A cidade de Itacaré vai ser invadida nessa semana por mais de 170 surfistas de 24 países que se inscreveram na oitava edição do Mahalo Surf Eco Festival na linda Costa do Cacau do litoral sul da Bahia. Mas, o limite é de 144 participantes, com alguns ficando numa lista de espera para entrar se alguém não comparecer. A etapa do World Surf League Qualifying Series promovida pela Dendê Produções desde 2008, ficou mais importante esse ano porque aumentou a premiação para 150 mil dólares, elevando o status do evento para QS 6000. A segunda das três etapas da “perna brasileira” de fim de ano da WSL South America começa terça-feira na Praia da Tiririca e todos já estão escalados nas duas rodadas de 24 baterias.

Entre os 48 cabeças de chave que só entram na segunda fase, estão cinco surfistas que participaram da etapa do WCT iniciada no fim de semana em Portugal. Como já perderam nas primeiras fases, vai dar tempo de eles chegarem na Bahia para disputar os 6.000 pontos do Mahalo Surf Eco Festival. As principais atrações são dois tops da elite deste ano, o potiguar Jadson André e o neozelandês Ricardo Christie. Os outros que competiram em Cascais são o espanhol Aritz Aranburu, o catarinense Tomas Hermes e uma das novidades na “seleção brasileira” do WCT em 2016, Caio Ibelli, que fez uma bateria sensacional no domingo contra o campeão mundial Gabriel Medina em Supertubos.

Outro brasileiro que também já está confirmado na elite dos top-34 da World Surf League, entre os dez indicados pelo ranking do Qualifying Series, é o paulista Alex Ribeiro, que vai defender o título do Mahalo Surf Eco Festival conquistado no ano passado em Itacaré. Os dois estão escalados como cabeças de chave junto com os dois baianos convidados para entrar na segunda fase, já com uma premiação mínima de 450 dólares garantida. Caio Ibelli está na primeira bateria com Iago Silva e Alex Ribeiro na 24.a e última com Yagê Araujo.

“Itacaré é um lugar que eu gosto bastante, consegui vencer lá no ano passado, tenho total sintonia com o pico, adoro surfar na Praia da Tiririca e espero conseguir mais um bom resultado”, disse Alex Ribeiro. “Já tenho minha classificação para o WCT garantida, mas estou em busca do título de campeão do QS, que vai ser importante para mim. No ano passado eu praticamente confirmei o título sul-americano com a vitória nesse evento, na final contra o Michael Rodrigues (CE). Foi muito legal essa conquista pra minha carreira e estou super feliz por voltar a Itacaré”.

BAIANO CAMPEÃO – O Mahalo Surf Eco Festival será a última etapa de 6.000 pontos do ano e pode decidir vagas para o WCT nessa semana em Itacaré. O cearense Michael Rodrigues é o brasileiro mais próximo do G-10 do WSL Qualifying Series, em 15.o lugar no ranking que no momento está classificando até o 13.o colocado, o francês Maxime Huscenot. Quem também pode entrar na briga direta pelas últimas vagas com um bom resultado na Praia da Tiririca é Bino Lopes. Ele é patrocinado pela Mahalo e foi o único baiano a vencer o Surf Eco Festival, em 2011 quando o evento acontecia na Praia de Jaguaribe, em Salvador. Bino é um dos cabeças de chave da 22.a bateria da segunda fase e está ansioso para competir em casa.

“Eu tenho boas lembranças de Itacaré, já consegui ganhar eventos lá e conheço bem aquelas ondas da Tiririca. É um lugar que eu gosto muito e frequento desde pequeno, então só espero fazer meu trabalho direitinho e surfar bem lá”, disse Bino Lopes, durante a etapa catarinense que abriu a “perna brasileira” em Florianópolis. “Eu vou estar com toda minha família, meus amigos e quero representar bem a marca que me patrocina e o evento também. Eu tive a felicidade de já vencer esse evento em 2011. A final foi com o Michael Rodrigues e o mar estava storm, com altas ondas, então tomara que dessa vez seja dessa forma também. O campeonato agora ficou mais importante, era 4 estrelas no ano passado e subiu para 6 estrelas, QS 6000, então vai ser bom porque quero subir no ranking pra conquistar uma vaga lá na elite. Esse é o objetivo”.

24 PAÍSES EM ITACARÉ – Diferente dos 48 cabeças de chave que só competem a partir da segunda fase, os outros 96 participantes já entram nas 24 baterias da rodada inicial. O baiano Bruno Galini está escalado na primeira bateria do Mahalo Surf Eco Festival, com o cearense Messias Felix, o australiano Perth Standlick e o português Tomas Fernandes. Os confrontos internacionais vão continuar acontecendo desde o primeiro dia, pois 24 nações estarão representadas na oitava edição da etapa baiana realizada pela Dendê Produções.

Os estrangeiros são maioria com 101 inscritos, contra 43 brasileiros. Dos outros países, os maiores pelotões são da Austrália com vinte surfistas e os Estados Unidos com dezoito. A França e o Havaí terão oito participantes cada, depois vem Portugal com seis, África do Sul e Japão com cinco, Espanha e Costa Rica com quatro, Argentina e Guadalupe com três, com dois a Nova Zelândia, Taiti, Ilha Reunião, Chile e Peru e com um a Itália, Indonésia, Marrocos, São Bartolomeu, Porto Rico, Venezuela e Uruguai.

O Mahalo Surf Eco Festival é realizado pela Dendê Produções com patrocínio da marca Mahalo, Prefeitura Municipal de Itacaré, Pousada Ecoporan, Secretaria de Turismo do Governo do Estado da Bahia, TV Santa Cruz e Skol. A etapa do QS 6000 sancionada pela WSL South America com premiação de 150 mil dólares, vale 6.000 pontos para o ranking mundial do WSL Qualifying Series e será transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

ENERGIA SOLAR – Sempre com a filosofia de promover um grande festival reunindo surfe e música, mas com preocupação ecológica de preservação da Natureza, a Dendê Produções inovou mais uma vez no ano passado ao realizar o primeiro evento de surfe do mundo utilizando energia solar captada no próprio local da competição. A iniciativa será repetida esse ano no QS 6000 Mahalo Surf Eco Festival, que contará novamente com várias atividades e palestras para o público durante os dias do campeonato na Praia da Tiririca.

FESTIVAL DE MÚSICA: Já é tradição. Desde a estreia do Surf Eco Festival em 2008, ele é encerrado com um grande festival de música. Este ano, a programação ganhou mais destaque e os shows começam até antes do início do campeonato, no sábado 24 de outubro, aberto ao público com atrações locais e o Adão Negro dando as boas-vindas para os atletas e para todos que já estiverem em Itacaré.

A semana segue agitada com os eventos promovidos pelos patrocinadores nos diversos espaços da cidade e até na Praia da Tiririca, com o Eco Sunset rolando até as 19h00 com um DJ animando o pôr do Sol a cada dia após a competição, com setlist animado na área VIP da arena do evento para convidados e competidores.

No sábado, 31 de outubro, começam os shows no KM 06, a partir das 20 horas, com atrações de peso da música local e nacional, como Baiana Sistem, Ponto de Equilíbrio, Seu Jorge, além do SPACE DJ ao vivo. E no domingo, depois do campeão do Mahalo Surf Eco Festival ser coroado na Praia da Tiririca, também no KM 06 subirão ao palco as bandas Cidade Negra, Nando Reis, Legião Urbana e com SPACE DJ ao vivo novamente.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, com todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e na hora que acontecer. As sanções da WSL são para os circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Longboard e Pro Junior. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York, além de sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos, na América do Norte, Havaí, América do Sul, Europa, Austrália, África e Ásia.

PRIMEIRA FASE DO QS 6000 MAHALO SURF ECO FESTIVAL 

1.a: Perth Standlick (AUS), Tomas Fernandes (PRT), Messias Felix (BRA), Bruno Galini (BRA)
2.a: Hiroto Arai (JPN), Kiron Jabour (HAV), Taylor Clark (EUA), Manuel Selman (CHL)
3.a: Nic Von Rupp (PRT), Paul Cesar Distinguin (FRA), Nic Hdez (EUA), Lucas Chianca (BRA)
4.a: Patrick Gudauskas (EUA), Keoni Yan (HAV), Seth Moniz (HAV), Yuri Gonçalves (BRA)
5.a: Garrett Parkes (AUS), Matheus Navarro (BRA), Andy Criere (FRA), Jeronimo Vargas (BRA)
6.a: Michael February (AFR), Kaito Ohashi (JPN), Jorgann Couzinet (REU), Diego Mignot (FRA)
7.a: Joshua Moniz (HAV), Leandro Usuna (ARG), Tristan Guilbaud (FRA), Jake Davis (EUA)
8.a: Ian Gouveia (BRA), Francisco Bellorin (VEEN), Mihimana Braye (TAH), Cainã Barletta (BRA0
9.a: Medi Veminardi (REU), Victor Bernardo (BRA), Derek Peters (EUA), Cam Richards (EUA)
10: Nomme Mignot (FRA), Vicente Romero (ESP), Slade Prestwich (AFR), Harrison Mann (AUS)
11: Jean da Silva (BRA), Brian Toth (PRI), Paulo Moura (BRA), Cody Robinson (AUS)
12: Ramzi Boukhiam (MAR), Takumi Yasui (JPN), Alan Donato (BRA), Nahuel Amalfitano (ARG)
13: Willian Cardoso (BRA), Flavio Nakagima (BRA), Shun Murakami (JPN), Jatyr Berasaluce (ESP)
14: Luel Felipe (BRA), Cory Arrambide (EUA), Nelson Cloarec (FRA), Ethan Egiguren (ESP)
15: Miguel Tudela (PER), Robson Santos (BRA), Thiago Guimarães (BRA), Colt Ward (EUA)
16: Lucas Silveira (BRA), Dylan Lightfoot (AFR), Teale Vanner (AUS), Nicolas Vargas (CHL)
17: Krystian Kymerson (BRA), Dimitri Ouvre (BLM), Halley Batista (BRA), Eduardo Fernandes (PRT)
18: Marco Giorgi (URY), Rafael Teixeira (BRA), Luan Wood (BRA), Raphael Seixas (BRA)
19: Timothee Bisso (GLP), Dale Staples (AFR), Lucca Novaro (PER), Gatien Delahaye (GLP
20: Marco Fernandez (BRA), Parker Coffin (EUA), Reo Inaba (JPN), Alcides Lopes (BRA)
21: Thomas Woods (AUS), Oney Anwar (IDN), Ian Gentil (HAV), Gabriel André (BRA)
22: José Ferreira (PRT), Ian Crane (EUA), Yago Dora (BRA), Tomas King (CRI)
23: Michael Wright (AUS), Cahill Bell-Warren (AUS), Guillermo Satt (CHL), Renato Galvão (BRA)
24: Frederico Morais (PRT), Noah Schweizer (EUA), Caetano Vargas (BRA), Matt Passaquindici (EUA)

SEGUNDA FASE – entrada dos 48 cabeças de chave mais bem colocados no ranking:
1.a: Caio Ibelli (BRA) e Iago Silva (BRA)
2.a: Tanner Gudauskas (EUA) e Mitch Crews (AUS)
3.a: Charles Martin (GLP) e Ezekiel Lau (HAV)
4.a: Ryan Callinan (AUS) e Soli Bailey (AUS)
5.a: Maxime Huscenot (FRA) e Thiago Camarão (BRA)
6.a: Nathan Yeomans (EUA) e Nathan Hedge (AUS)
7.a: Conner Coffin (EUA) e Yadin Nicol (AUS)
8.a: Davey Cathels (AUS) e Hizunomê Bettero (BRA)
9.a: Kanoa Igarashi (EUA) e Granger Larsen (HAV)
10: Billy Stairmand (NZL) e Heitor Alves (BRA)
11: Evan Geiselman (EUA) e Santiago Muniz (ARG)
12: Stu Kennedy (AUS) e Jadson André (BRA)
13: Joan Duru (FRA) e Ricardo Christie (NZL)
14: Noe Mar McGonagle (CRI) e Aritz Aranburu (ESP)
15: Michael Dunphy (EUA) e Pedro Henrique (PRT)
16: Dion Atkinson (AUS) e David do Carmo (BRA)
17: Jessé Mendes (BRA) e Mateia Hiquily (TAH)
18: Tanner Hendrickson (HAV) e Wade Carmichael (AUS)
19: Tomas Hermes (BRA) e Beyrick De Vries (AFR)
20: Carlos Munoz (CRI) e Leonardo Fioravanti (ITA)
21: Michael Rodrigues (BRA) e Cooper Chapman (AUS)
22: Connor O´Leary (AUS) e Bino Lopes (BRA)
23: Brent Dorrington (AUS) e Deivid Silva (BRA)
24: Alex Ribeiro (BRA) e Yagê Araujo (BRA)

CAMPEÕES DA HISTÓRIA DO SURF ECO FESTIVAL NA BAHIA:

2008: Adriano de Souza (SP) no WSL 5-Star na Praia do Forte, em Mata de São João
2008: Silvana Lima (CE) no WSL 5-Star feminino derrotando Sally Fitzgibbons (AUS)
——————————————————-
2009: Marcio Farney (CE) no WSL 3-Star na Praia da Armação do Jardim de Alah, em Salvador
2009: Alejo Muniz (SC) e Diana Cristina (PB) no WSL South America Pro Junior
——————————————————-
2010: Coco Ho (HAV) no WSL 4-Star na Praia da Armação do Jardim de Alah, em Salvador
2010: Santiago Muniz (ARG) e Johanne Defay (FRA) no WSL South America Pro Junior
——————————————————-
2011: Bino Lopes (BA) no WSL 2-Star na Praia de Jaguaribe, em Salvador
2011: Filipe Toledo (SP) e Gabriela Leite (SC) no WSL South America Pro Junior
——————————————————-
2012: Krystian Kymerson (ES) no WSL 1-Star na Praia de Jaguaribe, em Salvador
2012: Deivid Silva (SP) e Rosanny Alvarez (VNZ) no WSL South America Pro Junior
——————————————————-
2013: Halley Batista (PE) no WSL 4-Star na estreia de Itacaré na Praia da Tiririca
——————————————————-
2014: Alex Ribeiro (SP) no WSL 4-Star na Praia da Tiririca, em Itacaré
2014: Tatiana Weston-Webb (HAV) no WSL 4-Star na Praia da Tiririca, em Itacaré

—————————————————————–
João Carvalho – WSL South America Media Officer
(48) 9988-2986 – [email protected]

Assessoria de Imprensa do Mahalo Surf Eco Festival
Fernanda Matos – Laboratório da Notícia
(71) 3272-4263 – [email protected]com.br
—————————————————————–

Paulo Cesar Distinguin. Foto: Fabriciano Junior

Caio Ibeli- Portugal. Foto:


Já está tudo pronto para o Mahalo Surf Eco Festival, que acontecerá de 27 de outubro a 1º de novembro na Praia da Tiririca, em Itacaré. A competição é o segundo destino da decisiva “perna brasileira” de fim de ano da WSL South America na disputa por vagas para a elite dos top-34 da World Surf League. Antes da cidade no litoral baiano, a competição valida pelo QS 6000 passa por Florianópolis (SC) e depois vai para São Sebastião (SP).

No ano passado, o vencedor do Mahalo Surf Eco Festival foi o paulista Alex Ribeiro, um dos três brasileiros que já garantiram seus nomes no seleto grupo dos top-34 que vai disputar o título mundial de 2016 pelo ranking de acesso da World Surf League. Esta será a oitava edição do evento que estreou em 2008 com vitória também paulista de Adriano de Souza, o Mineirinho, que hoje ocupa a vice-liderança no ranking do WCT.

O Mahalo Surf Eco Festival aumentou a premiação esse ano para 150 mil dólares e o status do evento subiu de 4-Star para QS 6000. Ao todo, 144 surfistas de 24 países vão competir na etapa baiana do Circuito Mundial. Entre os confirmados, os estrangeiros são maioria contra 41 brasileiros, com as maiores atrações sendo os dois paulistas que já se classificaram para o WCT 2016 nas dez vagas do WSL Qualifying Series, Alex Ribeiro e Caio Ibelli. Em Itacaré, o cabeça de chave número 1 é o potiguar Jadson André, um dos tops da elite atual inscritos no evento mais importante do esporte das ondas na Região Nordeste do país.

A lista tem 21 australianos, dezessete norte-americanos, nove havaianos, nove franceses, seis espanhóis, seis sul-africanos, cinco portugueses, cinco japoneses, três da Costa Rica, três da Ilha Guadalupe, dois chilenos, dois argentinos, dois peruanos, dois taitianos, dois neozelandeses, dois da Ilha da Reunião e sete países terão um representante competindo na Bahia, o Uruguai, Venezuela, Porto Rico, Itália, Marrocos, Indonésia e São Bartolomeu.

Cinco das dez vagas do WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 do WCT 2016 já foram definidas e três são do Brasil. O primeiro a conquistar classificação foi o catarinense Alejo Muniz, quando ganhou o QS 10000 de Ballito, em julho na África do Sul. Os outros quatro confirmaram seus nomes nas duas etapas do QS 10000 de Portugal, os paulistas Alex Ribeiro e Caio Ibelli e os vencedores dos eventos nas Ilhas Açores e em Cascais, o australiano Jack Freestone e o norte-americano Kolohe Andino.

No momento, os cinco que completam o G-10 são o americano Kanoa Igarashi, os australianos Ryan Callinan e Adam Melling e os franceses Maxime Huscenot e Joan Duru. O brasileiro Michael Rodrigues é o próximo da lista, com 530 pontos a menos de Joan Duru. Nas provas do QS 6000, os que chegam nas quartas de final recebem 2.650 pontos.


O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 definiu nesta quinta-feira (22), quais serão as cidades baianas por onde passará a tocha olímpica no próximo ano. Entre as 26 cidades do estado, destacam-se Feira de Santana, Juazeiro, Salvador, Porto Seguro, Vitória da Conquista, Valença, Senhor do Bonfim, Ilhéus e Paulo Afonso.
Os sete últimos foram escolhidos como local de pernoite para a chama olímpica, entre elas Itacaré e Camamu. A tocha deve chegar no dia 19 de maio de 2016, em Teixeira de Freitas, no extremos sul do estado. A ordem do percurso ainda será definida pelo comitê. A administração municipal de cada cidade também não divulgou o roteiro a ser percorrido em seus territórios. A última parada da tocha na Bahia está marcada para 27 de maio.
Em Salvador serão realizados dez jogos de futebol – sete masculino e três feminino. As partidas acontecerão na Arena Fonte Nova em rodadas duplas, nos dias 4, 7, 9 e 10 de agosto de 2016, e em rodadas simples nos dias 12 e 13 do mesmo mês. Confira a lista completa:
– Teixeira de Freitas
– Itamaraju
– Santa Cruz Cabrália
– Porto Seguro
– Eunápolis
– Itapebi
– Itapetinga
– Vitória da Conquista
– Itambé
– Itororó
– Ibicaraí
– Itabuna
– Ilhéus
Itacaré
– Camamu
– Ituberá
– Valença
– Salvador
– Feira de Santana
– Riachão do Jacuípe
– Capim Grosso
– Senhor do Bonfim
– Jaguarari
– Juazeiro
– Sobradinho
– Paulo Afonso

Visando estreitar ainda mais os laços e a comunicação com a comunidade, a 72ª CIPM de Itacaré sob o comando do Major PM Rocha, lançou nesta sexta-feira (23), uma conta no aplicativo Whatsapp de número (73) 998024038), para que o cidadão possa fazer denúncias anônimas.

Esta é mais uma ferramenta da 72ª CIPM de Itacaré para combater o crime na cidade, recentemente também foi lançado um canal no Facebook e um Blog da Corporação.

Facebook: www.facebook.com/cipmdeitacare

Blog: policiamilitaritacare.blogspot.com.br/

 

whatsapp_policia_militar_de_itacare


Já está tudo pronto para o Mahalo Surf Eco Festival, que acontecerá de 27 de outubro a 1º de novembro na Praia da Tiririca, em Itacaré. A competição é o segundo destino da decisiva “perna brasileira” de fim de ano da WSL South America na disputa por vagas para a elite dos top-34 da World Surf League. Antes da cidade no litoral baiano, a competição valida pelo QS 6000 passa por Florianópolis (SC) e depois vai para São Sebastião (SP).

No ano passado, o vencedor do Mahalo Surf Eco Festival foi o paulista Alex Ribeiro, um dos três brasileiros que já garantiram seus nomes no seleto grupo dos top-34 que vai disputar o título mundial de 2016 pelo ranking de acesso da World Surf League. Esta será a oitava edição do evento que estreou em 2008 com vitória também paulista de Adriano de Souza, o Mineirinho, que hoje ocupa a vice-liderança no ranking do WCT.

O Mahalo Surf Eco Festival aumentou a premiação esse ano para 150 mil dólares e o status do evento subiu de 4-Star para QS 6000. Ao todo, 144 surfistas de 24 países vão competir na etapa baiana do Circuito Mundial. Entre os confirmados, os estrangeiros são maioria contra 41 brasileiros, com as maiores atrações sendo os dois paulistas que já se classificaram para o WCT 2016 nas dez vagas do WSL Qualifying Series, Alex Ribeiro e Caio Ibelli. Em Itacaré, o cabeça de chave número 1 é o potiguar Jadson André, um dos tops da elite atual inscritos no evento mais importante do esporte das ondas na Região Nordeste do país.

A lista tem 21 australianos, dezessete norte-americanos, nove havaianos, nove franceses, seis espanhóis, seis sul-africanos, cinco portugueses, cinco japoneses, três da Costa Rica, três da Ilha Guadalupe, dois chilenos, dois argentinos, dois peruanos, dois taitianos, dois neozelandeses, dois da Ilha da Reunião e sete países terão um representante competindo na Bahia, o Uruguai, Venezuela, Porto Rico, Itália, Marrocos, Indonésia e São Bartolomeu.

Cinco das dez vagas do WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 do WCT 2016 já foram definidas e três são do Brasil. O primeiro a conquistar classificação foi o catarinense Alejo Muniz, quando ganhou o QS 10000 de Ballito, em julho na África do Sul. Os outros quatro confirmaram seus nomes nas duas etapas do QS 10000 de Portugal, os paulistas Alex Ribeiro e Caio Ibelli e os vencedores dos eventos nas Ilhas Açores e em Cascais, o australiano Jack Freestone e o norte-americano Kolohe Andino.

No momento, os cinco que completam o G-10 são o americano Kanoa Igarashi, os australianos Ryan Callinan e Adam Melling e os franceses Maxime Huscenot e Joan Duru. O brasileiro Michael Rodrigues é o próximo da lista, com 530 pontos a menos de Joan Duru. Nas provas do QS 6000, os que chegam nas quartas de final recebem 2.650 pontos.
SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, onde você pode acompanhar todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e a qualquer hora onde acontecer. As sanções da WSL são para os seguintes circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Pro Junior e Longboard. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York. A WSL também tem sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos na África, Ásia, Austrália, Europa, Havaí, América do Norte e América do Sul.


Itacaré, a princesinha da Costa do Cacau do litoral sul da Bahia, vai receber o Mahalo Surf Eco Festival pelo 3º ano consecutivo nos dias 27 de outubro a 1º de novembro na Praia da Tiririca. A única etapa do circuito da World Surf League na Região Nordeste do Brasil confirmou a elevação do status do evento para QS 6000 e vai distribuir 150 mil dólares para os melhores surfistas de vários países que estarão competindo no interior baiano.

O festival que reúne surfe, música e ecologia, promovido pelo Grupo Dendê Produções desde 2008, ganhou mais importância esse ano e será decisivo na batalha pelas dez vagas do WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 que vai disputar o título mundial em 2016.

O Mahalo Surf Eco Festival será o último da temporada a valer 6.000 pontos para o ranking do WSL Qualifying Series e pode decidir classificações para o WCT em Itacaré. Além do show garantido de grandes estrelas e jovens promessas do esporte dentro d´água, ações ecológicas, sociais e de sustentabilidade, estarão acontecendo paralelamente na Praia da Tiririca durante os dias da semana do principal campeonato de surfe do Nordeste do país. Já o Festival de Música que é tradição na história do Surf Eco Festival, vai agitar o fim de semana em Itacaré com atrações locais e nacionais.

A semana segue agitada com os eventos promovidos pelos patrocinadores nos diversos espaços da cidade e até na Praia da Tiririca, com o Eco Sunset rolando até as 19h com um DJ animando o pôr do sol a cada dia após a competição, com setlist animado na área VIP da arena do evento para convidados e competidores.(Tribuna da Bahia)


A capital do surf de 27 outubro a 1º de novembro está preparada para receber turistas na data do Mahalo Surf Eco Festival. De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo de Itacaré, a cidade conta com mais de oito mil leitos de hospedagem e 174 bares e restaurantes, que poderão atender ao público que não só curtirá as manobras nas ondas da Praia de Tiririca, como aproveitará a programação musical que contará com shows de Baiana System, Ponto de Equilibro e Seu Jorge em Itacaré, no dia 31 de outubro e Legião Urbana, Cidade Negra e Nando Reis no dia 1° de novembro.

Divididos entre quatro hotéis, 84 pousadas, 52 casas de temporadas, 27 flats, nove camping, seis hostels e duas hospedagens rurais, o destino turístico tem opções para todos os gostos. Isso sem falar nas 14 encantadoras praias, destas seis urbanas que muitas vezes podem ser vistas da janela do quarto. “Os turistas podem curtir o campeonato e os shows e desfrutar das várias opções de hospedagem que ainda estão disponíveis em Itacaré e nas cidades do entorno”, revela Railton Lemos, da Dendê produções, organizadora do evento. “Quando viemos para Itacaré, sabíamos a estrutura da cidade e que ela comportava abrigar um evento internacional com atletas de diferentes partes do mundo”, completa.

Uma das melhores opções de acomodação é o Hotel charme e Spa Vila Ecoporan. O espaço possui quartos amplos com ar condicionado, piscinas, Tv a cabo, som ao vivo, e para as crianças, uma miniestação de arvorismo, tudo para garantir uma excelente estádia para seus hóspedes. Entre as pousadas, uma das mais aconchegantes é a Vila N’kara que possui belos quartos, com ar condicionado, café da manhã incluso e uma equipe totalmente simpática pronta para ajudar a encontrar as melhores opções da cidade e tudo que precisar.

Não menos aconchegante é Vila do Dengo. O hotel conta com 24 apartamentos e sua área de lazer é composta de piscina com raia semiolímpica, piscinas de hidromassagem (coberta e descoberta), quadra de squash e sauna a vapor. Implantado em uma área completamente arborizada e a apenas 900m da vila, o Aldeia do Mar Hotel fica ao pé na areia de Itacaré. O local possui 27 unidades, divididas entre 09 chalés, 16 amplas suítes e dois chalés familiares e conta com opções adaptadas para portadores de necessidades especiais.

Pioneira no ramo de hospedagem em Itacaré, onde se tornou referência, quando os primeiros turistas, especialmente surfistas, descobriam este paraíso em meados de 1987, a Pousada da Paz fica no bairro da Concha do Mar, a 100 metros da praia da Concha e a 200 metros da Pituba (centro gastronômico e comercial da cidade). O local possui 15 apartamentos e conta com varanda com rede, piscina e estacionamento interno com segurança 24h. Localizada de frente para o mar, a Pousada Girassol é rodeada de jardins e também é uma boa opção de hospedagem. “Ficamos muito felizes com a atenção que recebemos da hotelaria de Itacaré. Todos foram muito solícitos, nos ajudaram muito na acomodação dos atletas, técnicos e organizadores. Este foi um dos fatores predominantes para continuarmos realizando o evento na cidade”, garante Railton.

Os shows – Os amantes do surf terão muito mais do que boas ondas e clima de praia para arrumar as malas e partir para Itacaré. Antes mesmo do resultado do campeonato, que este ano vale por um QS 6000, as ondas sonoras serão ouvidas no dia 31 de outubro, a partir das 20 horas, no KM 6. Ali se apresentam grandes nomes da música nacional como Baiana System, Ponto de Equilíbrio e Seu Jorge. Para esquentar mais ainda, o batizado DJ Space apresentará um Set list diferenciado na festa. Quando o último sufista sair do mar e a premiação do vencedor do Mahalo Surf Eco Festival for divulgada já será hora de se preparar para um dos maiores shows que Itacaré já recebeu. No dia 01 de novembro a cidade recebe os shows de Legião Urbana, com a turnê de 30 anos, Cidade Negra e Nando Reis.

Mahalo Surf Eco Festival – Pela terceira vez consecutiva Itacaré recebe o maior evento de surf do nordeste. De 27 de outubro até o 01 de novembro, a cidade ganhará a oitava edição do Surf Eco Festival. O evento é internacional e faz parte do circuito mundial de surf masculino, válida pela WordSurf League (WSL). O Surf Eco Festival acontece na praia da Tiririca, uma das melhores para o surfno Brasil. Em 2015, é uma etapa QS 6.000, que significa seis mil pontos no ranking internacional e US$ 150 mil em premiação. O evento é promovido pela Dendê Produções desde 2008 e conta com o patrocínio da Prefeitura de Itacaré, Pousada Ecoporan, Secretaria do Turismo da Bahia, TV Santa Cruz, Mahalo e Skol.

Itacaré – Situada na Costa do Cacau, ao sul de Salvador, a pequena cidade abriga uma grande variedade de belezas naturais: praias maravilhosas, cachoeiras deslumbrantes, Mata Atlântica preservada, rios, manguezais e muitos consideram como o lugar que têm as melhores ondas da Bahia. Itacaré tem uma formação geológica única no Nordeste Brasileiro e é muito visitada por praticantes de esportes radicais e de aventura. A Praia da Tiririca já foi palco de etapas do Circuito Brasileiro de Surfe Profissional e do WCT feminino, mas ficou alguns anos sem receber nenhuma competição importante e só em 2013 sediou pela primeira vez um evento do Circuito Mundial masculino, com a estreia da marca Mahalo no Surf Eco Festival.