O norte-americano Kanoa Igarashi, 18 anos, é o campeão do Mahalo Surf Eco Festival. Ele venceu o australiano Connor O’Leary, 22, na final disputada na manhã deste domingo (01), na Praia da Tiririca, em Itacaré. Em uma final eletrizante contra o australiano Connor O’Leary, Kanoa somou notas 7.40 e 7.57 nas duas melhores ondas, contra 7.77 e 6.97 de Connor, que chegou a liderar o duelo e levou a virada nos minutos finais.

Inspirado, Kanoa Igarashi descartou notas 7.00, 6.17 e 5.93. Com a vitória, o californiano é o mais novo integrante da elite mundial. O domingo teve início com as semifinais do Mahalo Surf Eco Festival. No primeiro duelo, Kanoa travou uma batalha acirrada com o australiano Ryan Callinan, autor de 4.33 e 8.83, contra 6.83 e 8.00 do californiano.

Em seguida, o brasileiro David do Carmo deu adeus à disputa. David teve a melhor nota (6.73) no duelo contra Connor O’Leary e bateu na trave na última onda, quando buscava 6.27 e conseguiu 5.97. Informações Surf Bahia.

Kanoa Igarashi vence o Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré e garante vaga na elite mundial. Foto: Sávio Ribeiro
Kanoa Igarashi vence o Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré e garante vaga na elite mundial. Foto: Sávio Ribeiro

 

norte_americano
Kanoa Igarashi vence o Mahalo Surf Eco Festival. Foto: Sávio Ribeiro

 

Kanoa Igarashi vence
Kanoa Igarashi vence

O paulista David do Carmo salvou a pátria no sábado ensolarado com boas ondas de 2-3 pés na Praia da Tiririca lotada, sendo o único brasileiro a passar para as semifinais que vão abrir o domingo decisivo do QS 6000 Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré, no sul da Bahia. Ele despachou o costa-ricense Noe Mar McGonagle e vai enfrentar o novo recordista absoluto da etapa baiana do WSL Qualifying Series, Connor O´Leary, único que entrou na zona de classificação para o WCT em Itacaré. Outro australiano, Ryan Callinan, vai disputar a primeira vaga para a grande final na manhã do domingo com o norte-americano Kanoa Igarashi, numa bateria entre dois surfistas que estão bem próximos de confirmar seus nomes na elite dos top-34 da World Surf League.

Deus é maravilhoso e estou muito amarradão”, disse David do Carmo. “Lá em Florianópolis (SC) eu perdi cedo fazendo interferência, mas aqui estou conseguindo soltar meu surfe com as manobras de backside e estou feliz por ser o único representante do Brasil no último dia. Já vai ser o meu primeiro pódio no Circuito Mundial esse ano, então é manter a fé, me alimentar bem agora para depois treinar pra amanhã (domingo). Eu enfrentei adversários muito difíceis hoje aqui, os caras surfam muito e eu sabia que o costa-ricense (Noe Mar McGonagle) tem um surf power (forte), então procurei forçar mais ainda as manobras pra conseguir vencer”.

David foi um dos surfistas que competiram três vezes no sábado em Itacaré. Na primeira, completou uma dobradinha brasileira com o catarinense Tomas Hermes, com ambos despachando um dos seis concorrentes que tinham chances de entrar na lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series para a divisão de elite da World Surf League, o australiano Dion Atkinson. Depois derrotou o francês da Ilha Reunião, Medi Veminardi, e nas quartas de final superou o costa-ricense Noe Mar McGonagle, que tinha barrado Tomas Hermes nas oitavas de final.

MELHOR DO DIA – Seu adversário nas semifinais será o australiano Connor O´Leary, que comandou o show no sábado batendo todos os recordes do Mahalo Surf Eco Festival quando enfrentou o compatriota Michael Wright nas oitavas de final. Foi uma das melhores baterias da semana em Itacaré, com ambos dando um espetáculo de manobras modernas nas direitas da Tiririca. Connor atingiu 18,44 pontos com notas 9,57 e 8,87 e ainda descartou uma 8,50 e Michael alcançou 16,70 com notas 8,93 e 7,77. Esta vitória garantiu a entrada de Connor O´Leary na zona de classificação para o WCT, superando o francês Maxime Huscenot que ocupava a última posição na lista dos dez que se classificam pelo WSL Qualiying Series.

“Caramba, essa bateria contra o Michael (Wright) foi uma das mais difíceis, sem dúvidas. Ele é uma das maiores promessas do surfe australiano e do mundo no momento e a bateria foi muito boa de ondas”, disse Connor O´Leary. “Nós dois conseguimos tirar boas notas e somos grandes amigos. Ficamos no mesmo hotel lá em Florianópolis (SC) e aqui também, sempre jogando cartas para passar o tempo, surfando juntos todos os dias e foi muito irado porque surfamos nosso melhor na bateria. Sobre a classificação para o CT, não estou preocupado com isso agora. Estou só mantendo o foco para surfar bem e vamos ver como tudo vai terminar”.

Connor O´Leary (Foto: Daniel Smorigo – WSL)

O australiano ainda fechou o sábado com mais uma grande apresentação totalizando 17,10 pontos contra Beyrick De Vries, sul-africano que entristeceu a torcida na Praia da Tiririca ao barrar o surfista local de Itacaré, Yagê Araujo, na última bateria das oitavas de final. No ano passado, Yagê terminou em quinto lugar no Mahalo Surf Eco Festival e desta vez ficou em nono, empatado com o outro único baiano que competiu no sábado, Bruno Galini. O atleta da equipe Mahalo foi barrado pelo australiano Ryan Callinan, que vai disputar a primeira semifinal na manhã do domingo com o norte-americano Kanoa Igarashi.

VAGAS NO WCT – A classificação para o último dia foi conquistada num duelo australiano com Soli Bailey, que entraria no G-10 do QS se vencesse essa bateria. Ryan Callinan também precisava passar para se afastar da rabeira na lista e com a vitória saltou para o sétimo lugar no ranking, ficando logo abaixo de Kanoa Igarashi. Os dois estão bem perto de confirmarem suas vagas no WCT e o americano já garante seu nome se vencer o Mahalo Surf Eco Festival.

“Estou amarradão por estar nos top-10 agora, mas nunca se sabe o que pode acontecer no Havaí”, disse Ryan Callinan. “Eu acho que ainda preciso de um outro resultado bom, mas talvez uma vitória aqui possa confirmar a minha qualificação para o CT, não sei direito, mas esse é o objetivo. Estou muito feliz por ter passado para o último dia. Hoje (sábado) foi o melhor dia de ondas aqui, deu para fazer vários tipos de manobras de borda e aéreas também, então espero que amanhã (domingo) continue assim para fechar bem o campeonato”.

O americano Kanoa Igarashi também precisou mostrar o seu repertório de manobras modernas para superar os adversários no sábado. Nos confrontos homem a homem iniciados nas oitavas de final, ele primeiro derrotou o marroquino Ramzi Boukhiam e depois o argentino Santiago Muniz, que tinha feito os recordes da sexta-feira na Praia da Tiririca. Kanoa já ultrapassou a barreira dos 20.000 pontos no ranking, mas para ter sua vaga confirmada precisa da vitória na Bahia, quando atingirá 23.350 pontos para ganhar a quinta posição do brasileiro Alex Ribeiro, que já está garantido na elite dos top-34 do WCT para o ano que vem.

Kanoa Igarashi (Foto: Daniel Smorigo – WSL)

Eu acho que o Santiago (Muniz) e o Connor (O´Leary) eram os melhores surfistas do evento até agora, então eu sabia que tinha que pegar as melhores ondas para supera-lo e acredito que consegui isso”, disse Kanoa Igarashi. “Estou feliz com a minha participação nas etapas aqui do Brasil. Eu fui até as quartas de final em Florianópolis (SC), agora já estou na semifinal, então a perna brasileira está sendo muito boa para mim e espero ganhar esse evento. Sobre entrar no WCT, prefiro aguardar um anúncio oficial da World Surf League”.

BRASILEIROS ELIMINADOS – O sábado começou com vitória argentina de Santiago Muniz sobre o marroquino Ramzi Boukhiam e o taitiano Mihimana Braye e com cinco brasileiros para tentar manter a hegemonia verde-amarela de títulos na oitava edição do Mahalo Surf Eco Festival na Bahia. Na primeira rodada do dia, o catarinense Tomas Hermes e o paulista David do Carmo fizeram uma dobradinha sobre o australiano Dion Atkinson. Na disputa seguinte, o catarinense Yago Dora, semifinalista em Itacaré no ano passado, foi barrado pelo australiano Connor O´Leary e o sul-africano Beyrick De Vries. Já o local de Itacaré, Yagê Araujo, venceu a última batalha por vagas para as oitavas de final, levantando a torcida que lotou a praia na vitória sobre dois australianos, Michael Wright e Wade Carmichael.

Nos duelos homem a homem iniciados em seguida, o baiano da equipe Mahalo, Bruno Galini, não conseguiu achar as melhores ondas da bateria e foi batido pelo australiano Ryan Callinan. O argentino Santiago Muniz despachou o australiano Davey Cathels no confronto seguinte e David do Carmo derrotou o francês Medi Veminardi, mas Tomas Hermes perdeu para Noe Mar McGonagle na onda que o costa-ricense surfou no minuto final da bateria. E o itacareense Yagê Araujo também caiu para o sul-africano Beyrick De Vries. Os derrotados nas oitavas de final terminaram em nono lugar, com cada um recebendo 2.500 dólares de prêmio e marcando 1.550 pontos no ranking do WSL Qualifying Series.

Praia da Tiririca (Foto: Daniel Smorigo – WSL)

Nas quartas de final, Santiago Muniz foi eliminado por Kanoa Igarashi e David do Carmo foi o único surfista da América do Sul a conseguir classificação para o domingo decisivo do Mahalo Surf Eco Festival. O paulista da Praia Grande derrotou o costa-ricense Noe Mar McGonagle e já garantiu uma premiação mínima de 5.500 dólares e 3.550 pontos, enquanto Santiago ficou com 3.000 dólares e 2.650 pontos pelo quinto lugar em Itacaré.

FINAIS NA MANHÃ DO DOMINGO – As semifinais estão previstas para começar as 8h00 na Praia da Tiririca e o campeão será conhecido por volta das 11h00 na Bahia, 12h00 no horário de verão brasileiro. A vitória no Mahalo Surf Eco Festival vale importantes 6.000 pontos e uma bolada de 25.000 dólares, com o vice-campeão ficando com 12.000 dólares e 4.500 pontos.

Fonte: Surf Riders.


Estiveram presentes no evento diversos profissionais da imprensa especializada, da TV Bahia, Surf Bahia, jornal A Tarde, a imprensa local, como o site Itacaré Bahia.com, Itacaré Urgente, Bahia24h.com, Ubaitaba.com, Ilhéus Eventos, Maraú Notícias, Diário de Camamu, Barra Grande News, além das Assessorias de imprensa de Itacaré, do Mahalo Surf Eco Festival e do Wsl além de alguns surfistas

Também compareceu o diretor da WSL – World Surf League – no Brasil; Railton Lemos, diretor da Dêndê Produções, que promove a etapa em Itacaré, o vice prefeito da cidade, Cau Barros, o Secretário de Esporte Cultura e Lazer do município Luiz Quadros, o secretario de governo Marcelo Barros, secretário de Turismo Miguel Reis, o Secretário de Administração Jarbas Jr, o presidente da ASI – Associação de Surf de Itacaré, além do Major e do sub-comandante da 72º Cia da Polícia Militar de Itacaré.

Quem foi ao coquetel pode desfrutar do ambiente agradável à beira da piscina na Villa  Ecoporan, regado a cerveja Skol, Tapioca feita na hora, uma iguaria típica baiana que você encontra no Hotel, música boa, gente bonita e o papo, é claro, foi surf, as ondas de Itacaré, as belezas naturais, além da expectativa da festa de sábado, com Seu Jorge, Ponto de Equilíbrio, Baiana System e domingo, dia 01, com Legião Urbana que comemora os 30 anos, Cidade Negra e Nando Reis.

Aleilton Oliveira e dirigentes da Dendê produções, Guilhardo e Railton Lemos

Em entrevista ao jornalista Aleilton Oliveira, Railton Lemos, diretor da Dendê comentou sobe a expectativa do evento, do alto nível do campeonato em 2015, já que neste ano, a etapa de Itacaré é QS 6000, e comentou que para isso a sua equipe teve que se planejar muito mais pela alta exigência para a realização do evento mas que ao final, mais uma vez, a Dendê Produções deu conta do recado e  a estrutura ficou dentro do esperado e que tudo estava dando certo, no campeonato, comentou ainda sobre a importância de um evento como esse para Itacaré pois fortalece ainda mais o turismo local.

Cau Barros comentou com a imprensa sobre o evento na cidade. Fotos: Mário Nogueira

Já o vice-prefeito de Itacaré, Cau Barros, avaliou a importância do evento na cidade, e mostrou-se feliz por saber  que esse era um dos mais importantes campeonatos no Brasil e no mundo, ressaltando que o campeonato está sendo transmitido para quase todos os países do planeta, e com isso, Itacaré ganha em publicidade, o que é essencial para o aumento do fluxo turístico.

Cau lembrou ainda que a cidade está lotada de pessoas que vieram também pelo mundial e pela festa, além das belezas naturais de Itacaré e isso era uma renda a mais para o Turismo local e para a cidade que já passa por tantas dificuldades, por isso a prefeitura apóia esse evento. (Assecom Itacaré)

Veja as fotos no clique do fotógrafo Mário Nogueira;

coquetel_de_lancamento_do_surf_eco_festival


As excelentes campanhas dos baianos Bruno Galini e do itacareense Yagê Araújo no Mahalo Surf Eco Festival 2015 foram interrompidas neste sábado, na praia da Tiririca, em Itacaré (BA). Em ondas de meio metro e formação regular, a dupla foi barrada nas oitavas-de-final em duelos internacionais. Yagê apesar de toda torcida local , já Galini caiu diante do australiano Ryan Callinan.

Yagê chegou a avançar mais uma fase na manhã deste sábado com um aéreo salvador nos minutos finais, pulando de terceiro para primeiro lugar no duelo contra os australianos Michael Wright e Wade Carmichael. Mas nas oitavas-de-final não conseguiu entrar com a mesma sintonia com as ondas e viu o sul-africano Beyrick De Vries, passar de fase no campeonato com notas 8.00 e 6.23, deixando Yagê a 9.23 da vitória.

Também pelas oitavas, Bruno Galini foi eliminado por Ryan Callinan, que abriu a batalha com notas 7.00 e 4.67. Galini demorou a reagir, mas entrou na briga depois de mudar seu posicionamento no pico. Primeiro o ilheense acertou um aéreo numa onda não valorizada pelos juízes, que alegaram ao atleta que a manobra não foi completada. Em seguida, Bruno atacou uma direita com uma batida e um tail slide, descolando 6.00 pontos.

A partir daí, o baiano não conseguiu achar outra onda expressiva e saiu da água precisando de 5.68 para virar.

(Surf Bahia)


O dia amanheceu com chuva, em Itacaré, mas logo o sol apareceu para o público encher a Praia da Tiririca para assistir mais um dia de disputas decisivas Mahalo Surf Eco Festival em Itacaré, na briga pelas últimas vagas no ranking do World Qualifying Series. A batalha começou desde a primeira bateria, iniciada as 9h00 até a última do dia, encerrada as 17h com a classificação de dois concorrentes, os australianos Ryan Callinan e Soli Bailey.

Tomas Hermes segue na briga pelo título do Mahalo Surf Eco Festival. Foto Daniel Smorigo/WSL
Tomas Hermes segue na briga pelo título do Mahalo Surf Eco Festival. Foto Daniel Smorigo/WSL

Cinco brasileiros continuam na briga do Mahalo Surf Eco Festival após mais uma dia do evento com status 6000 nesta sexta-feira, em Itacaré. Os baianos Bruno Galini e o itacareense Yagê Araujo, os catarinenses Tomas Hermes e Yago Dora e o paulista David do Carmo se classificaram para o sábado que deverá apontar os semifinalistas do evento.

A sexta-feira já não começou bem para os brasileiros que estavam mais próximos da zona de classificação para o WCT. Ele foram eliminados nos primeiros confrontos do dia. A primeira baixa foi o cearense Michael Rodrigues, barrado pelo australiano Cooper Chapman e o indonesiano Oney Anwar. Na segunda bateria, o baiano Bino Lopes perdeu para o catarinense Yago Dora a briga pela segunda vaga na disputa vencida por outro australiano, Connor O´Leary.

Na seguinte, o campeão do QS 6000 de Florianópolis (SC), Deivid Silva, também ficou em terceiro contra o australiano Michael Wright e o americano Noah Schweizer. E o defensor do título do Mahalo Surf Eco Festival, Alex Ribeiro foi batido pelo também paulista Renato Galvão e o baiano Yagê Araujo na bateria que fechou a segunda fase.

Yago Dora. Foto Daniel Smorigo/WSL

Yago Dora. Foto Daniel Smorigo/WSL

Depois a chuva parou e o baiano Bruno Galini venceu a disputa pelas duas primeiras vagas para a rodada classificatória para as oitavas de final, ao superar três estrangeiros surfando boas ondas que valeram notas 8,50 e 7,57 para totalizar 16,07 pontos, contra o australiano Soli Bailey, o português Nic Von Rupp e o americano Tanner Gudauskas.

yage_araujo_itacare_01

 

OITAVAS DE FINAL

Depois, Bruno Galini voltou ao mar para disputar as duas primeiras vagas para as oitavas de final e garantiu a Bahia e o Brasil entre os 16 finalistas em Itacaré, superando o paulista Thiago Camarão no penúltimo confronto do dia, vencido pelo havaiano Kiron Jabour vencendo. No último, o australiano Ryan Callinan, que defende vaga no G-10 do World Qualifying Series, ganhou a bateria e o seu compatriota Soli Bailey seguiu com chances de entrar na zona de classificação para o WCT nesta etapa da Bahia, ao superar o francês Andy Criere. Callinan será o adversário de Bruno Galini na segunda oitava de final e Bailey está na primeira com o havaiano Kiron Jabour.

Quando a sexta-feira começou, 13 surfistas tinham chances matemáticas de ultrapassar o francês Maxime Huscenot, que fecha a lista do G-10 para completar a elite dos top da World Surf League. Sete deles perderam, inclusive os quatro brasileiros que estavam na briga, o cearense Michael Rodrigues, o baiano Bino Lopes e o paulista Deivid Silva, caíram nos primeiros confrontos do dia, ainda pela segunda fase da competição. A última esperança ficou então para outro paulista, Jessé Mendes, que acabou em último na sua bateria da terceira fase, vencida pelo sul-africano Beyrick De Vries com o australiano Wade Carmichael passando em segundo.

Bruno Galini. Foto Daniel Smorigo/WSL

RESULTADOS DO MAHALO SURF ECO FESTIVAL:
Quarta fase (1º e 2º=Oitavas de Final/3º=17º lugar e 1.050 pontos e US$ 2.000 de prêmio:
1ª: 1-Kiron Jabour (HAV)=13.17, 2-Bruno Galini (BRA)=11.50, 3-Thiago Camarão (BRA)=8.17
2ª: 1-Ryan Callinan (AUS)=13.40, 2-Soli Bailey (AUS)=10.37, 3-Andy Criere (FRA)=9.50

Baterias que vão abrir o sábado:
3ª: Santiago Muniz (ARG), Ramzi Boukhiam (MAR), Mihimana Braye (TAH)
4ª: Kanoa Igarashi (EUA), Evan Geiselman (EUA), Davey Cathels (AUS)
5ª: Noe Mar McGonagle (CRI), Medi Veminardi (REU), Marco Giorgi (URY)
6ª: Dion Atkinson (AUS), Tomas Hermes (BRA), David do Carmo (BRA)
7ª: Connor O´Leary (AUS), Beyrick De Vries (AFR), Yago Dora (BRA)
8ª: Wade Carmichael (AUS), Michael Wright (AUS), Yagê Araujo (BRA)

TERCEIRA FASE – (3º=25 lugar, US$ 1.300 e 700 pts/4º=37º lugar, $ 1.200 e 650 pts):
1ª: 1-Bruno Galini (BRA), 2-Soli Bailey (AUS), 3-Nic Von Rupp (PRT), 4-Tanner Gudauskas (EUA)
2ª: 1-Kiron Jabour (HAV), 2-Ryan Callinan (AUS), 3-Hiroto Arai (JPN), 4-Ezekiel Lau (HAV)
3ª: 1-Andy Criere (FRA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Ian Gouveia (BRA), 4-Leandro Usuna (ARG)
4ª: 1-Mihimana Braye (TAH), 2-Davey Cathels (AUS), 3-Michael February (AFR), 4-Matheus Navarro (BRA)
5ª: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Kanoa Igarashi (EUA), 3-Derek Peters (EUA), 4-Jadson André (BRA)

6ª: 1-Evan Geiselman (EUA), 2-Ramzi Boukhiam (MAR), 3-Granger Larsen (HAV), 4-Nomme Mignot (FRA)
7ª: 1-Noe Mar McGonagle (CRI), 2-David do Carmo (BRA), 3-Ricardo Christie (NZL), 4-Lucas Silveira (BRA)
8ª: 1-Medi Veminardi (REU), 2-Dion Atkinson (AUS), 3-Robson Santos (BRA), 4-Joan Duru (FRA)
9ª: 1-Tomas Hermes (BRA), 2-Marco Giorgi (URY), 3-Rafael Teixeira (BRA), 4-Leonardo Fioravanti (ITA)
10: 1-Beyrick de Vries (AFR), 2-Wade Carmichael (AUS), 3-Jessé Mendes (BRA), 4-Marco Fernandez (BRA)
11: 1-Connor O´Leary (AUS), 2-Yagê Araujo (BRA), 3-Noah Schweizer (EUA), 4-Cooper Chapman (AUS)
12: 1-Michael Wright (AUS), 2-Yago Dora (BRA), 3-Oney Anwar (IDN), 4-Renato Galvão (BRA)

SEGUNDA FASE (3º=49º lugar, 400 pontos e US$ 550/4º=73º lugar, US$ 450 e 370 pts):
Baterias que abriram a sexta-feira:
21: 1-Cooper Chapman (AUS), 2-Oney Anwar (IDN), 3-Ian Crane (EUA), 4-Michael Rodrigues (BRA)
22: 1-Connor O´Leary (AUS), 2-Yago Dora (BRA), 3-Bino Lopes (BRA), 4-Ian Gentil (HAV)
23: 1-Michael Wright (AUS), 2-Caetano Vargas (BRA), 3-Deivid Silva (BRA), 4-Brent Dorrington (AUS)
24: 1-Renato Galvão (BRA), 2-Yagê Araujo (BRA), 3-Alex Ribeiro (BRA), 4-Weslley Dantas (BRA)

Fonte: Noticias do Mar/Com informações João Carvalho – WSL South America Media Officer


No mar, os atletas do Mahalo Surf Eco Festival seguem disputando a competição que vale 6.000 pontos para o ranking mundial do WSL Qualifying Series. Mas, em terra firme, uma prancha bem menor também vem fazendo sucesso entre os frequentadores do evento.

É que a praia da Tiririca também tem sido um reduto de skatistas, graças à presença de um bowl (pista em forma de bacia) que acabou de ser revitalizado por uma ação da Edye Extreme CO. Reparo nos buracos, acabamento no cooper e nova pintura foram as ações realizadas pela marca na pista, que está aberta ao público desde terça-feira.

Mas neste sábado, 31, a brincadeira vai ficar um pouco mais séria. A partir das 16 horas, a marca realiza o Best Trick Festival, competição livre que irá premiar um atleta profissional ou amador com um kit de equipamentos e acessórios.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no próprio local, uma hora antes do início do campeonato, com vagas limitadas a 50. “Dependendo do número de atletas, vamos dividir por baterias e o campeonato vai ser de melhor manobra. A premiação está gorda”, estimula Santil Rodrigo, responsável pela ação.

O objetivo, ele diz, é valorizar, estimular, e difundir a cultura do skate na Bahia. Ex-presidente da Federação Baiana de Skate e atleta da Mahalo, Rodrigo também irá coordenar a comissão julgadora. (A Tarde)


No dia em que as principais estrelas estrearam na segunda fase da etapa baiana do QS, na Praia da Tiririca, em Itacaré, apenas 10 dos 19 envolvidos na briga pelas últimas vagas na elite do surfe para a próxima temporada avançaram para a rodada dos 48 melhores. Dos vitoriosos desta quinta-feira, apenas o norte-americano Kanoa Igarashi e o australiano Ryan Callinan estão na lista dos 10 surfistas que sobem pelo ranking da divisão de acesso. O francês Joan Duru, o americano Evan Geiselman, os australianos Davey Cathels, Dion Atkinson e Soli Bailey, o brasileiro Jessé Mendes, o costa-ricense Noe Mar McGonagle e o havaiano Ezekiel Lau também seguem vivo nas disputas que recomeçam nesta sexta-feira, a partir das 8h de Itacaré, (9h pelo horário de verão).

Mas a quinta-feira não foi só dos gringos, e começou com uma vitória brasileira. Logo na primeira bateria do dia, o baiano Bruno Galini levou a melhor sobre os conterrâneos Franklin Serpa e Iago Silva e o havaiano Kiron Jabour. Com um somatório de 14,67 pontos, Galini repetiu a vitória conquistada no confronto que abriu a oitava edição do campeonato e avançou ao lado do havaiano.

– Eu estava liderando a bateria, mas com uma segunda nota baixa, fiquei preocupado sabendo que o Kiron poderia virar a qualquer momento. Ele ficou segurando o Franklin e entrou uma onda pra mim na prioridade (de escolha da próxima onda) dele, que deixou passar e eu acreditei na onda pra fazer uma nota boa que me tranquilizou na liderança – explicou o surfista, que comentou sobre o fato de três baianos estarem abrindo a segunda fase em Itacaré.

– É verdade, quase não têm baianos no evento e cai logo três assim na mesma bateria. Lembrou até as etapas do Circuito Baiano que a gente corre aqui. Estou feliz pela vitória, mas pena que só eu passei.

Além de Bruno, outros 11 brasileiros avançaram à terceira fase e seguem vivos na competição. Quem também passou foi o norte-americano Kanoa Igarashi. Sexto colocado no ranking e cada vez mais perto de garantir presença na elite do surfe mundial na próxima temporada, destacou o equilíbrio da disputa e a difícil escolha de ondas na Praia da Tiririca nesta quinta-feira.

– Foi uma bateria bem difícil. Não foi fácil escolher as ondas boas com potencial para tirar notas altas. Queria poder pegar mais ondas e fiquei mais afastado dos outros surfistas quando não estava com a prioridade. Acabei tirando uma nota 7,17 sem a prioridade e estou amarradão por ter passado. Estou perto de me qualificar para o CT, mas esse não era um objetivo meu no início do ano, então só em ter essa possibilidade me deixa feliz. Eu ainda sou bem jovem e nem acredito que estou entre os 10 melhores no momento – disse o americano.

Sexto colocado no ranking do QS, Kanoa vence e avança em Itacaré (Foto: Daniel Smorigo)Sexto colocado no ranking do QS, Kanoa Igarashi vence e avança em Itacaré (Foto: Daniel Smorigo)

O QS de Itacaré vale 6.000 pontos no ranking de acesso ao Circuito Mundial. O paulista Caio Ibelli, que já tem vaga garantida na elite em 2016, não conseguiu chegar a tempo de Portugal e está fora da segunda fase na Bahia. Ele foi substituído por Franklin Serpa.

A disputa em Itacaré é a terceira de duas etapas da perna brasileira de fim de ano da divisão de acesso. O primeiro foi o QS 6000 de Florianópolis, vencido pelo paulista Deivid Silva, no domingo. Fechará a série o QS 1000 de Maresias (SP), entre 2 e 9 de novembro.

Apesar de a disputa ser no Brasil, o evento reúne representantes de 24 países, e os estrangeiros serão maioria. Foram inscritos 101 gringos e 43 brasileiros. A Austrália, com 20 surfistas, e os Estados Unidos, com 18, dominam a chave de 144 competidores.

Fonte: Globo Esporte.com