Antônia Lúcia Teixeira Neves, de 47 anos, foi assassinada por volta das 22h deste sábado (25) no Bairro do Lajedo, em Ubatã. Segundo informações preliminares, Antônia foi assassinada com pedradas na cabeça e em várias regiões do corpo, isso porque foram encontradas pedras sujas de sangue no local. Há a hipótese ainda de a vítima ter sido também esfaqueada. Um laudo do Departamento de Polícia Técnica (DPT) deve ficar pronto em até 30 dias e apontará as causas da morte. O local do assassinato fica a poucos metros de um outro assassinato ocorrido em março deste ano, quando bandidos armados assassinaram a tiros o ex-candidato a vereador de Ubatã, Américo Nascimento de Jesus, de 38 anos. Em tempo, com o assassinato ocorrido neste sábado, o município de Ubatã já contabiliza 05 homicídios ocorridos em 2015. Fonte: Ubatã Notícias.


O ex-meia Piá, com passagens por Corinthians, Ponte Preta e Santos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar de Americana, na tarde deste sábado, após instalar dispositivos de “pescar” envelopes num caixa eletrônico de uma agência na Avenida Cillos. Ele foi levado para a Central de Polícia Judiciária da cidade, onde será registrada a ocorrência. É a segunda vez que Piá é detido por tentativa de furto a caixa eletrônico.
A PM chegou ao local após uma denúncia anônima de um cliente da agência. Após a prisão, a Polícia Militar entrou em contato com a empresa de monitoramento para se certificar que o equipamento havia sido instalado. A resposta foi que, além da ação em Americana, Piá também foi visto pelas imagens em um banco de Limeira. Outros dispositivos estavam escondidos presos ao teto do veículo dele.

Em janeiro do ano passado, o ex-jogador passou 21 dias no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia depois de ser indiciado por tentativa de furto qualificado a um caixa eletrônico de Campinas. Foi liberado após a Justiça conceder habeas corpus e respondia o processo em liberdade provisória. Piá também já tinha ficha por porte de drogas e de arma e falta de pagamento de pensão
O ex-meia já teve o nome envolvido em outros casos policiais. A primeira aconteceu em julho de 1999, quando ele, então atleta da Ponte Preta, foi indiciado como coautor do assassinato de um mecânico, em uma lanchonete de Limeira. A acusação era que Piá foi o responsável por dar a ordem para um primo pegar o revólver em seu carro e atirar na vítima. Ele foi absolvido.

Aos 40 anos, Piá parou de jogar em 2011, pelo Aparecidense-GO. O último trabalho foi pelo União São João de Araras, ano passado, como auxiliar técnico. O auge da carreira foi entre 1999 e 2003, quando fez parte dos times da Ponte que atingiram as semifinais do Paulistão e também da Copa do Brasil e as quartas do Brasileirão.

Além de Macaca, Corinthians e Santos, defendeu, entre outros clubes, Portuguesa, Santa Cruz, Coritiba, Inter de Limeira, Bragantino, São Raimundo, Rio Preto e Independente de Limeira. (Globoesporte.com)


No dia 24 de abril de 2015, por volta das 01 hora, uma guarnição do PETO recebeu a informação de que havia uma pessoa do sexo masculino, bastante alterado e ameaçando moradores no distrito de Taboquinhas. Ao chegarem no local os policiais realizaram a abordagem e busca pessoal no referido suspeito, de nome Agnaldo Cruz dos Santos, vulgo Nadão, com ele foi encontrado uma espingarda de fabricação artesanal, 18 (dezoito) buchas de maconha e 01 (um) tablete pequeno de maconha. O envolvido e todo o material foi entregue e apresentado na DT de Itacaré.


Uma guarnição da Polícia Militar prendeu, na tarde desta sexta-feira (24), no Monte Serra, zona rural do município de Ibirapitanga, o idoso Renato Biano dos Santos, de 69 anos. Segundo informações da PM, o idoso foi flagrado beijando uma criança de apenas 08 anos. O crime foi flagrado pelo pai da menor, que teria inclusive gravado um vídeo com a cena. O pai da criança junto com alguns familiares imobilizaram o idoso e acionaram a PM, que realizou a condução de Renato Santos até o Complexo Policial de Ubatã. O idoso pode ser indiciado por estupro. O delegado da Delegacia Territorial de Ubatã, Adelino Loyola, conduz as investigações. *Informações do Ubatã Notícias.


Desmatamentos, esgotos despejados nos rios e nas praias, sem nenhuma espécie de tratamento, comercialização ilegal de madeiras de lei, aterros irregulares, invasões de manguezais, dentre outros tantos.

Muitas vezes ficamos a nos questionar: Onde estão as autoridades ambientais, que pouco fazem ante tais situações.

Porém, um caso ocorrido nesta semana, e noticiado aqui no Ilhéus 24h, suscitou ações imediatas por parte da polícia ambiental.

Sim, o pescador ilheense que capturou um tubarão martelo, possivelmente para a sua própria alimentação, está sendo procurado. Tal espécie, segundo informações, está na lista de animais em risco de extinção.

É óbvio que não estamos defendendo que crimes ambientais sejam cometidos, porém, achamos estranho o fato de que, quando as pessoas envolvidas nos referidos crimes, a exemplo de um hotel situado no litoral sul, que despeja milhares de litros de esgoto no mar, são gente de “posses”, nada acontece. Ou pelo menos aparentemente, paira o sentimento de impunidade.

Pois é cara polícia ambiental, faça seu papel. Agora, só não faça valer um velho e lamentável ditado: Dois pesos, duas medidas?

Estamos de olho!

(Ilhéus 24hrs)


Uma família de Paranaguá, no litoral do Paraná, se surpreendeu ao fazer um churrasco no feriado de Tiradentes, na última terça-feira (21). A moradora da casa afirmou que comprou linguiça recheada de maconha em um supermercado da região. “Ela só percebeu a substância quando colocou a linguiça, tipo toscana, para assar. Ela contou que o cheiro exalou pela casa toda e chamou a atenção de quem participava do churrasco”, explicou o delegado Nilson Santos Diniz. A mulher procurou a delegacia para fazer a denúncia e registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.). O produto foi apreendido pela polícia na manhã de quarta-feira (22), de acordo como G1, e será encaminhado para perícia. O delegado explicou que ainda não há confirmação de que a substância se trata de maconha e que por isso é necessário aguardar a conclusão da perícia. “Se for constatado que, de fato, é maconha, seria uma conduta prevista na lei de drogas. Se não for maconha, se for qualquer outro tipo de substância, poderia caracterizar um crime contra relação de consumo”, explicou Diniz. A pedido da polícia, que está investigando o caso, o nome do supermercado não foi divulgado.