O ator Fabio Assunção pediu desculpas neste sábado (24) pelo episódio que culminou com sua detenção pela polícia na madrugada de hoje, em Arcoverde, Pernambuco. No Instagram, ele publicou um texto em que afirma que se excedeu durante uma briga e afirma que não fez “uso de nenhuma droga ilícita”. Ele foi autuado por desacato, desobediência, resistência e dano ao patrimônio público. O ator pagou dez salários mínimos de fiança (R$ 9.370) e vai responder em liberdade, segundo o Jornal do Comercio.


Um vídeo chocante mostra o momento em que um burro é jogado como alimento para tigres em um zoológico na China. Nas imagens, homens vestindo uma capa vermelha podem ser vistos empurrando o animal em um rampa, fazendo-o descer à força, antes de cair na água do espaço, localizado no zoo de Changzhou, leste da China. O burro ainda tenta desesperadamente se agarrar à rampa antes de cair na água e ser atacado pelos felinos.


Causou estranheza a quem passou pela Pituba e verificou que a placa da obra de requalificação da rua, foi colocada com data de inicio de 01 junho de 2016 e com termino de 01 de Dezembro de 2016. Sendo que a obra foi iniciada dia 17 de abril. O fato vem causando muita polêmica nas redes sociais.

Segundo informações, a placa foi reutilizada e plotada com informações da obra, porém o responsável não se atentou ao detalhe que a data estava errada. O Ademar Sá secretário de desenvolvimento urbano, se pronunciou em uma rede social, que já foi providenciada a correção, e que a obra segue em um bom ritmo, e que na próxima segunda-feira (15), começam as calçadas laterais com os intertravados que já estão sendo entregues e em breve o bairro, vai ficar de cara nova e muito mais bonito.

Abaixo fotos atuais tiradas na tarde desta sexta-feira (12), e enviada a nossa redação:

Lembrando que a Obra, é um convenio firmado com o Ministério do Turismo, através da Caixa Econômica Federal, no valor de 500 mil reais, e a gestão atual modificou o projeto inicial de forma a melhor atender aos anseios da população e viabilizar a execução total da intervenção, que compreende um trecho de aproximadamente 1.400 metros entre a praça Santos dos Cachorros e a rótula de acesso à avenida principal do loteamento Conchas do Mar, no final da Praça da Mangueira.

 

 


Apesar das piadas sobre o tamanho das mochilas “gigantes” fornecidas pela prefeitura de Jequié, no sudoeste da Bahia, para alunos da rede municipal, incluindo os da creche, os pais dos alunos defenderam o utensílio. “Cabe tudo o que ele vai necessitar durante o dia na creche”, diz Vanessa Pereira, mãe de um aluno. O comerciante Sandoval Xavier da Silva também aprovou as mochilas. “Muitas pessoas não têm condição de comprar o material da criança. Já é uma boa ajuda”, diz. A dona de casa Maria Aparecida tem duas filhas na rede municipal. A mais nova tem altura de 90 cm, enquanto a mochila mede 45 cm. Mesmo assim, ela não vê problemas no tamanho do material. “É grande, mas cabe todas as coisinhas dela”, afirma. De acordo com o ortopedista Aloisio Alan Fernandes, crianças com idade entre 3 e 5 anos não devem levar mochilas para a escola, apenas uma lancheira. “Uma mochila muito grande, quase pegando no chão, forçando demais a coluna para trás, pode trazer transtornos de dores imediatas e pode trazer transtornos futuros”, explicou. As mochilas de Jequié ficaram entre os cinco assuntos mais comentados de uma rede social, nesta terça-feira (9). O caso virou “meme”, que é quando um assunto viraliza na rede, ganhando adaptações com referências criativas. Segundo o secretário da Educação da cidade, Roberto Gondim, o tamanho das mochilas não foi pensado para os estudantes das creches. “Se tiver que admitir que poderíamos ter planejado um quantitativo de mochilas menores, eu não tenho nenhuma dificuldade em reconhecer isso. Mas acho que o brilho da iniciativa e da conquista deste conjunto precisa ser valorizado”, afirma. *Informações do G1


Após grande repercussão nas redes sociais que a obra havia sido paralisada, hoje pela manhã, homens e maquinas iniciaram, agora em todo vapor, as obras de requalificação da Rua da Pituba, em Itacaré, e em breve o bairro, vai ficar de cara nova e muito mais bonito. Nesta semana continuam sendo retirados os paralelepípedos antigos para que o local possa ganhar uma nova pavimentação, muito mais bonito e com acessibilidade. Também está sendo feita a alvenaria de contenção na lateral da rua. A previsão é de que as obras sejam concluídas em seis meses.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, explica que a obra de requalificação urbana da rua Pedro Longo, também conhecida como Projeto Calçadão da Pituba, é uma ação da administração municipal com o objetivo de readequar a referida rua como espaço de uso coletivo, privilegiando os pedestres e a sua utilização como espaço de circulação e lazer pela população local e pelos visitantes, considerando a vocação turística da cidade.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Ademar Sá, informou que, visando a implementação dessa obra, a prefeitura de Itacaré firmou um convênio com o Ministério do Turismo, através da Caixa Econômica Federal, no valor de 500 mil reais, e a gestão atual modificou o projeto inicial de forma a melhor atender aos anseios da população e viabilizar a execução total da intervenção, que compreende um trecho de aproximadamente 1.400 metros entre a praça Santos Dummont e a rótula de acesso à avenida principal do loteamento Conchas do Mar, no final da Praça da Mangueira.


Nesta terça-feira (18), os vereadores Charliane (PTB) e Guinho (PDT) estiveram na Viação Sorriso da Bahia, empresa de ônibus que tem concessão do transporte coletivo de Itabuna. Os vereadores não foram recebidos pela direção da empresa e saíram bastantes chateados com a postura dos empresários. Segundo Guinho, ele e Charliane foram cobrar a nova frota dos ônibus prometida pela empresa depois de vencido os 15 dias de prazo. Os vereadores, assim que saíram da sede da empresa, foram até ao gabinete do prefeito Fernando Gomes (DEM), relatar sobre a postura da empresa. (PSB)


No local trabalham 03 pessoas e diariamente recebe uma grande quantidade de clientes e, segundo o site Ubaitaba Urgente, está prestes a desabar e ninguém toma uma providência.

Nas últimas eleições no Estado, várias lideranças brigaram entre si, não para reformar o prédio e sim para ocupar o comando do órgão na cidade.

Além da precariedade na estrutura do prédio, falta mão-de-obra, computadores, material de expediente e estrutura para o trabalho diário. Fonte: Ubaitaba.com