Reclamações

“Os clientes vão embora porque não tem como lavar os cabelos deles. Ontem eu coloquei água em um balde, para lavar o cabelo de um cliente. Conta uma cabeleireira que está tendo prejuízo por conta da falta de água no centro da cidade”

O dono do restaurante contou que tentou comprar água para minimizar o problema, mas a previsão de entrega é sábado (19), por isso, ele colocou um aviso em frente ao estabelecimento para explicar aos clientes que o restaurante precisou fechar por conta da falta de água. “Não tem água nem para o banheiro do restaurante, muito menos lavar pratos e panelas, e o que me entristece é que não temos respostas da Embasa”, desabafou.

Outros restaurantes da cidade também estão sentindo os reflexos do desabastecimento. A cozinheira Elza Moreira afirmou que precisou usar galões de água mineral para lavar os alimentos. “Eu usei um galão inteiro para fazer arroz e outro para o feijão, estamos totalmente sem água, se não tivesse essa alternativa, estaríamos fechados também”, disse.

Já a moradora Maria de Jesus do bairro da Passagem, relata que a situação é no minimo despertadora. “Estou com filho recém nascido em casa, e segundo ela a última vez que caiu água em sua torneira foi domingo, ou seja, a seis dias está sem água.


Restauradores encontraram ouro 24 quilates durante obra de restauração realizada no altar da Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo, em Itacaré, região sul da Bahia. O templo, que passa por reparos há dois meses, com previsão de custar quase R$ 300 mil, não tem apoio financeiro de órgãos públicos, e é custeado pelo projeto que se chama “A Fé Restaurada”. Os trabalhos são financiados por doações da comunidade e de turistas. Na igreja, fundada no século XVII, e tombada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), os restauradores descobriram que parte da estrutura carrega traços dos jesuítas.

Restauração Igreja de São Miguel, em Itacaré. Bahia (Foto: Reprodução/ TV Bahia)
Durante a restauração, ouro foi descoberto no altar
(Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Os reparos no altar começaram em janeiro deste, quando os especialistas começaram a retirar várias camadas da tinta verde que cobriam o altar central da igreja, e descobriram que os detalhes entalhados são de ouro.

Sob a tinta verde, os especialistas também localizaram vários trabalhos artísticos de pintura e encontraram a cor original do altar, em tom amarelo. Em baixo do piso comum colocado no altar, mais uma descoberta: cerâmica da época dos jesuítas, que pode ter mais de 300 anos.

“Nossa pretensão é resgatar o máximo possível da originalidade, que foi descaracterizada ao longo do tempo por falta de conhecimento, por falta de materiais”, conta Bruno Visco, restaurador do Ipac. *Informações do G1


A matéria enviada à imprensa pela ASCOM de Itacaré, é praticamente um “meia culpa” quanto à obrigação de transportar alunos carentes para as unidades de ensino em Itacaré. Na matéria, chama protesto de forma mais leve, ou seja, “reivindicação”, quando na verdade os estudantes do entorno de Taboquinhas, realizaram dois maiores manifestos da história do distrito, onde foi fechada com barricada a passagem de carro na rodovia, até chegada da TV Santa Cruz, filiada a Rede Globo, e da Secretaria de Educação e do Prefeito.

O protesto foi realizado em repudio a crueldade que a prefeitura estava submetendo os estudantes da zona rural de Itacaré, que abrange Taboquinhas, Ponto Novo, Água Fria, Rua de Palha, Toco Preto, Cachimbo Seco, Fojo e outras regiões, que tinham que andar muitas das vezes até 08 km para estudar. ( Rede Bahia de Noticias)


Os salva-vidas Sizinio Neto e Gecildo Nascimento, o popular Cido,  foram a Brasilia representando a Asalvi Associação de salva vidas de Itacaré, na audiência pública que aconteceu nesta segunda-feira (14), a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), aprovou recomendação para que os participantes do evento se reúnam a fim de alcançar um consenso sobre o assunto entre Salva-vidas, empresários da área de educação física, membros do Ministério Público do Trabalho, do Ministério da Educação e do Corpo de Bombeiros.

IMG-20160313-WA0015

Entre as maiores reclamações da categoria, estão os baixos salários, a submissão ao Corpo de Bombeiros, a falta de equipamentos e de salubridade no emprego e as extensas cargas horárias. Mas há divergências, principalmente entre os salva-vidas e os empresários da área de educação física, que estão impedindo a aprovação do projeto.

Piso salarial

Uma das questões que ainda precisam de consenso é a questão do piso salarial. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Salva-Vidas Civis, Marco Montemezzo, o salário deve ser diferente de acordo com o local de trabalho.

— Nós vamos afugentar o empresário que vai contratar o salva-vidas, e aí vai começar a haver um grande boicote com esse profissional. Ou seja, nós precisamos criar um piso salarial que fique bom para todos. Por exemplo, que um guarda-vidas de mar ganhe R$3 mil, mas, para os guarda-vidas de piscina, no âmbito, hoje, dos 300 metros de espelho d´água, seria inviável — disse.

Nomenclatura

Outra falta de acordo é em relação à nomenclatura da profissão. A maioria chama de salva-vidas, mas também há guarda-vidas e guardiões de piscina. Segundo o presidente da Associação Baiana de Salvamento Aquático, Pedro Barreto Ribeiro, a maioria da população conhece o profissional como salva-vidas.

— Não me oponho a que em certa região, que tem essa cultura, ele seja chamado de guarda-vidas. Agora, eu acredito que todos aqui vão se ofender muito se, como eles se entendem a vida inteira salva-vidas, deixem de ser a partir de agora — argumentou.

O conselheiro federal dos Conselhos Federal e Regional de Educação Física, Lúcio Rogério Gomes dos Santos, também alertou para essa confusão na nomenclatura.

— Há essa confusão nos projetos de lei e há essa discussão cultural dando diferenciação entre os nomes salva-vidas e guarda-vidas especialmente, mas, também, em alguns lugares, do guardião de piscina, que é uma denominação usada em algumas legislações e que também deve ser visto pelos nossos legisladores — apontou.

Academias

Para o representante da Associação Brasileira de Academias, Gustavo França Borges, a regulamentação da profissão é necessária, mas seria inviável economicamente exigir que as academias mantivessem salva-vidas em suas piscinas. Ele explicou que, do modo como está o projeto, ele gastaria mais de 30% do faturamento de uma academia com o pagamento de salva-vidas.

—Sou a favor da regulamentação, mas, no cenário de uma unidade, hoje, se essa lei passar como está, eu tenho de mandar embora 250 funcionários que eu tenho. Cerca de 250 colaboradores, hoje, seriam demitidos e cinco unidades seriam fechadas por conta disso.

Gustavo Borges sugeriu que os educadores físicos que trabalhem com natação tenham curso de salvamento aquático em sua formação.

IMG-20160315-WA0005
Salva-vidas de Itacaré, ao lado do nadador multicampeão Gustavo Borges.

Saiba mais sobre o PLC 42/2013

O projeto, de autoria do deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), define como obrigatória a presença de dois salva-vidas para cada 300 metros quadrados de superfície aquática durante os horários de uso de piscinas públicas coletivas. Embarcações utilizadas como transporte coletivo de passageiros, inclusive de turismo, também deverão contar com pelo menos um profissional da área.

A proposta recebeu o apoio do relator Paim, que, no entanto, apresentou emendas para aprimorar o projeto. O texto, com as mudanças feitas senador, estabelece uma série de requisitos para o exercício da profissão: idade mínima de 18 anos; gozo de plena saúde física e mental; ensino médio completo; aprovação em curso profissionalizante de salva-vidas com carga mínima de 160 horas; e capacidade de nadar 100 metros em até um minuto e 20 segundos, 200 metros em três minutos e 30 segundos e mil metros em 30 minutos.

De acordo às mudanças feitas pelo relator, para ser salva-vidas (ou guarda-vidas, como são conhecidos em algumas regiões), os interessados também deverão aprender técnicas para abordagem e desvencilhamento de vítimas; mergulho em apneia por 25 metros de extensão; identificação, recuperação e preservação dos sinais vitais; e técnicas de ressuscitação cardiorrespiratória cerebral.

Essas condições, no entanto, não precisam ser cumpridas por aqueles que já exerçam a profissão na data em que a lei entrar em vigor. Outra mudança importante feita por Paim foi desatrelar o piso salarial da categoria do salário mínimo, corrigindo uma inconstitucionalidade do projeto original.

1044175_1100387123346783_7037580668527354877_n


A família de Dionysio Silveira Neto, 56 anos, quer saber onde ele está. Desaparecido há dois meses, Dionysio foi visto pela última vez na manhã do último dia 01 de janeiro, quando caminhava nas proximidades do km 05. Dionysio, que é carioca, era novo na cidade e morava em Itacaré a cerca de 03 meses.

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Dionysio, pode ligar ou mandar um zap no seguinte telefone: (21) 99859-0353 (Whatsapp), ou mesmo avisar a polícia pelo 190.

20160315071319


Trabalhadores da Educação das redes estadual e municipal de Itacaré e todo país, incluindo os professores, aderem, nesta terça-feira (15), quarta (16) e quinta (17), à paralisação nacional da categoria, convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), a mobilização ganha apoio de 90% da categoria, nas escolas da rede estadual. A categoria reivindica, nacionalmente, o pagamento do piso salarial, a implantação de 1/3 da jornada para atividades complementares, além de ser contrário à terceirização do trabalho. “Na rede estadual, queremos que o governo realize concurso público, porque há 20 anos não tem concurso para área de administração, redução do número de alunos nas salas e cumprimento de metas do Plano Nacional de Educação”, informa. (Giro em Ipiaú)


O 1º Limpa Itacaré é uma iniciativa privada que conta com o apoio da população e de empresários locais para deixar a cidade de Itacaré mais limpa e bonita! Será no dia 19/03/2016, com início a partir das 08hrs na Praça dos Cachorros. Colabore, participe para que o todos vivam em um ambiente com limpeza e harmonia. Para limpar as ruas, praias, trilhas e estradas de Itacaré.

Contato: Paulo Ferrera
facebookfacebook.com/events/240961012910623/

Fonte: Itacare.com