A CIPE Cacaueira (antiga CAERC) estava em ronda de rotina na BR 101 quando avistaram um carro passar em alta velocidade. Após persegui-los e um rápido tiroteio na madrugada desta sexta feira (10), os bandidos abandonaram o carro roubado no trevo e evadiram-se do local, caindo dentro da mata.

Dentro da carro estavam materiais de uso para roubo de caixa eletrônicos, os instrumentos como marretas, pé de cabra, alicate industrial. A Polícia acredita que os bandidos seguiam para roubar os bancos de Ubaitaba.

O corsa Classic, placa de Itabuna, NZE 7849, está agora a disposição da justiça para ser recuperado pelo dono do veículo. (Aleilton Oliveira/Ubaitaba.com)


A Diocese de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, informou nesta sábado (28) o afastamento de um padre que teve fotos em que aparece nu divulgadas no WhastApp, aplicativo de troca de mensagens pela internet. De acordo com os bispos responsáveis pela Igreja local, as fotos teriam sido divulgadas por uma mulher que declarou ter se relacionado com o padre de 40 anos pelo menos três vezes através de redes sociais. “Estamos investigando a gravidade do assunto, mas apenas o ato dele ter tirado a foto já é matéria contra o mandamento da Igreja Católica, constitui crime e exige punição”, afirmou o Bispado de Campos dos Goytacazes. Segundo o site G1, os moradores da cidade de Miracema, no Noroeste do Rio de Janeiro, ficaram “chocados” com as fotos, que começaram a circular na última semana.


Um casal foi preso nesta sexta-feira (27) com 197 cartões de benefícios e as respectivas senhas em Amargosa, no Vale do Jiquiriçá. Os estelionatários ainda tinham 25 folhas de cheque com valores diferentes, diversas notas promissórias e R$ 1.254 em espécie. De acordo com a investigação da Polícia Civil, os suspeitos atuavam há mais de oito anos na região. Segundo o G1, o homem de 53 anos e a companheira dele, de 30, foram presos em flagrante ao sacar o benefício de um dos clientes na agência da Caixa Econômica Federal do município.O casal emprestava dinheiro a juros de 20% e ficava com os cartões de benefícios dos clientes para quitar a dívida no dia do saque do benefício.

A polícia detalhou que, no momento da entrega do empréstimo, o cartão do benefício, junto com a senha, ficavam em posse dos suspeitos e, no momento do saque, o casal retirava o valor emprestado com o juros e devolvia o restante ao cliente. Caso a dívida ainda não tivesse sido quitada, ou a pessoa solicitasse novo empréstimo, os cartões eram retidos com os suspeitos. De acordo com um dos policiais que participou da operação, batizada de “Essa Bolsa é Minha”, o casal era investigado há cerca de seis meses. (Giro em Ipiaú)