O músico baiano Edson Gomes fez comentários ácidos em entrevista à revista Muito do jornal A TARDE deste domingo. Ele começou dizendo que Bob Marley, um ícone do reggae no mundo, “é um babaca” e, explicou os motivos da declaração. “Veja, é meu cantor preferido no lado social. Mas, quando você busca a linha filosófica, só diz besteira. É um palhaço. E não sou apenas eu que digo isso. Quem estuda Bob Marley sabe”, disse o reggaeman baiano. Mas as críticas não ficaram por ai, ele disparou também contra a música baiana. “Sempre fiz música para passar uma mensagem. É diferente do axé, que nunca quis dizer nada. Eles quiseram apenas fazer fortuna, enganar as pessoas”, pondera Edson Gomes, acrescentando que “Não escuto música baiana. O que eles têm de bom é essa estrutura de gravação, distribuição de shows. Nas músicas, optam pelo vazio”, completa o polêmico músico, que em entrevista ao Bahia Notícias já disse ter criado termo “sofrência” e que novo estilo “induz a tomar veneno de rato”. Para equilibrar com o conteúdo ácido das declarações, o músico falou sobre seu futuro e admitiu arrependimento. “Gastei uma parte da minha vida artística numa rivalidade idiota com Sine Calmon. Disputávamos espaço e público. E tudo era bobagem”, disse Edson Gomes. Por telefone Sine Calmon respondeu de maneira descontraída. “É mais ou menos o que existe hoje com Ivete Sangalo e Claudia Leitte. Ele é Vitória. Eu sou Bahia. Mas nos gostamos. Ele é uma referência como artista”, disse Calmon. (Bahia Notícias)


Esta frase faz menção a morte do jovem de 28 anos, Marcos Santos Novaes. Ele juntamente com a namorada saia da festa quando sofreu um acidente na Avenida Rio Branco, centro de Ipiaú. Marcos bateu a cabeça num poste de energia elétrica, quebrou uma perna e um braço e faleceu cerca de três horas depois no Hospital Prado Valadares, em Jequié. A namorada dele, Jaiane Souza também ficou ferida. O seu estado de saúde não foi divulgado.

Dentro do espaço da festa, os cerca de 40 policiais militares mantiveram a ordem no evento. No mesmo dia em que cantaria em Ipiaú, Igor Kannário realizaria um show também em Ilhéus, distante cerca de 120km. Mas, o evento foi cancelado após a juíza proibir a entrada de menores na festa. Vale ressaltar que em Jequié, o artista também não conseguiu se apresentar. Os principais clubes da cidade não aceitarão o show do cantor, por acreditarem que ele incita a violência. (Giro em Ipiaú)

CONFIRA O MOMENTO NO VÍDEO ABAIXO:


Em meio a tantos casos de corrupção que estão levando o Brasil a uma crise financeira catastrófica, no município de Camacan, no Sul da Bahia, um homem identificado como Luiz Mamédio, provou que ainda existem muitos brasileiros honestos, mesmo com as dificuldades enfrentadas no dia-a-dia, ele devolveu a quantia de R$ 220 mil que foi depositado por engano em sua conta, ao contrário do que acontece no atual cenário político do país.
Segundo publicação do blog Vermelhinho da Bahia, Luiz levou um susto, na manhã desta quarta-feira (25), quando retirou o extrato de sua conta, na agência do banco do Brasil em Camacan e constatou que alguém teria depositado , em sua conta, cerca de R$ 220 mil. Ainda surpreso o homem procurou o gerente do banco e devolveu todo o dinheiro.
Ainda segundo o blog, Luiz contou que não pensou duas vezes. Foi direto ao gerente e comunicou que aquele dinheiro não pertencia dele, e devolveu. O homem disse também, que o gerente tomou um susto e agradeceu pela honestidade.

Um homem foi conduzido ao Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) de Vitória da Conquista neste sábado (11), por esta portando certa quantia de entorpecentes. Seria mais um caso corriqueiro visto a disseminação de drogas ilícitas em todos os lugares da sociedade. Mas, a prisão do suspeito com dotes de Dom Ruan teve certos apetrechos. Além de uma calcinha encontrada com o rapaz, o que acabou chamando bastante atenção da Polícia foi uma caixinha com 365 mensagens de amor, uma para cada dia do ano. O homem que posa feliz na foto não teve sua identidade revelada. (Blog do Marcelo)

calcinha_e_drogas


O vereador responsável pelo projeto foi Marcos Lima (PRP), que diz que a novela tem “clara intenção de afrontar os cristãos em suas convicções e princípios” e que esta “outra forma de amar” apresentada contraria “nossos costumes, usos e tradições”. Na quarta-feira (8), o vereador Edvaldo Lima (PP) usou a tribuna para parabenizar Lima pela moção de censura. “Parabenizo o discurso do vereador Marcos Lima. Eu repudio qualquer ato que vá de encontro à família. E não tiro uma palavra do que estou falando aqui, a Rede Globo se quiser que me processe. Sou filho de um homem e uma mulher e nunca vi contar que duas pessoas do mesmo sexo possam gerar filhos. Estas pessoas serão cobradas depois”, afirmou. O vereador usou como exemplo de conversão a modelo Andressa Urach, lendo relatos de que ela era viciada em drogas, brigou com o pai e se envolveu com relacionamento gays, mas agora estaria em busca de um marido. Já o vereador José Carneiro (PSL), líder do Governo da Casa, disse que há liberdade de religião e de orientação sexual no Brasil. “As autoridades, tanto sexuais quanto religiosas, precisam refletir, porque está havendo uma guerra entre religião e homossexualidade”, pontuou. No dia da votação, ele sinalizou que quem não gosta da novela pode não assistir ao canal. “Vejo as pessoas repudiando e assistindo. Se não assistem, como sabem das cenas?”, disse. Mesmo assim, ele votou a favor – a moção foi aprovada com unanimidade.