Neste domingo(16), novamente a bola vai rolar no Campeonato Municipal de Futebol em Itacaré, e quatro equipes entrarão em campo. A partir dàs 13h30 o time de Campo Seco enfrenta o Bahia do Km 05 e às 15h30 o São Paulo fará o clássico com o Sampa.

Entenda as regras de classificação.
GRUPO A: HUMAITÁ, SÃO PAULO, SAMPA, VILA MARAMBAIA E EMATA.
GRUPO B: PSG, PONTE PRETA, CAMBOINHA E SÃO CAETANO
GRUPO C: FILHOS DE HUMAITÁ, SANTO ANTONIO, BAHIA DO 5, CAMPO SECO.

Todos os grupos jogam entre si, os dois melhores de cada grupo se classificam, e os dois melhores terceiros lugares, também sobem e juntos fazem 08 times para disputar as quartas de final em jogo de Mata Mata.

Depois vem a grande final e a disputa de terceiro lugar que será no dia 08 de novembro. O palco do Campeonato é o Campo da Passagem e a realização é da Prefeitura de Itacaré.

A premiação:

Segundo a organização, a prefeitura dará como prêmio R$: 3 mil reais para o campeão e medalhas, para o segundo colocado R$: 1500,00 reais e medalhas, para o artilheiro campeonato R$: 200,00 e para o goleiro menos vazado R$: 200,00. O campeonato vai até o dia 08 de novembro, ou seja terá a duração de 03 meses e as partidas serão sempre aos domingos no Campo do São Paulo no Bairro da Passagem. (Assecom)


Um dia após serem definidas as datas do Surf Eco Festival em Itacaré, as especulações das prováveis bandas que fecharão o evento este ano, já se espalham como uma pólvora nas redes sociais. Entre as bandas mais comentadas, estão; Ivete Sangalo, Banda Malta, Wesley Safadão, Capital Inicial, O Rappa, a Dupla sertaneja Enrique e Juliano e a diva do axé Daniela Mercury.

Lembrando que este ano, a etapa do Surf Eco Festival em Itacaré será mais curta e acontecerá entre os dias 27 de outubro à 01 de novembro, com apenas uma semana de duração. E a tão esperadas festas de encerramento, também terão algumas mudanças, serão em dois dias consecutivos. Muito provavelmente nos dias 31/10 e 01/11, na arena dos dois últimos anos, montada na Vila Marambaia, Km 06 entrada da cidade.

O evento que reúne grandes nomes do surf nacional e internacional promete repetir o mesmo sucesso dos anos anteriores, com a presença de renomados atletas, além de shows com bandas de atração a nível nacional.


Designado relator pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), apresentará na próxima semana uma proposta alternativa para a remuneração do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Maia disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que quer encontrar uma solução intermediária entre a proposta que tramita na Câmara, que aumenta a remuneração para 6,17% mais Taxa Referencial (TR), e a do governo que pretende usar parte do lucro obtido pelo FGTS para remunerar a conta dos trabalhadores, conforme revelou ontem o jornal. Ao tomar conhecimento de que o Planalto preparava uma proposta, contatou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), e deve reunir-se com ele entre segunda e terça-feira. O governo quer evitar que o projeto apadrinhado por Cunha, dobrando a remuneração do fundo para os depósitos feitos a partir de janeiro de 2016, seja aprovado. Em seu relatório, que será apresentado na semana que vem, Maia disse que vai propor um aumento escalonado da remuneração do FGTS de TR mais 4% em 2016, TR mais 5% em 2017 e, a partir de 2018, TR mais 6%. O estoque atual continuaria corrigido pela TR mais 3%. “Levaria dez anos para que 100% do estoque fosse corrigido por TR mais 6%”, disse o relator. O deputado disse que também incluirá um dispositivo prevendo que, em caso de saque parcial do FGTS, os recursos retirados devem ser prioritariamente dos depósitos com a remuneração maior. Para Maia, a proposta é um meio termo entre o texto patrocinado por Cunha – que equipara o rendimento do FGTS ao da poupança – e a que está sendo elaborada pelo governo, segundo a qual parte do lucro obtido pelo FGTS é distribuído entre os trabalhadores em vez de ser reaplicada no próprio fundo. A proposta do Planalto também estabelece um teto para o aumento de despesas do Fundo de Garantia e prevê um escalonamento para a divisão dos lucros: 30% dos ganhos obtidos pelo FGTS seriam divididos entre os trabalhadores em 2016; em 2017, o porcentual subiria para 40%, e para 50% a partir do ano seguinte, sempre levando em conta o lucro do ano anterior. Para Maia, o governo pode dar outra destinação à parte do lucro que se dispõe a usar na proposta a ser apresentada. “Já que o governo quer abrir mão de parte do lucro, pode usar para remunerar o estoque que já existe”, afirmou. O deputado disse que não havia sido procurado pelo governo até a noite desta sexta-feira, 14. Eduardo Cunha rechaçou a proposta do governo. “Essa proposta não prospera”, afirmou ao jornal. “Nada que dividir lucro (prospera). Até porque quem apura lucro não é o trabalhador”, disse o presidente da Casa. Líder do DEM e um dos signatários da proposta defendida por Cunha, Mendonça Filho (PE) disse não ver problemas em se fazer um escalonamento no aumento da remuneração do fundo, mas afirmou não abrir mão do rendimento da poupança. “Tem que assegurar ao trabalhador a poupança, mesmo que seja um processo gradual. Escalonamento a gente até pode discutir”, afirmou. Com a pauta da Câmara liberada desde o final desta semana, Cunha deve levar o projeto a votação já nesta terça-feira. (Voz da Bahia)


As brigas entre vereadores da base governista, pode atingir em cheio o governo municipal. Denúncias do vereador Nerival (PCdoB), contra a gestão do vereador Tarcísio Paixão, abriu segredos obscuros da base governista. Entre eles, o esquema de beneficiamento de cargos, superfaturamento de obras, como a reforma na câmara, e por parte da prefeitura de Ilhéus, reformas de escolas e postos de saúde.

Irados com o vereador Nerival, pessoas ligadas ao presidente já afirmam que a obra da policlínica da Conquista, que teve a licitação ganha por uma empresa de médio porte, acabou subcontratando a construtora do vereador Nerival, que realizou a obra.

Já Nerival acusa o presidente Tarcísio de superfaturar a reforma da câmara de vereadores, e contratos de serviços, como a máquina de Xerox que funciona na câmara.

Os homens bomba da base governista podem dar um final tão desejado pelos ilheenses: A implosão do governo Jabista e da câmara de vereadores.(Agravo)


Nesta terça-feira (11), o Ministério da Saúde anunciou o início da 36ª Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite, que acontecerá de 15 a 31 de agosto. O objetivo é que 12,7 milhões de crianças com mais de 6 meses e menores de 5 anos sejam vacinadas contra a paralisia infantil.

Durante a apresentação da campanha, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou a importância de fortalecer o esquema de vacinação no Brasil como uma forma de contribuir para a erradicação da pólio no mundo: “Ainda não podemos falar em erradicação mundial porque há casos em alguns países da África e da Ásia. Mas é uma meta que nós vamos atingir mais cedo ou mais tarde. Por isso, não podemos permitir que crianças imunizadas convivam com outras sem a cobertura vacinal”, declarou. O último caso de poliomielite no Brasil foi registrado em 1990 e a última ocorrência endêmica na América, ou seja, que não depende de uma contaminação externa, aconteceu no Peru em 1991. Três anos depois, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a pólio estava erradicada nas Américas, a primeira região do mundo a conseguir tal feito. Mesmo assim, o ministro ressaltou que “não podemos dar a luta como vencida”.

Para evitar que a doença volte a aparecer, é imprescindível que o país mantenha bons índices de vacinação porque, quanto maior é o número de pessoas imunizadas, menores são as possibilidades de circulação do vírus. “Além de protegermos individualmente as crianças, quando vacinamos maciçamente a população criamos uma imunidade de grupo, garantindo proteção até a quem não está vacinado. É o que chamamos de imunidade de rebanho”, explicou a coordenadora Coordenadora Geral do Programa Nacional de Imunização, Carla Magda Allan Santos Domingues

Vacina contra a poliomielite

A vacina utilizada na campanha é a trivalente, que protege contra os três tipos de poliovírus (1, 2 e 3) e será tomada por via oral, a famosa gotinha. Por isso, o grande esforço é para que as famílias compareçam ao posto de saúde neste sábado, 15, considerado o dia D da campanha.

Durante a campanha de vacinação contra a pólio, serão mobilizados mais de 100 mil postos de saúde em todo território nacional, que também oferecerão as demais vacinas que compõem o calendário básico da criança. Assim, fica mais fácil regularizar a imunização das crianças. A vacina de pólio é considerada segura e sua eficácia está em torno de 90% a 95%. A estimativa, segundo o Ministério, é que até o dia 31 de agosto pelo menos 12 milhões de crianças, o que representa 95% da meta, sejam imunizadas.