Itacaré: Festa Beneficente em prol da Cirurgia nos “Olhos de Jéssica”.

Jessica tem 17 anos e foi diagnosticada com Ceratocone nível 3 e precisa fazer urgentemente 3 cirurgias nos dois olhos. Esta doença não tem cura, porém, com a cirurgia há uma melhora significativa. Esta cirurgia o SUS não custeia e tem um prazo para fazer as cirurgias, já que os exames tem validade de 90 dias.

O evento acontece no dia 28 de Julho, no Clube Pirajá, a partir das 20h e contará com a apresentações de Zalela, Jaider Matos e Thiago Bastos e André Lopes do Bonde do Andrezão, participe. O evento contará também com sorteio de brindes, comes e bebes com precinho convidativos e muita diversão. Os ingressos antecipados ao custo de R$:15,00, pode ser adquirido através Luana (73) 98111 1058 ou (73) 98138 7701 – Jéssica. Lembrando que toda renda arrecadada no evento será em prol da cirurgia Oftalmológica da Jéssica. Você também pode ajudar com doações através de depósito bancário, Caixa – Agência: 0069 op: 013 C/P: 00147557-4. Em nome de Luana Santos Pinheiro (Mãe de Jéssica).

Ceratocone, o que é?
Quando uma pessoa descobre que é portadora de ceratocone, uma das primeiras coisas que ela enfrenta é entender o que é ceratocone? Ceratocone é uma doença ocular bilateral e progressiva do olho, que afeta o formato (com aspecto de cone) e a espessura corneana, provocando a percepção de imagens distorcidas e embaçadas.


Inicia-se na puberdade e se não tratada a tempo pode evoluir, em alguns casos, para o transplante da córnea. O ceratocone é uma doença degenerativa progressiva da córnea que ocorre em 1 a cada 20 mil pessoas. Apesar das causas do ceratocone ainda não serem totalmente determinadas, acreditam que associações à processos alérgicos e ao hábito de coçar dos olhos constantemente e também à fatores genéticos, serem agravantes para o processo evolutivo e avanço da doença.
O principal sintoma do ceratocone é a visão borrada e distorcida tanto para longe quanto para perto. Alguns podem relatar diplopia (visão dupla) ou poliopia (percepção de várias imagens de um mesmo objeto), necessidade de apertar os olhos e halos em torno das luzes, fotofobia (sensibilidade excessiva à luz) fazem parte das queixas dos pacientes com ceratocone e astigmatismo.
A coceira e atopia estão presentes em cerca de 20% dos pacientes. O diagnóstico do ceratocone, é feito com base nas características clínicas e com exames complementares de topografia e tomografia de córnea. Em geral, quanto mais precoce o seu aparecimento, pior o prognóstico e uma das grandes dúvidas que existe é se o ceratocone cega, se o ceratocone tem cura ou se ceratocone causa invalidez.
Podemos classificar o ceratocone em 4 graus evolutivos de acordo com a severidade da doença. O tratamento do ceratocone, consistia na prescrição de óculos ou lentes de contato e quando estes métodos não surtiam mais efeito, o transplante de córnea seria a única solução possível. Atualmente, com o desenvolvimento de novas tecnologias, o transplante de córnea para ceratocone é realizado somente como último recurso.
Dependendo do estágio do ceratocone e a sua progressão, o especialista definirá qual a melhor opção em cada caso.


Comentários

Os comentários estão fechados.