Confira a programação da festa em comemoração aos 288 anos de Itacaré.


Saiu a grade de atrações da festa em comemoração aos 288 anos de emancipação politica e administrativa. Entre as atrações Padre Ednaldo e Banda, o vencedor do Reality Fama Fábio Souza, e a grande revelação musical do momento na Bahia Lincoln e Duas Medidas e grande programação cultural, que este ano só terá um dia de festa. Confira abaixo a programação Completa.

05:00 Alvorada
06:00 Tradicional Mingau
07:00 Missa na Igreja de São Miguel
08:00 Campeonato Esportivos na Praia da Coroinha (Vôlei, Futevôlei e o tradicional Baba)
14:00 Apresentações Culturais – Volta da Jibóia, Bicho Caçador, Samba de Roda e Grupo de Danças.

PROGRAMAÇÃO:

17h00 – Padre Ednaldo e Banda
20h00 – Fabio Souza (Vencedor do FAMA)
22h00 – LINCOLN E DUAS MEDIDAS

Realização: Prefeitura de Itacaré com Patrocínio: Bahiatursa/Governo da Bahia.

 

Conheça um pouco sobre a história de Itacaré.

A História de Itacaré

Foto: Arquivo Itacaré.com

A cidade de Itacaré originou-se de uma aldeia habitada por índios Tupiniquins até a chegada dos europeus em 1.530, quando iniciou sua colonização. Por volta do ano de 1.718, o Jesuíta Luis da Grã construiu a Igreja de São Miguel às margens do Rio de Contas, quando então, o povoado passou a se chamar São Miguel da Barra do Rio de Contas. Foi elevada à categoria de Município em 26 de janeiro de 1.732, por ordem da Condessa do Resende – Dona Maria Athaíde e Castro, donatária da capitania de Ilhéus, sendo nomeada Itacaré somente em 1.931. O primeiro Prefeito Municipal (Intendente), foi Joaquim Vieira dos Santos (01/01/1890 a 31/12/1893) e o atual Antônio de Anízio, empossado no último dia 01 de janeiro, está em seu segundo mandato.

História de Itacaré
Seu desenvolvimento, marcado entre 1.890 e 1.940, baseou-se no Cultivo do Cacau, período que ficou conhecido como a “Época do Ouro Negro”, no qual Itacaré se destacou como o principal Porto de escoamento da Produção Cacaueira da Bahia e teve seus Casarões Coloniais construídos pelos ricos “Coronéis”.

O declínio dessa Época teve início com o assoreamento da barra do Rio de Contas, quando seu Porto foi transferido para a cidade de Ilhéus. Foi agravado pela forte crise econômica conseqüente da “Quebra de 1929” e consolidou-se, anos mais tarde, quando uma praga conhecida como “Vassoura de Bruxa” dizimou as lavouras de Cacau da região.

Com o declínio da Economia Cacaueira, Itacaré ficou esquecida guardando seu “tesouro”: Belas praias e Mata Atlântica preservada, graças ao Cultivo do Cacau. Anos mais tarde, foi redescoberta por surfistas aventureiros em busca das boas ondas. Em 1.998, a conclusão da Estrada-Parque BA-001 Ilhéus-Itacaré facilitou muito o acesso e possibilitou que Itacaré se tornasse um destino turístico muito procurado.

Hoje, Itacaré encanta pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo e, é considerado um dos destinos turísticos mais belos e visitados do País!

Significado do nome Itacaré

O significado da palavra Itacaré ainda hoje gera muitas dúvidas, alguns dizem ser “Pedra Torta”, outros dizem ser “Pedra Bonita” mas, segundo uma pesquisa feita junto à Biblioteca Central da Universidade Federal da Bahia, a palavra Itacaré é formada por: “itacá” = rio ruidoso + “ré” = diferente. Desta forma, concluiu-se que o nome Itacaré significa “rio de ruído diferente”.

Cultura em Itacaré
Em Itacaré, como em toda a Bahia, a Cultura Popular é caracterizada por manifestações folclóricas, religiosas ou não, pela culinária típica e pelo artesanato que, juntos, contam um pouco da nossa história, pois carregam traços de Culturas dos povos que deram origem à população brasileira, como os índios, os portugueses e os escravos africanos.

Dentre as manifestações folclóricas e religiosas que encontramos aqui em Itacaré, podemos citar as festas da Igreja Católica, ou dos Terreiros de Candomblé, a Capoeira, Danças Afro-descendentes como o Samba de Roda, o Maculelê e a Puxada de Rede, Bicho Caçador, Dança da Jiboia as Festas Juninas e muitas outras, além do Carnaval é claro…

Essas manifestações culturais populares ocorrem nas ruas de Itacaré, em datas específicas ao longo do ano, e também em apresentações realizadas por Grupos de Capoeira e Associações Culturais aqui existentes, que se dedicam ao trabalho com idosos, crianças e adolescentes, onde resgatam e ensinam a origem de suas raízes incentivando assim a preservação da cultura local.

A culinária típica regional e o artesanato com fibras vegetais de coqueiros e palmeiras também fazem parte da cultura no dia-a-dia da comunidade e dos visitantes.

Passeando pelas ruas de Itacaré, você tem a oportunidade de vivenciar nossa cultura quando encontra pescadores tecendo suas próprias redes, artesãos produzindo luminárias e outros objetos de decoração feitos com fibras vegetais, nativos entrelaçando e dando formas às folhas do coqueiro, rodas de capoeira, ambulantes vendendo frutas regionais da época, além de muitas “comidinhas” típicas como os Tabuleiros de Acarajé ou Abará, Carrinhos de Tapioca, cocadas, mingaus, mungunzá e muitas outras delícias da culinária baiana!

 


Comentários

Deixar uma Resposta