Policiais da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) e do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (DRACO) participaram de uma operação nesta sexta-feira (4), para cumprimento de 18 mandados de prisão e 12 mandados de busca nos bairros Mangabeira, Rua Nova e Parque Getúlio Vargas, em Feira de Santana, na no bairro da Pituba Itacaré.

Foram cumpridos mandados de prisão contra Felipe de Jesus Santos, Pedro Paulo de Jesus Mendes, José de Almeida Júnior, Vera Lúcia Moreira, Andreia Moreira dos Santos, Analu Moreira dos Santos, Leandro Moreira dos Santos, Marcos Bispo dos Santos, o “Piui” (este preso em Itacaré), Josemar da Silva Santos, Michael Marcone Oliveira de Jesus, Claudia Barbosa de Jesus e Lucas Alves Neri de Almeida.

Os delegados Alexandre Narita (Draco) e Klaudine Passos (DTE-Feira) que comandaram a operação informaram que as prisões foram fruto de oito meses de investigação. Segundo as autoridades, os líderes do tráfico foram presos e o responsável pelo bairro Parque Getúlio Vargas foi encontrado em Itacaré.

As doze pessoas conduzidas para a delegacia foram autuadas pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Durante a operação foram apreendidos 9 kg de maconha, uma quantidade não especificada de crack, duas pistolas e dois revólveres. Todos os acusados foram encaminhados para o Conjunto Penal de Feira de Santana. (Central de Polícia)
37285-2
Presos em Itacaré

Concluída a votação no Senado do Projeto de Lei 75/2015, que trata da reforma política, a expectativa entre os parlamentares agora é com a votação da matéria na Câmara dos Deputados. O texto será revisado pelos deputados, que poderão aprovar integralmente as mudanças feitas pelos senadores ou rejeitá-las, mas não poderão inserir novos itens no projeto.

Os senadores aprovaram um substitutivo que muda profundamente o texto original enviado pela Câmara e agora não sabem se esse projeto será mantido. “O Senado votou com a expectativa de que a Câmara possa acolher [as modificações no texto], mas não temos nenhuma garantia de que isso vá acontecer. Isso faz com que o processo se reinicie na Câmara”, disse a senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

Lídice afirmou que a reforma feita pelo Senado representa um “avanço”, embora não seja a reforma política ideal. “Mas o ótimo é inimigo do bom. Se nós não conseguimos fazer o ótimo, não podemos deixar de fazer o bom”, disse a senadora.

Uma das mudanças mais relevantes no texto aprovado pelo Senado é a proibição do financiamento empresarial de campanhas eleitorais. O projeto aprovado pelos deputados permitia esse tipo de financiamento, porém limitado ao teto de R$ 20 milhões.

Agripino Maia (DEM-RN) disse que a emenda dos senadores foi um retrocesso, porque permite apenas a doação feita por pessoas físicas. “O financiamento privado aos partidos era um avanço.” Segundo Agripino, que faz campanhas desde 1982, antes havia o financiamento exclusivo para pessoas físicas, e o que se tinha era “uma facilitação” do caixa 2. “Em 1993, passou a ser permitido o financiamento empresarial, e isso foi um avanço”, afirmou o senador, que lamentou a mudança.

Agripino disse acreditar que a Câmara retome o texto original quando apreciar a matéria. “O que vai acontecer é que, como nesse caso a Casa revisora é Câmara, os deputados devem colocar o ponto de vista da Câmara no texto.”

Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que defende a proibição do financiamento empresarial de campanhas, não fará mais diferença se a Câmara retomar a permissão para esse tipo de doação. Já foi uma “vitória” a posição contrária do Senado, e isso deverá influenciar para que o Supremo Tribunal Federal (STF) retome a votação da ação que trata de financiamento eleitoral, disse Lindbergh. O julgamento desse tema no STF foi suspenso após pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, mas seis ministros já tinham votado pela inconstitucionalidade da doação de empresas a partidos políticos e candidatos. “O maior efeito dessa votação é destravar o julgamento no STF sobre a questão. O financiamento empresarial de campanha é inconstitucional”, afirmou o senador.

Também foram aprovadas pelos senadores medidas que visam a encurtar o tempo das campanhas eleitorais e seus custos, que preveem fim da exigência de domicílio eleitoral e das coligações partidárias, e a que torna obrigatória a impressão dos votos para que o eleitor possa conferir e permitir a recontagem posterior, em caso de dúvida.

Para o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), essa foi uma das mudanças mais importantes. “A Justiça Eleitoral existe para preservar a vontade do eleitor. E, com isso, estamos atualizando o programa da urna eletrônica, garantindo a essa urna uma segurança ainda maior para que a vontade do eleitor seja respeitada e se proteja o sistema de fraudes, que são possíveis. Não há nenhum sistema invulnerável”, afirmou Cunha Lima.

A expectativa é que o projeto de lei da reforma política seja votado na Câmara ainda neste mês, para que as novas regras sejam aplicadas já nas eleições municipais do ano que vem.


O irmão do goleiro Bruno Fernandes, Rodrigo Fernandes das Dores de Souza, de 29 anos, foi preso nesta quinta-feira (3) na cidade de Timon, no Estado do Maranhão, por suspeita de estupro e ameaça.

Militares da Força Tática do 1º Batalhão da Polícia Militar (PM), coordenados pelo tenente Miguel Luz, conseguiu chegar até o suspeito após um repórter da TV Antena 10, afiliada da rede Record em Teresina, no Estado do Piauí, que faz divisa com o município em que foi detido, acionar a corporação.

Na emissora, a polícia foi informada que Souza havia ameaçado o profissional. “O irmão do goleiro teria ficado irritado porque o jornalista noticiou que ele era suspeito de ter estuprado uma menor, de 17 anos, em Teresina. Souza ainda disse que ia fazer justiça com as próprias mãos. Fizemos as buscas e encontramos ele na rodoviária de Timon, que faz divisa com Teresina”, relatou o tenente.(Jornal O Tempo)


Uma guarnição da Cipe Cacaueira e policiais do pelotão especial da Cia 68, prenderam nesta quarta-feira (2), em Ilhéus, Luis Felipe Santana Santos (Doca), morador do bairro Novo, em Itacaré, e o comparsa dele, identificado como Tássio, residente no bairro Nelson Costa, em Ilhéus. Com eles, os PMs flagraram 130 pedras de crack, celulares e dinheiro fragmentado.

Pesa contra Tássio, velho conhecido da polícia, um mandado de prisão pela prática de roubos e tentativa de homicídio. Já o Doca, fugiu do cerco policial ontem (1º), durante ação no Banco da Vitória. Os elementos, de alta periculosidade, foram apresentados na 7ª Coorpin e, posteriormente, serão conduzidos para o presídio Ariston Cardoso, onde ficarão presos à disposição da Justiça.


Sem transporte rodoviário há mais de 1 mês, a população de campinhos, taipus de dentro e demais povoados da Península de Maraú pretendem fechar o acessos à Península de Maraú no próximo dia 10 de setembro. Segundo o vereador Damião de Brito (PMDB), que convocou, durante a sessão plenária da última quarta-feira (26), a comunidade marauense e demais edis a apoiar o ato, esta é a única forma dde pressionar as autoridades responsáveis a se posicionarem diante do isolamento imposto pelas companhias rodoviárias às comunidades da Península de Maraú.
Desde o mês de julho, época de muita chuva na região, a ROTA e a Cidade Sol suspenderam as linhas de ônibus que circulavam até o povoado de Campinhos limitando, em seguida, seu itinerário até o povoado de Saquaíra que fica a aproximadamente 30km do antigo ponto final da linha. Desde então as comunidades do Saleiro, Cassange, Taipús de Dentro e Campinhos não dispõe de qualquer outro meio para se locomover. (Maraú Notícias)


Recebemos dezenas de mensagens de populares cobrando justiça no caso do assassinato do jovem Luiz Fernando de Souza Silva de 23 anos.Covardemente assassinado a pauladas por três elementos no último final de semana no Bairro Novo em Itacaré. Os motivos do crime ainda estão sendo apurados, mas as informações que circulam na cidade é que a compra de uma volta de prata, que pertencia a um dos envolvidos, na mão de um amigo, foi o motivo encontrado para o crime. Fernando era guia turístico e muito querido na cidade, nas redes sociais vários amigos e colegas prestaram suas últimas homenagens e cobraram das autoridades solução no caso.

Uma pergunta que não quer calar, será que o assassinato do Guia Fernando será mais um crime sem solução em Itacaré? Até quando a policia Civil?

Deixamos aqui o espaço aberto, para possíveis declarações da Policia Civil de Itacaré responsável por mais caso.