Em solenidade realizada na noite deste sábado, em Taboquinhas, tomou posse o novo diretório do Partido dos Trabalhadores de Itacaré, que a partir de agora tem como presidente o advogado e secretário municipal de Meio Ambiente, Cosme Nunes. A solenidade contou com a presença do prefeito Antônio de Anízio, vereadores, secretários municipais, representantes de vários partidos políticos, membros do diretório, filiados antigos e novos que agora se integram à luta do PT, representantes de movimentos sociais, imprensa e a comunidade de Taboquinhas, Itacaré e da zona rural que acreditam no fortalecimento do partido no município, na Bahia e no Brasil.

O prefeito Antônio de Anízio ressaltou as transformações sociais e os avanços econômicos e na geração de emprego e renda promovidas pelo Partido dos Trabalhadores ao longo dos anos no Brasil, na Bahia e em Itacaré. Fez questão de destacar o jeito petista de governar, com responsabilidade, competência e olhando principalmente para aqueles que mais precisam. Também chamou a atenção para as perseguições e da campanha difamatória e injusta que o Partido dos Trabalhado vem sofrendo pela mídia, mas que tudo isso tem encorajado o povo brasileiro a lutar pelo retorno das conquistas e direitos trabalhistas e sociais. Também falou das transformações realizadas no Brasil pelo ex-presidente Lula, continuando com a ex-presidenta Dilma e na Bahia iniciado pelo ex-governador Jaques Wagner e que Rui Costa tem dado continuidade com competência, responsabilidade e compromisso com os baianos.


Ex prefeitos de Ubaitaba, Dário Meira e Barra do Rocha também não teriam prestado contas.

O ex-prefeito de Itacaré, Jarbas Barbosa (PSB), e o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Itacaré, Edson Arantes – Nego (DEM), não prestaram contas do exercício de 2016 no prazo previsto em lei, segundo o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Todos devem sofrer punição por parte da corte de contas e serem denunciados pelo Ministério Público Estadual (MP-BA), por crime de improbidade administrativa.

Mais nove ex-prefeitos de municípios do sul e centro-sul da Bahia deixaram de prestar contas do exercício de 2016 no prazo previsto em lei, segundo o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

De acordo com o TCM, os ex-prefeitos sul-baianos que deixaram de prestar contas foram Jarbas Barbosa de Itacaré, Jorge Rodrigues, o Jorjão de Itajuípe, Alba Gleide de Almadina, Valnio Muniz de Jussari, Gilnay Santana de Ibicuí, Vera Franco de Barra do Rocha, Jackson Bomfim de Santa Cruz da Vitória, Fernanda Silva de Uruçuca, Asclepíades de Almeida, o Beda de Ubaitaba e João Sampaio de Dário Meira.

Além dos ex-prefeitos, os ex-presidentes das câmaras de vereadores de Itacaré (Edson Arantes, o Nego) e Ubatã (Fernando Fernandes) deixaram de fazer a prestação de contas atá o dia 31 de maio, prazo final.

De acordo com o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em todo o estado, 39 ex-prefeitos, nove ex-presidentes de câmaras de vereadores e dois dirigentes de autarquias não cumpriram o que determina a lei.

O presidente do TCM, conselheiro Francisco de Souza Andrade Netto, alerta que, mesmo com atraso, os gestores ainda devem fazer a prestação de contas. Os gestores que não entregarem a documentação também serão punidos com a rejeição e multados depois da tomada de contas.

Fonte: Itacaré Informa


Um dia após a Justiça Federal em Brasília conceder prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, o Ministério Público Federal (MPF) voltou a ingressar com um pedido de prisão preventiva do político baiano. Enviado à 10ª Vara Federal nesta quinta-feira (13), o pedido foi feito pela força tarefa da Operação Greenfield – que também é responsável pelas operações Sépsis e Cui Bono – e será analisado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, o mesmo que, na semana passada, negou o pedido de revogação da prisão preventiva apresentado pela defesa do ex-ministro. Na petição, os promotores apresentam elementos que consideram que o desembargador Ney Bello, da Segunda Instância da Justiça Federal, não levou em conta ao conceder a prisão domiciliar a Geddel. Como, por exemplo, depoimento recente e inédito prestado pelo doleiro Lúcio Funaro, que acusa o ex-ministro da prática de exploração de prestígio ao tentar interferir no trabalho do Poder Judiciário. Ao transferir Geddel para o regime de prisão domiciliar, o desembargador Ney Bello condicionou sua decisão às exigências do ex-ministro não fazer contato, por qualquer meio de comunicação, com outros indiciados, denunciados ou investigados no processo a que ele responde. A proibição vale também para os parentes dos outros réus ou suspeitos. Além disso, Geddel deverá usar tornozeleira eletrônica, sendo monitorado remotamente.


O ex-ministroGeddel Vieira Lima (PMDB-BA) foi preso nesta segunda-feira (3) pela Polícia Federal. A prisão ocorreu em Salvador, onde ele reside. Geddel foi citado nas delações da JBS como interlocutor do presidente Michel Temer para assuntos relacionados à empresa. A detenção preventiva foi ordenada pelo juiz federal Vallisney Oliveira, no âmbito da Operação Cui Bono, que investiga irregularidades na Caixa Econômica Federal. O peemedebista estaria tentando obstruir as investigações.


O Itacareense Edson dos Santos Silva e um menor foram presos na tarde desta terça-feira (27), no Bairro  Califórnia,  na cidade de Itabuna. Segundo o site Verdinho de Itabuna, uma guarnição Águia da Base de Segurança abordou os homens que estavam em uma bicicleta.Com eles um revólver foi apreendido. A dupla é suspeita de cometer assaltos na cidade. Os suspeitos foram apresentados na delegacia de Itabuna e a arma foi apreendida.