Itacaré: Ano letivo começa com transtornos, falta de merenda e de transporte.

Depois da crise na coleta de lixo que culminou em vários protestos na cidade, a Prefeitura de Itacaré, também vive dias difíceis e uma crise sistêmica na educação. Uma semana após o início do ano letivo ainda faltam professores para todas turmas, obrigando aos que estão trabalhando se redobrar para atender mais de uma turma ao mesmo tempo, sem merenda escolar por falta de merendeiras, sem transporte escolar para os alunos no município e no distrito de Taboquinhas, e para piorar a situação, sem água potável e para limpeza do colégios e escolas.

Esta semana foi realizado, por alunos e pais, dois protesto no distrito de Taboquinhas, por falta de ônibus escolar, onde foi fechando a rodovia BA-654, principal via de acesso ao distrito.

“O prefeito Jarbas planejou o carnaval, mas não planejou a volta as aulas, isso é um absurdo, por isso Itacaré tem perdido tantos alunos para Uruçuca e Ubaitaba”, disse uma mãe que tem dois filhos matriculados no Centro Educacional de Itacaré.

Lembrando que Itacaré por tês anos consecutivo vêm terminando o ano letivo antes do prazo pré estabelecido por Lei. A atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN (Lei nº 9.394/96), em seus artigos 24 e 47, preceitua que o ano letivo tem que ter, no mínimo, 200 (duzentos) dias de efetivo trabalho escolar.


Comentários

Uma Resposta para “Itacaré: Ano letivo começa com transtornos, falta de merenda e de transporte.”

  1. mone

    É UMA VERGONHA PARA O PREFEITO O ANO NEM COMEÇOU E NÃO TEM AULA NAS CRECHES POR FALTA DE AGUA!

Os comentários estão fechados.