Dois pesquisadores do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) descobriram o vírus causador da doença cujos sintomas são semelhantes aos da dengue e que vem assustando a população baiana: o Zika Vírus, que é transmitido pelos mosquitos aedes aegypti, aedes albopictus e outros tipos de aedes.

De acordo com Gúbio Soares, pesquisador que fez a descoberta junto com Silvia Sardi, é a primeira vez que o vírus é identificado na América Latina, sendo mais comum na África e Ásia. A dupla suspeita que o vírus chegou à Bahia por causa da Copa do Mundo de Futebol, realizada em 2014 no Brasil.

“A Copa atraiu pessoas do mundo inteiro. Então acreditamos que algumas pessoas que estavam infectadas foram picadas pelos moquitos trasmissores, e o vírus foi passado para outras pessoas”, diz.

A identificação do vírus foi realizada nesta semana, após a dupla de pesquisadores trabalhar por cerca de 20 dias em amostras de sangue de pacientes de Camaçari, cidade da região metropolitana de Salvador, por meio de uma técnica chamada RT-PCR, que amplifica o material genetico do virus, através de reagentes, aumentando o sinal deste material genético.

Segundo Gúbio, o Zika Vírus causa um quadro muito parecido com o da dengue, em que o paciente pode apresentar sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo. Porém, este novo vírus é mais fraco e os sintomas mais brandos.

“Zika Vírus não é tão grave quanto dengue ou chikungunya, não leva o paciente à morte. O quadro parece alérgico, é mais tranquilo e o tratamento é o mesmo”, explica o pesquisador. Além destes sintomas, o paciente pode apresentar sinais de conjuntivite.

“O tratamento é o mesmo para dengue: Paracetameol. Você não combate o vírus. Isto quem faz é o seu organismo. Você combate os sintomas”, afirma Gúbio.

A descoberta de Gúbio e Silvia derruba as duas hipóteses levantadas pela Vigilância Epidemiológica e a Secretaria de Saúde de Camaçari, para explicar a doença. No último mês de março, os dois órgãos suspeitavam que o sintomas seriam causados por roséola ou parvovírus-B19.

Gúbio acrescenta que, em geral, os sintomas duram cerca de 12 dias até desaparecerem. “O importante é procurar um médico, assim que os sintomas começarem”, diz.

Fonte: G1


Itabuna é a segunda cidade que mais informou casos de AIDS no estado neste ano. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o vírus da doença foi detectado em 95 pessoas submetidas a exames no município. Salvador lidera em notificações, no qual foram detectadas 283 pessoas, dentre elas, 5 crianças.

Segundo informa o Jornal A Região, Teixeira de Freitas, Santo Antônio de Jesus, Porto Seguro, Feira de Santana, Jequié, Juazeiro e Camaçari também seguem no ranking dos municípios com grande número notificações de casos de AIDS. Segundo os dados, 26 pessoas com vírus da AIDS já morreram na Bahia neste ano. (Radar Notícias)


O ator Rubens Sabino Silva, de 30 anos, que interpretou o traficante Neguinho, no filme “Cidade de Deus” foi encontrado, nesta quarta-feira, entre centenas de usuários na área conhecida como cracolândia, durante uma operação da Prefeitura de São Paulo no centro da cidade. Rubens foi surpreendido pela chegada de policiais militares que foram chamados para conter os dependentes de crack que tentavam impedir a retirada das barracas montadas no local para o consumo da droga. Houve confusão e resistência por parte dos usuários que atearam fogo em papelões interditando ruas da região da Luz. Em resposta, a PM disparou bombas de efeito moral. No confronto, dois homens foram atingidos por tiros e levados para o pronto-socorro da Santa Casa. Segundo a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, a polícia reagiu após ser agredida por moradores de rua. Rubens Sabino Silva não se feriu na confusão. Porém, durante a ação, o ator conversou com o ex-senador Eduardo Suplicy, que acompanhava a retirada dos usuários de drogas do local. Vivendo na rua há dez anos, Rubens chegou a praticar crimes quando vivia no Rio de Janeiro para manter o vício. Em 2003, foi preso ao roubar uma bolsa, em um ônibus. Após ser solto, Rubens buscou ajuda para ser internado numa clínica de reabilitação, entretanto, voltou a consumir crack ao deixar o tratamento, como informou o jornal O Dia. De acordo com a Prefeitura de São Paulo, 150 pessoas que estavam no local foram hospedadas em hotéis e serão encaminhadas para vagas de trabalho e cursos profissionalizantes.


Por unanimidade, a Câmara dos Vereadores de Salvador aprovou, na tarde de ontem, o projeto de lei do Executivo Municipal 109/2015, que altera a Lei 8.742/2013, estabelecendo auxílio de até três salários mínimos para vítimas de alagamentos, deslizamentos, desabamentos e incêndios. A ajuda emergencial vem depois de 15 mortes em deslizamentos de terra nas localidades de Barro Branco, em San Martin, e Marotinho, no Bom Juá. A lei deverá ser sancionada hoje. Apesar das diversas ressalvas que foram feitas ao projeto pela bancada de oposição, ninguém se opôs à aprovação. Para o vereador Luiz Carlos Suíca (PT), os oposicionistas entenderam que o principal, no momento, é amenizar o sofrimento das famílias que perderam casas e tiveram parentes soterrados ou mortos em situações trágicas. Os petistas Suíca, Arnando Lessa, Vânia Galvão e os comunistas Everaldo Augusto e Aladilce pontuaram a necessidade de o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), elaborar um Plano Diretor de Contenção de Encostas e Micro e Macro Drenagem com urgência para apresentar à população.


Está circulando nas redes sociais a foto de um suposto Tubarão-martelo, capturado, após encalhar na região próximo ao Rio Piracanga, na praia do Pontal cerca de 10 km ao norte de Itacaré, a localidade é praticamente deserta. O animal, que estava bastante magro, tinha aproximadamente dois metros de comprimento.

Na semana passada um outro Tubarão-martelo foi capturado por pescadores em Ilhéus, cerca de 65 km ao sul de Itacaré. Os tubarões são injustamente vistos como os vilões do mar, porém, são protagonistas indispensáveis ao equilíbrio ambiental. Por estarem no topo da cadeia alimentar, contribuem para o controle das populações das espécies que são suas presas e, muitas vezes, alimentam-se de animais doentes e velhos, proporcionando saúde aos oceanos, o que também afeta positivamente as nossas vidas. Como exemplo, pode ser citado um problema ocorrido no final da década de 80 na Austrália. Por conta da pesca predatória de algumas espécies de tubarão, houve um aumento intenso na população dos polvos; estes consumiram um número bem maior de lagostas e outros crustáceos, gerando escassez em seu fornecimento e uma séria crise na indústria da pesca. O indivíduo capturado no Piracanga foi da espécie Cação-panã (Sphyrna mokarran). É considerado vulnerável pelo Conselho Científico da Pesca da Austrália e em perigo pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza). Sua captura se dá, principalmente por conta do comércio internacional de barbatanas, que normalmente são arrancadas com o animal ainda vivo, para que sejam utilizadas como iguaria na culinária japonesa e chinesa. No Brasil, a pesca predatória também acontece por conta do hábito se se comer “cação”, que nada mais é do que tubarão quando ainda é filhote. Segundo a IUCN, um quarto de todas as espécies de tubarão e de suas parentes próximas, as arraias, estão ameaçadas de extinção.


Os municípios de Serra do Ramalho, Palmas de Monte Alto, Candiba e Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, foram declarados em “situação de emergência”. Os decretos foram publicados no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (29) em decisão do governador, Rui Costa. O motivo em todos os casos é a estiagem que abate a situação econômica das cidades. Em todas as cidades, o prazo estipulado é de seis meses. Com a inclusão dos quatro municípios, agora são 32 cidades no estado na condição de emergência devido à seca e estiagem. (BN)


A estátua de Jorge Amado no Bar Vesúvio, em Ilhéus, foi depredada na madrugada desta terça-feira. O local é um dos principais ponto turístico da cidade, e isso causou revolta dos moradores e comerciantes. A escultura foi encontrada com o rosto danificado, a mesa foi quebrada, e deixaram o livro ao lado. Resta saber quem vai providenciar o reparo da estátua. Vale lembrar que artigo 163 do código penal prevê de um a seis meses prisão ou multa para quem destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia. Se houver vítima ou a motivação for considerada ‘egoística”, a pena seis meses a três anos e multa, além da pena correspondente à violência. *Informações do Políticos do Sul da Bahia.

estatua_de_jorge_amado_vandalismo