A Bahia é o estado com maior número de destinos para a observação das baleias jubarte, que proporcionam anualmente, de julho a novembro, um belo espetáculo de acrobacia. Por suas águas tranquilas, o litoral baiano é escolhido como o local de permanência desses mamíferos, que chegam para acasalar e amamentar os filhotes.
Situada no Extremo Sul da Bahia, entre o mar e as terras cobertas pela Mata Atlântica, a Costa das Baleias abriga tesouro de belezas naturais como o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, considerado o maior berçário reprodutivo das baleias em todo o Atlântico Sul Ocidental. A maneira mais fácil de chegar ao local é por meio da cidade de Caravelas.
O parque figura como um dos principais pontos de permanência das baleias, ao lado de municípios como Itacaré, Porto Seguro, Prado, e localidades como Barra Grande, Morro de São Paulo, Boipeba e Praia do Forte, sendo o turismo de observação dos animais, o whatewatching, uma das alternativas de geração de renda para a população do litoral baiano.


Um dos pilares para consolidação de um turismo de qualidade, os condutores de visitantes e guias de turismo passarão a ter um cadastro e identificação a partir de agora em Itacaré.

Após reunião realizada no dia 09 de junho, no Espaço Conexão a Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Turismo e em parceria com a ACVI – Associação de condutores de Visitantes de Itacaré, foi dado o inicio ao processo de Cadastramento dos condutores de visitantes de Itacaré, antiga reivindicação da classe no município.
Na oportunidade também tratando dos seguintes assuntos:
• Capacitação;
• Padronização dos uniformes;
• Nova lei do turismo de Itacaré e COMTUR – Conselho Municipal de Turismo;
• Projeto de lei que regulamenta a atividade de condutor de visitante no município.


O aeródromo de Comandatuba, na cidade baiana de Una, passou por intervenções para receber voos regulares e a partir de agora conta com um veículo contra incêndio. Administrado pelo governo do estado através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o equipamento tem capacidade de receber aeronaves comerciais, como o Boeing 737 e Airbus 320, além de aviões executivos. Nesta semana, representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) estiveram presentes no aeródromo e realizaram inspeção no local para a liberação de voos regulares. “A expectativa é de que os voos aqueçam as viagens regionais e ampliem o turismo e a economia no interior baiano”, explica Denisson Oliveira, diretor de Terminais da Seinfra.


Após serem registrados casos de turistas que contraíram esquistossomose (shistosoma mansoni) em visita ao Poção, em Lençóis, na Chapada Diamantina, o acesso ao ponto turístico foi fechado na quinta-feira (04).  Segundo informações obtidas pela Rede Bahia, através da prefeitura de Lençóis, foram coletados amostras de caramujos no local, que fica próximo da Cachoeira do Mosquito, para serem analisados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab). A investigação sobre a doença começou após a denúncia de uma agência de turismo mineira, que alertou para os casos de turistas contaminados pelo shistosoma quatro meses depois de terem conhecido o Poção, durante o Carnaval. Segundo a secretária de turismo de Lençóis, Lilian Andrade, é possível que a contaminação do Poção esteja relacionada ao Rio Santo Antônio, que atravessa alguns municípios da Chapada Diamantina e tem população ribeirinha. O Poção fica dentro do Complexo Turístico Fazenda Santo Antônio e o acesso só deve ser liberado após o resultado da análise das amostras, caso os resultados sejam negativos. Ainda de acordo com Lilian, a Cachoeira do Mosquito, que fica no mesmo complexo e é um conhecido ponto turístico da Chapada, não tem contaminação.

Investigação
A investigação sobre a doença começou após a denúncia de uma agência de turismo mineira, que alertou para os casos de turistas contaminados pelo shistosoma quatro meses depois de terem conhecido o Poção, durante o Carnaval. Segundo a secretária de turismo de Lençóis, Lilian Andrade, é possível que a contaminação do Poção esteja relacionado ao Rio Santo Antônio, que atravessa alguns municípios da Chapada Diamantina e tem população ribeirinha que não tem saneamento básico.

“Esse e-mail da agência que veio com 32 ciclistas, foi o estopim para esse passo. Ele serviu como a própria denúncia para o governo do estado, que faz o controle de zoonoses. Nós, imediatamente, enviamos o e-mail que funcionou como uma denúncia e a Vigilância Sanitária veio fazer a coleta ontem”, explicou.

Para alguns era a primeira vez que iam na Chapada Diamantina, como o biomédico mineiro Alexandre Magno Nogueira, 33 anos. Ele também visitou o Poção e tem uma das mais graves manifestações da esquistossomose no grupo de amigos, e agora precisa ser acompanhado por um fisioterapeuta e um neurologista, já que o parasita se instalou na medula. Os primeiros sintomas começaram a parecer no grupo após 30 dias do passeio.

Em entrevista ao CORREIO, o biomédico contou que sentiu fortes dores nas costas e nas pernas, que evoluiu para a dificuldade de andar. No início, ele acreditava que a locomoção estava prejudicada por causa das dores, e só depois percebeu que estava realmente perdendo os movimentos.

No caso dele, o parasita se instalou na medula e atingiu o sistema neurológico. “Fiquei me arrastando para andar, com dificuldade e aí o quadro piorou um pouco. Eu fiquei um dia sem urinar, e sem ir no banheiro, e eu me preocupei mais”, contou. Alexandre foi submetido a exames de imagem, quando foi diagnosticado com mielite transversa esquistossomótica. Ele teve que parar de trabalhar e está fazendo tratamento com fisioterapia e um neurologista. Alexandre ficou internado por cinco dias, tomando altas doses de corticóides.

A esquistossomose é geralmente contraída após o contato de fezes humanas infectadas com caramujo que vivem em água doce, que se tornam o hospedeiro do verme. Os ovos do verme se desenvolvem dentro do caramujo e, na água, sobrevivem por 48 horas. Os vermes penetram na pele das pessoas que têm contato com a água e depois se desenvolvem dentro dos vasos sanguíneos.

Água límpida

No local, os turistas não perceberam nada de diferente, já que a água era limpa. “É um local que estava recém-aberto, a gente tava indo pra Cachoeira do Mosquito, quando falaram desse Poção. As pessoas que iam pra cachoeira e resolveram ir para lá. É um lugar bonito, não tinha como perceber nada de diferente, porque a gente não vai pensando que algo assim pode acontecer”, afirmou Marcelo Braga.

“Não percebi nada de diferente na água, que era muito límpida. Um lugar muito bonito, não ia pensar que estava infectado”, disse o biomédico Alexandre Magno. De Salvador, a professora universitária Érica Aragão, 43, também foi com a família passar o Carnaval na Chapada Diamantina e também visitou o Poção. O diagnóstico da doença veio quase dois meses depois e foi descoberto por acaso. Nas consultas, os médicos acreditavam que a família estava com um rotavírus.

“Começa como uma gripe, coceira no corpo, dois meses depois mais tosse, febre, calafrios. A gente descobriu por acaso minha filha foi internada por outro motivo e aí foi fazer investigação por esquistossomose e veio o diagnóstico”, contou Érica. Só então a família foi submetida ao tratamento específico da doença.

 Complexo turístico
O Poção fica dentro do Complexo Turístico Fazenda Santo Antônio e o acesso só deve ser liberado após o resultado da análise das amostras, caso os resultados sejam negativos. Ainda de acordo com Lilian, a Cachoeira do Mosquito, que fica no mesmo complexo e é um conhecido ponto turístico da Chapada, provavelmente não tem contaminação, visto que tem água corrente e a nascente do rio que a abastece fica próxima à queda d’água, diferente das águas do Poção.

Em nota, a prefeitura de Lençóis informou também que está tomando providências para conscientizar a população sobre a doença. “A Prefeitura de Lençóis já está tomando providências para realizar uma campanha de prevenção junto à população, incluindo as escolas do município e agentes de turismo local”, diz a nota.

De acordo com a Sesab, no ano passado foram notificados, no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), 532 casos de esquistossomose na Bahia, o que corresponde a uma redução de, aproximadamente, 25% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 703 casos. A Sesab informou que não tem dados sobre casos da doença este ano na Bahia. Correio 24Hrs.


Segundo a estimativa cerca de 40 mil passageiros deverão embarcar na Estação Rodoviária de Salvador durante este feriado do Dia do Trabalho, da próxima segunda-feira. Neste período, segundo a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia (AGERBA), as empesas irão disponibilizar 100 horários extras, além dos 540 horários regulares cumpridos diariamente. Entre os destinos mais procurados estão Itacaré, Maraú, Ilhéus, Porto Seguro, Lençóis, Vitória da Conquista e Juazeiro.

Recomendações e fiscalização:

A AGERBA recomenda aos usuários do sistema de transporte intermunicipal que evitem o transporte clandestino. Este tipo de transporte não oferece segurança, pois não é vistoriado. Nesta ocasião, equipes de fiscalização da Agência serão mantidos trabalhando em regime de Plantão no Terminal Rodoviário de Salvador, bem como em Operação Blitz nas rodovias estaduais e federais, com apoio das polícias.


A Feira da Praça acontece amanhã (20) e vai até sábado (22), sempre a partir das 18h, no centro de Itacaré. O espaço alternativo tem como objetivo ser um local para o produtor local expor seus produtos, além de um espaço de lazer e entretenimento para o turismo local. Serão quatro dias com exposição de stands, barracas, praça de alimentação, oficinas infantis de artes, música ao vivo, além de apresentações culturais e artísticas, sorteios e promoções.

Segundo o prefeito Antônio de Anízio, a proposta é garantir mais uma opção de lazer para os itacaraeenses e turistas. “ Com o final de semana prolongado, o turista pode aproveitar o dia com opções variadas de turismo, praias, cachoeiras, trilhas, arvorismo, bares e restaurantes. A noite vai conhecer a arte, a cultura a culinária de Itacaré na Feira da Cidade”, explica.

Para esse feriado a cidade já tem 80% de ocupação de hospedagem. O evento que já faz parte do calendário de turismo da cidade, acontece todo mês, atraindo um grande público.  A Feira tem a realização da Prefeitura Municipal de Itacaré, da Associação de Mulheres Empreendedoras de Itacaré e do Sindicato Municipal de Hospedagem e Alimentação de Itacaré.

Fonte: LK COMUNICAÇÃO