Um bebê foi encontrado morto dentro de uma panela de pressão, na casa de Renata Cerqueira, uma babá que denunciou no sábado (20) o sequestro do próprio filho, em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia. De acordo com a Polícia Civil, o corpo foi achado nesta segunda-feira (22) pela patroa de Renata, que tinha ido à casa da funcionária, por causa do desaparecimento do filho dela. Não há informações se o bebê encontrado na panela é o filho de Renata. Conforme Valéria Chaves, responsável pela 23° Coordenadoria Regional de Eunápolis, quando a mulher chegou na casa da funcionária, a porta estava encostada e, por isso, ela resolveu entrar. “Ao chegar no imóvel que estava vazio e com a porta aberta, a patroa de Renata começou a sentir um mau cheiro e investigou de onde vinha o odor. Quando ela abriu a panela de pressão, viu o corpo de um bebê e chamou a polícia. A mãe não estava na casa, pois haveria um protesto na cidade por conta do desaparecimento da criança”, relatou Valéria. Segundo a delegada, a mãe da criança desaparecida ainda não foi encontrada. A polícia disse que só poderá confirmar se a criança achada dentro da panela é a mesma que está desaparecida após um exame de DNA ou alguém confessar o crime. Agentes da Polícia Civil realizam diligências em Porto Seguro. Ainda conforme a delegada, o caso será investigado pelo delegado Delmar Bittencourt. A criança morava com a mãe. O pai do bebê mora em outro local e já foi ouvido pela polícia, que descartou a participação dele no crime. Imagens de câmeras de segurança da região serão solicitadas pela polícia para ajudar na investigação. *G1


O ato de vandalismo teria sido praticado por alguns participantes do Forró do RP, evento realizado no Tênnis Clube Cultural da cidade. O apedrejamento teria sido motivado após a não apresentação da banda. Ao GIRO, Silvio Costa, um dos organizadores da festa informou que no contrato com a banda estava prevista a apresentação no máximo para às 19h30.
No entanto, os músicos e cantores só chegaram na cidade às 23h30. “A nossa festa foi programada para começar às 17h30. Mas devido a chuva, começou às 18h30. E o Sem Retoque só chegou às 23h30. Nós tínhamos a autorização da polícia e da justiça local para encerrar o evento até a meia-noite. Diante do atraso, não tínhamos como prosseguir com a festa”, disse. A reportagem do GIRO também manteve contato com o produtor da Banda Sem Retoque. Gilson Sacramento informou que o atraso foi provocado pelas fortes chuvas que caíram na região. “Nesse domingo tínhamos dois shows.
Um em Itaju do Colônia e outro em Jitaúna. Diante da distância, chegamos a dividir a equipe e mandamos o pessoal da parte técnica na frente. Só que os músicos só conseguiram chegar em Jitaúna às 23h30. Mas, estava todo o equipamento pronto. Se dependesse da gente, haveria a apresentação”, contou Gilson. A organização da festa que já é realizada no município há 14 anos, lamentou o ocorrido. O ônibus sofreu danos no parabrisa e janelas das laterais. Uma nova data para a apresentação da banda de arrocha não está descartada. (Giro em Ipiaú)

Mais um caso de assédio contra a mulher aconteceu em Salvador e desta vez, segundo o relato da vítima, o agressor foi um taxista. Em relato no Facebook, a cantora Aiace Felix, vocalista do grupo Sertanília, contou que ao sair de uma casa noturna na madrugada deste domingo (03) sua irmã, de quem estava acompanhada, foi assediada por um taxista que estava parado na fila de táxi do Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. “Quando fui pedir por respeito, embora seja óbvio que ele é meu por direito, o taxista se sentiu incomodado por eu tê-lo confrontado e me respondeu de forma bem agressiva reiterando o assédio. Eu segui andando com as meninas quando ele deu uma ré super brusca tentando me atropelar. Um rapaz que passava na hora me puxou e evitou que algo mais grave acontecesse”, escreveu. Ela seguiu contando que não satisfeito, o taxista saiu do carro e a agrediu. “Me deu 3 socos no rosto, atingindo meu olho direito, minha boca e o ombro/pescoço. Como resultado, ganhei uma lesão na córnea e alguns hematomas pelo corpo”. (Varela Notícias)


O animal era puxado por uma corda no centro da cidade, segundo testemunhas, após não suportar mais acompanhar o motociclista.
O caso foi registrado no domingo, 26, e na tarde desta segunda-feira, 27, a Polícia Civil começou a ouvir os envolvidos. Uma mulher, responsável pelas imagens, contou ter visto o animal sendo arrastado pela motocicleta e que alertou o motociclista, que em um primeiro momento não se preocupou com a questão, vindo a parar o veículo somente um pouco à frente.
Com a placa da moto, a polícia conseguiu localizar o dono do animal. O delegado Alfredo Gagliano Júnior disse que é apurado o crime de maus tratos e que a pena pode chegar a um ano de prisão.
Já o acusado alega que o cachorro tinha fugido e que o carregava na garupa da moto, não tendo visto quando caiu. Um veterinário examinou o cão, que teve ferimentos leves. Com informações do Estadão Conteúdo.
1467118616182

Segundo informações da Polícia Militar e amigos, a jovem Letícia, tinha um relacionamento já desgastado com o cigano Rony. Um relacionamento extra conjugal e que há algum tempo passou ser um pesadelo na vida da jovem. Ainda, segundo informações, Letícia teria fugido para a cidade de São Paulo, algum tempo atrás, mas teve que retornar para Faisqueira, pois Rony, estaria ameaçando a sua família.

Testemunhas, contaram que dois dias antes do assassinato Rony teria agredido Léticia e que a jovem chegou ir denunciá-lo na delegacia da cidade. Mas, por medo, a vítima não teria concluído o BO (Boletim de Ocorrência).

Um amigo da jovem, teria informado que ela era obrigada a manter o relacionamento com o seu assassino, pois o mesmo não aceitava o término da relação e a ameaçava.

Letícia, foi atingida com um tiro no lado direito do peito e não resistiu ao ferimento e veio a óbito no Hospital de Aurelino Leal. O corpo da jovem foi encaminhado para o DPT de Ilhéus e será velado na quadra poliesportiva de Faisqueira nessa segunda-feira (27), sendo encaminhado para o sepultamento no cemitério local, ela deixa um filho pequeno. (Ubaitaba.com)


Alfredo de Jesus, membro da igreja Assembleia de Deus, morador do bairro Ilhéus 2, na zona sul de Ilhéus, sofreu neste sábado (4), uma tentativa do homicídio pelo seu ex-pastor, Tárcio Costa, da igreja Batista Boas Novas. O fato ocorreu ás 9h30 e envolveu também o pai dele, de prenome Manoel. Segundo relatos de populares, Alfredo foi surpreendido e agredido com diversas pancadas de capacete de uma moto e, ao cair ao chão desmaiado, Manoel desferiu vários golpes de faca, porém nenhum o atingiu. O pastor Tárcio e seu pai foram presos em flagrante, mas foram soltos no dia seguinte. Na delegacia da 7ª Coorpin, Alfredo relatou que após descobrir algo de errado na congregação que congregava, se transferiu para igreja Assembleia de Deus do pastor Silvo e passou sofrer ameaças dos agressores. A vitima realizou exame de corpo de delito no Departamento de Policia Técnica, com rosto deformado, uma fratura no osso do nariz e um ferimento provocado, provavelmente, pelos golpes de faca. A delegacia de Policia Civil de Ilhéus, tem um prazo de 30 dias para apurar a tentativa de homicídio e enviar o processo criminal para o Fórum Bebert de Castro, ao juiz competente para que possa tomar as devidas providencias. (Itabuna Urgente)