuldades financeiras, o São João de Senhor do Bonfim está mantido. Prefeito da cidade, Edvaldo Correia (PTN) diz que a principal arrecadação vem do Fundo de Participação dos Municípios e que a receita não acompanha o crescimento da região: “Tem que fazer sacrifício para manter a festa. Há promessas de patrocínio, mas até as cervejarias têm se escusado”. Em 2014, a dupla César Menotti & Fabiano e  Pablo tocaram por lá. Este  ano, a prefeitura focará em atrações de forró. “Nossa festa é tradicional e a proposta é fazer boa, com custo menor. Além disso, o Ministério Público também recomendou que os gastos fossem reduzidos”, acrescentou, em nota, a assessoria da prefeitura, que pretende gastar de R$ 850 mil a R$ 1 milhão. Em Santo Antônio de Jesus, a prefeitura deve gastar mais de meio milhão de reais com a contratação de cinco das 40 atrações. Só os cachês das bandas de pagode Sorriso Maroto e Raça Negra somam R$ 348 mil dos R$ 638 mil já investidos. *Informações do A Tarde.