Carisma inquestionável e uma voz diferenciada. Essas são algumas das características de Luciano Cruz, “O Mizeravinho” – Rei Da Sofrência,  que tem ganhado espaço e visibilidade no concorrido cenário musical da região. Com 16 faixas, o primeiro álbum solo do Mizeravinho, está estourado nos paredões da região.

Baixe agora mesmo o CD completo do Mizeravinho clicando Aqui.

Contato para Shows:

(73) 9 9921 7091 // WhatsApp Tato

(73) 9 9833 1730 // (71) 9 9214 1455.

 


Está em Salvador o Presidente da Federação Baiana de Surf Marcelo Barros, buscando apoio dentro do Governo do Estado para a aprovação do Projeto da 8a. Edição do WQS Mundial 2019 de Itacaré que se encontra no Departamento Técnico da SETUR.

A L & B Produções será a Empresa Proponente do Projeto e em breve será apresentado ao Trade de Itacaré.
Mais uma vez a Prefeitura Municipal de Itacaré juntamente com a Câmara de Vereadores e ASI em parceria com empresários locais, trazem a Itacaré um Grande Evento que com certeza será de grande importância para o Turismo e para a Economia de Itacaré.

O trabalho continua sendo feito em parceria com a Prefeitura, Câmara de Vereadores, Empresários, ASI e a comunidade para o desenvolvimento do nosso Município.


Um homem identificado como Eduardo Vieira Luz, de 46 anos, natural de Ilhéus, foi a óbito nesta terça-feira (30), por volta das 12h30, após se jogar de uma ponte que faz a divisa entre os municípios de Aurelino Leal e Ubaitaba, na BR-101. Segundo a Polícia Militar, uma informação passada via telefone informou que um homem havia pulado de uma ponte. A PM foi ao local e constatou a veracidade do fato. Mergulhadores conseguiram tirar o corpo da água, mas já sem os sinais vitais. Não há informações sobre velório e sepultamento. *Informações do Ubatã Noticias


O distrito de Taboquinhas está comemorando, até o próximo dia 06 de agosto, a tradicional festa em louvor ao seu padroeiro Bom Jesus. Os festejos foram iniciados no último dia 28, com o novenário, que prossegue até o dia 05 de agosto, com celebrações todas às noites, dedicadas às famílias, grupos de oração e segmentos organizados da comunidade. A realização é da Paróquia de São Miguel Arcanjo, com o apoio da Prefeitura de Itacaré.

No dia 06 de janeiro, consagrado ao Bom Jesus, os festejos serão iniciados às 5 horas da manhã com a tradicional alvorada que conta com a banda musical passando pelas ruas do distrito anunciando a festa. Às 10 horas será celebrada a missa festiva pelo bispo Dom Mauro Montagnolli e pelo padre Ednaldo Cardoso, seguindo com procissão e benção do Santíssimo Sacramento. Logo depois será a vez do tradicional caruru beneficente do Bom Jesus.

HISTÓRIA – Esse ano a igreja de Bom Jesus de Taboquinhas estará completando 70 anos de existência. Segundo relatos de moradores antigos do distrito, “Bom Jesus” passou a ser padroeiro de Taboquinhas após uma história de fé. Por volta do início do século XX, quando uma doença atingiu um importante morador e agricultor de Taboquinhas, residente na fazenda São João, na área ribeirinha do rio de contas. O senhor Juvenal Figueiredo Sampaio e um grupo de amigos bem próximos foram à pé até a cidade de Bom Jesus da Lapa, para pagar uma promessa, de onde trouxeram uma imagem da representação do sofrimento de Jesus pela humanidade.

Daí então Bom Jesus passou a ser o padroeiro de Taboquinhas, onde a comunidade escolheu que na mesma data em que se comemora o dia da festa na Lapa, aconteceria também os festejos do Bom Jesus de Taboquinhas. E assim a tradição permanece viva, com festejos todos os anos, contando com nove dias de preparação até chegar ao dia do padroeiro.


O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, e o secretário Estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, entregou nesse domingo 559 documentos do Cadastro Estadual Florestal Rural (CEFIR) aos pequenos agricultores do município. A entrega aconteceu durante a Roda de Conversas com os Agricultores, como parte do VI Festival Gastronômico de Itacaré, e contou com a participação de representantes da Câmara de Vereadores e de diversas associações rurais do município.

Durante a entrega o prefeito Antônio de Anízio falou da importância da agricultura familiar para o município como fonte de geração de emprego e renda e o quanto vem sendo investido nessa área para aumentar e diversificar a produção agrícola, com a aquisição de novos equipamentos, cursos de capacitação, projetos de diversificação e a regularização das associações e propriedades. “E o CEFIR traz como benefícios a valorização das propriedades e possibilidade de acessar crédito agrícola, entre outras vantagens”, acrescentou o prefeito.

O secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, falou da parceria que deve sempre existir entre o meio ambiente e os pequenos agricultores, que são os que produzem mas que também protegem e preservam a natureza. E CEFIR corresponde, no estado da Bahia, ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), no âmbito Federal. O secretário informou que os agricultores que não foram contemplados com essa etapa ainda podem fazer o cadastro.

O CEFIR é uma obrigação criada pelo Código Florestal Brasileiro auxiliando no Planejamento ambiental e econômico do Estado. Todas as propriedades rurais com até quatro módulos fiscais terão os seus cadastros feitos pelo SEMA/INEMA em parceria com os municípios. Em Itacaré, graças a parceria firmada com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, o cadastro foi feito gratuitamente, auxiliando os pequenos produtores rurais a se adequarem a legislação ambiental. Os produtores que não receberam seus documentos podem procurar as Secretaria Municipal do Meio Ambiente, em Itacaré, ou a Secretaria de Agricultura e Pesca, em Taboquinhas.

RODA DE CONVERSA – Ainda na parte da manhã de domingo foi realizada a Roda de Conversa com os Agricultores Familiares, um momento de palestras, capacitação e troca de informações e experiências. Durante o encontro foram realizadas palestras sobre o Serviço de Inspeção (SIM), Potencialidades do Turismo Rural de Itacaré e também sobre todos os passos para a certificação orgânica.


Depois de levar a medalha de ouro no Canadá há quatro anos, brasileiro vence a mesma prova no Peru. Vagner Souta fica com o bronze no K1 1000m, assim como Ana Paula Vergutz no K1 1500m.

Isaquias Queiroz com o ouro na prova C1 1000m na canoagem velocidade nos Jogos Pan-Americanos — Foto: Gabriel Fricke

Isaquias Queiroz garantiu nesta segunda-feira a medalha de ouro na categoria C1 1000m e repetiu o feito de Toronto 2015, quando conquistou o título na mesma prova. O tempo do brasileiro foi de 3m47s631, seguido pelo cubano Fernando Jorge (3m48s574) e pelo canadense Drew Hodges (3m58s454).

– A prova foi boa, acho que demorei para sair um pouquinho, depois fui para frente e nos 500m o cubano chegou, só que ele achou que podia se dar melhor na prova e começou a subir o ritmo igual a um louco. Mantive ali controlando meio bico atrás, e faltando quase 300m comecei a subir um pouco, e ele começou a sentir o cansaço e parou. Acredito que parou porque olhei e rapidamente ficou para trás, e depois controlei a prova e fui um pouco mais devagar, quer dizer, bem devagar para não mostrar o que tenho ainda, vou deixar guardado para o Mundial. Não quero que ninguém fique vendo como posso ir – disse Isaquias logo depois da vitória.

Dono de duas pratas e um bronze nos Jogos Olímpicos, Isaquias Queiroz conquistou sua quarta medalhas nos Jogos Pan-Americanos. Em sua primeira participação, em Toronto 2015, o atleta baiano já tinha conquista duas medalhas de ouro – C1 1000m e C1 200m e uma prata – no C2 1000m. Depois do ouro em Lima, Isaquias admitiu que ainda lamentava o ocorrido com o companheiro Erlon de Souza no C2 1000m – que ainda passa por exames em Lima. E ainda voltou para a água depois da prova para treinar.

– Estou animado, não vou falar que estou feliz, mas estou animado com a medalha. Queria sair mais feliz ainda em relação ao que a gente tinha feito de programação, mas é esporte, às vezes a gente ganha, às vezes a gente perde, às vezes tem uma decepção muito grande. Mas agora é voltar para o Brasil e se concentrar para o Mundial. Faltam cinco semanas para o Mundial e o foco total é pelo menos garantir a vaga para o Brasil nos Jogos Olímpicos (de Tóquio 2020), e depois trabalhar muito mais focado.(Globo Esporte)


O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, sancionou a Lei 09/2019, de autoria do vereador Hamilton Paixão e aprovada por unanimidade na Câmara Municipal, que institui o Programa de Adoção de Praças. O Objetivo, conforme o projeto, é promover a participação da sociedade civil organizada e das pessoas jurídicas na urbanização, nos cuidados e na manutenção das praças públicos de Itacaré, em conjunto com o Poder Público Municipal, além de levar a população vizinha às praças públicas e de esportes a compartilhar a responsabilidade por tais equipamentos.

Antônio de Anizio considera a iniciativa como um grande avanço para a conservação do patrimônio público da cidade, pois ia propiciar que grupos organizados da população elaborem projetos de utilização das praças públicas e de esportes, que atinjam as diversas faixas de idade e de necessidades especiais da população, Também irá possibilitar um uso mais intensivo das praças públicas e de esportes, por associações esportivas, de lazer, culturais e demais cidadãos, da área de abrangência daqueles equipamentos públicos.

Conforme a nova lei, poderão participar do Programa quaisquer entidades da sociedade civil, associações de moradores, ONG´s, sindicatos, sociedades amigos de bairro e demais pessoas jurídicas legalmente constituídas e cadastradas no município de Itacaré. Para participar do Programa, será necessária a assinatura de convênio entre a entidade que vai assumir a adoção e o Poder Público Municipal.

A entidade ou pessoa jurídica que vier a participar do Programa deverá zelar pela manutenção, conservação, recuperação e iluminação do bem que adotar, a depender das suas características, bem como pela elaboração e execução dos trabalhos de arborização, quando for o caso. Caberá ao Poder Executivo Municipal, através do departamento competente, a verificação do projeto apresentado pelo interessado e posterior aprovação, a adequação dos projetos que sejam elaborados fora dos parâmetros do Executivo Municipal, em função do convênio celebrado; e a fiscalização das obras e do cumprimento do convênio celebrado.