Foto: Barra Grande24h

A gerente Rebeca Miranda, de 51 anos, foi vítima de um episódio de agressão na última segunda-feira (1º), em Barra Grande, na península de Maraú. Por meio das redes sociais, ela denunciou que um arrendatário de um restaurante da localidade a atacou com golpes de facão. Ele teria usado a lateral da arma para desferir os golpes, o que deixou Rebeca com hematomas pelo corpo.

As marcas da violência foram expostas em um grupo de classificados de Barra Grande. Ao G1, a gerente contou que o episódio ocorreu na pousada e sushi bar em que ela trabalha. O agressor tinha como alvo o sushiman, que não estava no local no momento.

“Foi no dia 1º, por volta das 22h. Já estava em procedimento de fechamento, atendendo o último pedido do dia, quando esse homem, com um facão na mão, entrou no estabelecimento. Eu me surpreendi, estava de cabeça baixa, quando levantei já o vi. Ele estava sem camisa, visivelmente transtornado, de facão na mão, procurando o sushiman do estabelecimento. Quando vi ele daquela forma, falei para ele se retirar, que ele não podia ficar no estabelecimento daquele jeito. Ele foi na minha direção, perguntando pelo sushiman, se ele morava lá. Falei para que ele se retirasse, que ele não estava bem. Ele veio para cima de mim e começou a me bater, dizendo que ia me matar”. Leia a matéria completa no G1


Desde que se mudou de Brasília para Itacaré, há seis anos, Núbia Magalhães tinha uma vida normal na cidade. Casou-se e teve um filho. Mas tudo mudou em dezembro do ano passado, quando um homem passou a monitorar sua rotina e a assediou.

O agressor em questão é funcionário da Prefeitura de Itacaré. Ao site Varela Notícias, Núbia contou que era um dia comum quando começou a receber mensagens de um estranho no WhatsApp.

“Ele me chamou e eu perguntei pra ele quem era. Ele disse o nome dele. Eu falei que não conhecia ninguém com aquele nome. Ele respondeu ‘você não me conhece, mas eu te conheço’. E continuou: ‘já estou te observando há um bom tempo’. Nisso, ele começou a dar em cima de mim”, relata.


 

Dois jovens de 25 e 27 anos morreram e um ficou ferido durante uma festa junina no Largo do Basílio, em Ilhéus, na madrugada deste sábado (24). Segundo relato da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), um homem não identificado se aproximou do trio e começou a disparar, fugindo em seguida. Thiago Santos da Silva, 25 anos, Valderes Oliveira de Souza, 27, e Leonardo Santos Martins, 22, foram socorridos por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para um hospital da cidade. Os dois primeiros acabaram falecendo. Leonardo, atingido duas vezes, sobreviveu e está internado no Hospital Regional Luiz Viana Filho. Seu estado de saúde é desconhecido. A polícia ainda não sabe quem era o alvo do ataque e até agora nenhum suspeito foi preso. Os corpos das duas vítimas foram encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Ilhéus. Na noite de São João, a polícia ainda registrou outros dois crimes em Ilhéus.


A noite de São João (sábado 24) foi marcada pela violência em Itabuna, três pessoas foram assassinadas a tiros num intervalo de uma hora. De acordo com a polícia, todas elas teriam envolvimento com o crime. O primeiro homicídio aconteceu na praça do bairro São Pedro, por volta das 19:30, uma pessoa identificada como Jónatas, foi assassinado com dois tiros. A segunda pessoa morta a tiros em Itabuna foi identificada como Railton Dutra Dos Santo Neto, 21 anos, ele foi baleado na Rua Ribeirópolis, bairro Sarinha Alcântara por volta das 19:50. Railton foi socorrido por um carro popular até o Hospital de Base, mais não resistiu aos ferimentos e morreu dentro do carro. Ele foi atingido por quatro tiros que acertaram suas costas. Já o terceiro Homicídio aconteceu por volta das 20:30 no condomínio Jubiabá no bairro Ferradas. David Santana de Jesus, 25 anos, foi assassinado com pelo menos oito tiros que acertaram diversas partes de seu corpo. Com esses dois homicídios, Itabuna registra o 8° do mês de junho e o 70° em 2017. Com informações do blog Verdinho Itabuna


Mais um caso chocante de estupro coletivo veio à tona esta semana. Dessa vez, o palco do crime sexual foi Itabuna e a vítima da barbárie foi uma adolescente de apenas 14 anos, aluna de uma escola municipal da cidade. Os criminosos, que estudam no mesmo colégio da menina filmaram o abuso e compartilharam as imagens em redes sociais.
A mãe da garota descobriu o fato na tarde da última terça-feira (30), aproximadamente duas semanas após o ocorrido. A mulher, que não quis se identificar, está muito abalada, assim como a vítima. Ela relatou que soube do estupro por meio de uma vizinha, que mostrou o vídeo no celular.


Um homem ainda não identificado, com capacete e armado com um revolver assaltou na noite dessa quinta-feira (4) a Mega Point Lan House e Lanchonete e, em seguida a lanchonete Paris Lanches, ambas situadas na Avenida Walter Passos, no centro de Ubaitaba.

Segundo informações, os assaltos aconteceram por volta das 18:30. Um homem armado invadiu os estabelecimentos comerciais enquanto outro o aguardava em uma motocicleta. A dupla fugiu levando dinheiro dos caixas e objetos pessoas dos funcionários. Ainda segundo informações, o Capitão Ramos e subcomandante da 61ª CIPM/Ubaitaba, que estava próximo ao local onde aconteceram os assaltos, no momento da fulga da dupla efetuou alguns disparos. Ninguém ficou ferido. A dupla conseguiu fugir tomando destino ignorado.(Ubaitaba.com)