Nem a proximidade da alta estação é suficiente para reverter o cenário de dificuldades no setor hoteleiro. O momento compromete investimentos dos mais diversos portes e foi responsável, por exemplo, pela perda de mais de 100 empregos no Hotel Pestana Salvador – maior da capital baiana, com aproximadamente 430 leitos – como adiantou com exclusividade, a coluna Farol Econômico, do Jornal O Correio. A reportagem esteve no local e apurou que existem 12 andares desativados, de acordo com um funcionário, que pediu para não ser identificado. A situação enfrentada pelo setor hoteleiro é explicada pelo aumento no número de leitos após a Copa do Mundo e se agravou com a redução no fluxo de turistas após o fechamento do Centro de Convenções da Bahia para reformas. Segundo o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (Febha), Silvio Pessoa, 18,4 mil dos 40 mil leitos dos hotéis na capital baiana estão ociosos. “Até agosto, acumulamos 54% de ocupação. Ou seja, 46% dos quartos nos 404 hotéis estão vazios”, diz. De acordo com ele, o ponto de equilíbrio para qualquer hotel pagar todas as contas é ter uma ocupação média de 60%. “O Pestana, assim como os outros 28 grandes hotéis da cidade, não está atingindo esse ponto de equilíbrio. A situação é crítica para todos, estamos escolhendo as contas que vamos pagar. Se a situação não melhorar, mais hotéis vão ter que demitir ou até fechar”, revela ele, acrescentando que isto resultaria em uma situação pior do que a do ano passado. Em todo o ano de 2014, o setor demitiu 8.061 pessoas com mais de um ano de trabalho na capital baiana, segundo o Sindicato dos Empregados em Hotéis, Bares e Similiares (Sindhotéis).


Um acidente ocorrido na madrugada desta terça-feira (6) deixou quatro policiais militares feridos depois que uma viatura da CIPE/Cerrado saiu da pista da BR-242 e capotou. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os policiais feridos foram encaminhados para hospitais, mas o estado de saúde deles ainda é desconhecido. A ocorrência foi registrada por volta das 2h10 da madrugada, no km-814 da rodovia, entre as cidades de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, região oeste da Bahia. Segundo a PRF, informações iniciais colhidas no local apontam que uma roda do veículo se desprendeu. No entanto, uma perícia ainda irá apurar as causas do acidente. A previsão é de que o veículo seja retirado do local do acidente na manhã desta terça-feira. *Informações do G1


Aconteceu neste domingo (04), eleição do Conselho Tutelar de Itacaré para escolher os 05 novos Conselheiros Tutelares de Itacaré para um mandato de 04 anos, começou tumultuada e com muitas reclamações. Eleitores formaram uma enorme fila, com participação acima do esperado pela Comissão Eleitoral.

As reclamações dos eleitores foram justamente por conta das filas longas e da demora na votação, fazendo com que alguns desistissem. As eleições aconteceram no Centro Educacional de Itacaré, e na Escola Paulo Souto em Taboquinhas. Mas no geral, o pleito foi tranquilo e ao final da apuração houve muitas comemorações por parte dos eleitos, familiares e amigos.

Proclamados os eleitos, a multidão que aguardava o resultado da apuração saiu às ruas, em especial o grupo de apoio ao candidato mais votado Sander Palafoz , que logo improvisaram uma carreata que tomou conta da cidade.

Foram eleitos:

1º Sander Palafoz Costa – 238 votos

2º Thiago Silva Reis Gomes – 228 votos

3º Caio Oliveira Marinho de Souza – 138 votos

4º Sales Barbosa dos Santos Silva – 133 votos

5º Laura Rodrigues do Nascimento – 127 votos


Bancários de todo o país iniciam greve na próxima terça-feira (6), informou o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). A categoria ainda fará assembleias na próxima segunda-feira (5), para organizar o movimento. Ontem à noite, foram feitas assembleias em várias cidades do país: a greve foi confirmada. Em Brasília e em Porto Alegre, os bancários decidiram pela greve na quarta-feira (30).

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ofereceu 5,5% de reajuste para salários e vales. A proposta inclui abono de R$ 2,5 mil, não incorporado ao salário. Os bancários querem reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real), entre outras reivindicações.
Em nota, a Fenaban informou que a proposta dos bancos tem o objetivo de compensar perdas da inflação passada. “No momento delicado da economia, a proposta apresentada visa a compensar perdas decorrentes da inflação passada, sem contaminar os índices futuros, o que iria contra todos os esforços do governo para reequilibrar os fundamentos macroeconômicos, possibilitando a retomada do crescimento econômico”, diz o documento.
Para a federação, o reajuste de 5,5% sobre os salários de 31 de agosto de 2015 vai, no mínimo, recompor o poder de compra dos trabalhadores dos últimos 12 meses. “Os trabalhadores terão ainda um abono de R$ 2,5 mil, a ser distribuído igualmente para toda a categoria dos bancários, que abrange cerca de 500 mil trabalhadores – esse valor não será incorporado aos salários – para compensar as perdas passadas. Seu impacto será maior nos salários mais baixos, indenizando integralmente as perdas passadas decorrentes da inflação de até 60% dos bancários”, acrescenta.
Com a correção, o salário de ingresso de um caixa, após 90 dias no emprego, passa de R$ 2.426,76 para R$ 2.560,23, diz a Fenaban. “É importante destacar que os bancários receberão participação de 5% a 15% nos lucros dos bancos, maior quanto menor for o salário e maior seja a lucratividade da instituição”, acrescenta.
A Fenaban diz ainda que a fórmula de cálculo dessa distribuição é idêntica à adotada anteriormente com aprovação dos sindicatos. “Quando sua aplicação resultar numa soma inferior a 5% do lucro do banco, ela prevê mecanismos para que o valor pago ao funcionário seja reajustado de forma a alcançar 5% do lucro ou 2,2 salários do bancário, até o limite de R$ 22.884,87”, explica. *Correio da Bahia


Nesta edição, os portões dos locais de prova ficarão abertos de 12 às 13h e o Exame terá início às 13h30min, pontualmente, seguindo o horário oficial de Brasília/DF.

Até a edição de 2014, as provas tinham início marcado para as 13h, mesmo instante em que os portões eram fechados. A partir de agora, prezando pela segurança do Enem 2015 e maior comodidade aos participantes, haverá um intervalo de meia hora entre o fechamento dos portões e o início de aplicação das provas. Durante este tempo, os fiscais poderão efetuar a revista dos candidatos com maior cuidado e os participantes poderão se acomodar com mais comodidade.

Outra mudança que será implantada nesta edição do Exame é a não distribuição do cartão de inscrição do Enem 2015. O documento que era entregue a todos os participantes via Correios ficará disponível para consulta apenas via internet, na página do candidato no portal do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), acessível em http://enem.inep.gov.br/participante/.

A apresentação do cartão nos dias de prova não é obrigatória. Entretanto, o documento possui informações valiosas: data, local e horário das provas do Enem 2015, opção de língua estrangeira, número de inscrição, eventual necessidade de atendimento diferenciado e possível escolha por obtenção do certificado de conclusão do ensino médio.

Deste modo, é essencial que todos os participantes acessem a página do Inep nas semanas anteriores ao Exame para consultar o local de prova do Enem 2015, disponível no cartão de confirmação de inscrição. Aqueles que acharem conveniente terá a opção de salvar e imprimir o documento.

O tempo de duração das provas permanecerá o mesmo: 04h30min no primeiro e 05h30min no segundo dia. Ao todo, serão aplicadas 180 questões de quatro áreas de conhecimento. No sábado haverá as provas de Ciências da Natureza e Ciências Humanas. No domingo, além da redação do Enem 2015, serão aplicadas as provas de Linguagens e Matemática. (Ilhéus 24hrs)


Metade da população das grandes cidades brasileiras acredita que “bandido bom é bandido morto”. A constatação aparece em pesquisa Datafolha encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ONG que reúne especialistas em violência urbana do país. O levantamento foi realizado no final de julho e fará parte do 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que será divulgado nesta semana. O instituto ouviu 1.307 pessoas em 84 cidades com mais de 100 mil habitantes. Para a pergunta se bandido bom é bandido morto, 50% disseram concordar, 45% discordaram e o restante não soube responder ou não concorda nem discorda. Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, essa divisão no país é um bom sinal. Esse resultado da pesquisa reforça a sensação de especialistas da área de que a sociedade é tolerante com a matança de suspeitos por policiais. *Informações da Folha.