Vasco fechou a contratação do técnico Celso Roth para o lugar de Doriva que pediu demissão. Ele terá a missão de tirar o time da zona de rebaixamento e será anunciado nesta segunda-feira em coletiva do presidente Eurico Miranda.

Será a terceira passagem de Celso Roth pelo Cruzmaltino. A primeira aconteceu ainda no mandato anterior do presidente Eurico Miranda, em 2007, onde chegou a animar a torcida com bons resultados iniciais. O treinador também assumiu o time de São Januário em 2010, quando também brigava contra o rebaixamento, desta vez sob comando de Roberto Dinamite.

O primeiro compromisso de Celso Roth no Vasco será o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo (28), pelo Campeonato Brasileiro. As duas equipes brigam na parte inferior da tabela e, portanto, o duelo será importante por dias melhores na competição.

Além de Celso Roth, o Vasco terá a ajuda do atacante Herrera e do meia Andrezinho na briga contra a degola. Os dois foram confirmados como reforços pelo clube, que ainda tenta a contratação do meia Ronaldinho Gaúcho. O apoiador duas vezes eleito melhor jogador do mundo (2004 e 2005) se desligou do Querétaro, do México.

O Vasco é o atual lanterna do Campeonato Brasileiro, com apenas três pontos em oito rodadas. A equipe é a única das 20 participantes da competição que ainda não venceu nesta edição. Além disso, o último triunfo do Cruzmaltino foi na final do Campeonato Carioca, sobre o Botafogo, há 49 dias.

O último tropeço da série negativa comandada por Doriva aconteceu no sábado, quando o Vasco foi derrotado por 2 a 1 pelo Sport na Arena Pernambuco. Após a partida, o treinador chegou a dizer que precisava refletir sobre o futuro. Neste domingo, ele entregou o cargo em reunião com o presidente Eurico Miranda.(UOL)


O Flamengo perdeu para o Atlético-MG por 2 a 0. O Vasco perdeu por 2 a 1 para o Sport. Ambos na tarde deste sábado, pela 8ª rodada do Brasileirão. Com os resultados, o Rubro-Negro entrou na zona do rebaixamento, enquanto o Cruz-Maltino permanece na 19ª colocação do campeonato.

Nas redes sociais, os torcedores rivais não perdoaram e fizeram piada com os resultados. Confira abaixo as zoações:

Fonte: Globoesporte.com

6b36095d-fbf1-44e9-9b7e-bdc3a4fcca6f_CH-Y9qGWEAAJ-wF

 

74883f82-67ea-4b68-8b1c-dc1da523fd98_10153082_2086195324854529_7901297919298175166_n

 

dba7ba84-d9ad-4f8c-8efe-c46012f82aae_Capturar2


Não é à toa que o samba e o futebol são os símbolos do Brasil no exterior. Assim como o gênero musical, o esporte no país agoniza, mas não morre. Levou outro golpe neste sábado, quando a seleção sub-20 viu o sonho de ganhar o sexto título mundial da categoria escapar no fim da prorrogação, com um gol de Maksimovic que definiu a vitória de 2 a 1 da Sérvia, no estádio North Harbour, em Auckland. Mas os meninos brasileiros deram mostras de que nem tudo está perdido: jogaram bem, se esforçaram, dominaram a partida. Provaram que pelos próximos anos haverá alguém para socorrer nosso combalido jogo.

Não é à toa que o samba e o futebol são os símbolos do Brasil no exterior. Assim como o gênero musical, o esporte no país agoniza, mas não morre. Levou outro golpe neste sábado, quando a seleção sub-20 viu o sonho de ganhar o sexto título mundial da categoria escapar no fim da prorrogação, com um gol de Maksimovic que definiu a vitória de 2 a 1 da Sérvia, no estádio North Harbour, em Auckland. Mas os meninos brasileiros deram mostras de que nem tudo está perdido: jogaram bem, se esforçaram, dominaram a partida. Provaram que pelos próximos anos haverá alguém para socorrer nosso combalido jogo.

O Brasil foi bem. Teve mais a posse de bola durante o jogo, criou mais chances. Porém, teve pouca presença na área. Ainda reagiu bem ao sair atrás no placar, quando Mandic fez 1 a 0 aos 24 minutos do segundo tempo. Andreas Pereira entrou, fez linda jogada individual e empatou aos 28. Na prorrogação, prevaleceu a frieza e a estratégia sérvia.
De consolo à seleção, o volante Danilo foi eleito o segundo melhor jogador do torneio, atrás do meia Adama Traoré, do Mali – o sérvio Milinkovic ficou em terceiro lugar. Rajkovic levou o prêmio de melhor goleiro, e o ucraniano Kovalenko, com cinco gols, foi o artilheiro. (Globo Esporte)


Um jogo nervoso, com muitas faltas e com um Neymar abaixo do normal. Foi assim que o Brasil conheceu sua primeira derrota sob o comando do técnico Dunga. O resultado negativo foi contra a Colômbia, por 1 a 0 nesta quarta-feira. Mais do que sair derrotado, o treinador também perdeu o atacante do Barcelona.

Depois de brilhar na estreia, Neymar sumiu na segunda partida, boa parte do fraco futebol foi graças a marcação de Sanchez e Zuñiga. Mas, a pior notícia foi a suspensão dele para o terceiro jogo, que será decisivo contra a Venezuela.

O Brasil entrará em campo contra a Venezuela empatado com a Colômbia em pontos e saldo de gols. Os venezuelanos também têm três pontos, mas ainda jogarão nesta rodada contra o Peru.

Fases do jogo: Sem o mesmo brilho da estreia por parte de Neymar e lances muito violentos das duas equipes, a Colômbia jogou melhor durante o primeiro tempo. O atacante e Firmino não conseguiam permanecer com a bola no sistema ofensivo e a posse brasileira ficava mais com os defensores do que no ataque. Foi nesse ritmo que aos poucos os colombianos foram criando perigo, principalmente com chutes de longe. Quando a finalização veio de dentro da área, com Murillo, a torcida festejou o gol.

A desvantagem no placar, diferentemente do que aconteceu com o Peru, deixou o time brasileiro ainda mais nervoso. No único lance de perigo, Ospina defendeu e Neymar tentou no rebote, mas a bola bateu em sua mão. A jogada rendeu um cartão amarelo, que o tira do duelo contra Venezuela.

A partida brasileira melhorou na etapa final graças a entrada de Philippe Coutinho na vaga de Fred. A melhor chance veio nos pés de Firmino. Mas, sem goleiro e com o gol aberto, ele mandou por cima do travessão.

O lance claro desanimou a seleção brasileira. As tentativas de jogadas foram muitas, mas a equipe não tinha uma noite boa. Errava muitos passes e parava na marcação colombiana. Ospina virou praticamente um espectador do jogo, sem nenhuma grande defesa.

Melhor: Sanchez – O volante colombiano fez uma partida perfeita. Ele anulou todas as tentativas do Brasil de criar jogadas pelo meio. Mais que isso, quando Neymar se livrava de Zuñiga, era Sanchez que aparecia para salvar.

Pior: Roberto Firmino – Ele vinha bem nos amistosos da seleção e Dunga resolveu apostar no atacante na vaga de Diego Tardelli. Mas, a aposta não deu certo. O jogador teve uma atuação muito apagada

Destaques

Olé. Assim como aconteceu na estreia, contra o Peru, o Brasil entrou na roda contra a Colômbia e a torcida se empolgou. Os gritos foram ouvidos na arquibancada, lotada de colombianos e com o apoio dos chilenos.

Lembrança. Na Copa do Mundo, justamente contra a Colômbia, o Brasil perdeu o atacante Neymar. Depois disso, a seleção perdeu por 7 a 1 para a Alemanha e por 3 a 0 para a Holanda.

Jejum. A Colômbia encerra um tabu que começou em 1991, quando James Rodríguez nasceu. Desde então, nos 2 a 0 na Copa América do Chile, o Brasil não perdia para os colombianos.


Veja o que diz a revista Veja sobre o atleta de Ubaitaba: “A constituição física desses índios (…) é robusta e sua fisionomia muito mais simpática do que a dos sabujás e dos cariris. São bons remadores e nadadores.” A descrição dos brasileiros encontrados entre 1817 e 1820 no sul da Bahia está na Viagem pelo Brasil, de Carl Friedrich Philipp von Martius e Johann Baptiste von Spix, naturalistas alemães que vieram descobrir por que nesta terra em se plantando tudo dá. Corte para o século XXI e vamos encontrar Isaquias Queiroz, medalha de ouro na prova de velocidade de 500 metros no campeonato mundial de canoagem de Duisburgo, cidade banhada pelo Ruhr. Ele é o índio brasileiro que mostra aos alemães de hoje o que é ficar de joelhos, enfiar os remos na água e zarpar. Natural de Ubaitaba, na Bahia, lugar de gente robusta, o menino sem um rim (perdido numa queda da mangueira onde buscava uma cobra) começou a remar no Rio das Contas, onde se descobriram dezenas de outros Isaquias bons de canoa. Mas nenhum foi tão longe quanto o Sem Rim, como o apelidaram jocosamente. A glória não lhe subiu à cabeça, ou quase não subiu. Isaquias, de pele e cabeleira agredidas por água e sol, coleciona cortes de cabelo e cremes hidratantes. “Já fiz até escova progressiva. Tenho de me cuidar, senão a namorada me larga”, brinca. Recentemente, Isaquias fez um corte à Neymar. Em tempo, para não restar dúvida: a palavra Ubaitaba, que dá nome à terra natal de Isaquias, é a fusão de três vocábulos indígenas: ubá, canoa pequena; y, rio; e taba, aldeia. Fonte: Veja


O departamento de futebol do Esporte Clube Bahia anunciou nesta segunda-feira (15) que não contará com o zagueiro Chicão para o final da temporada. Em nota divulgada no site oficial, a diretoria do clube disse ter chegado a um acordo amigável com o atleta e acertou a rescisão do seu contrato junto à equipe.

Chicão chegou ao Bahia em janeiro de 2015 como uma das grandes contratações para a temporada. O experiente zagueiro, no entanto, não se firmou na defesa tricolor e foi gradativamente perdendo espaço no setor defensivo do time.

O atleta de 33 anos começou a carreira no Mogi Mirim e passou por clube do interior de São Paulo e do Rio Grande do Sul até chegar ao Figueirense. Em 2008, foi transferido para o Corinthians, onde conquistou o título da Série B naquele ano marcando dez gols.

Ainda pelo Corinthians, Chicão conquistou uma Copa do Brasil, um Campeonato Brasileiro da Série A, uma Copa Libertadores e o Mundial de Clubes. Antes de vir para o Bahia o atleta estava vestindo a camisa do Flamengo, onde jogou por duas temporadas e marcou três gols. (Correio da Bahia)


O Brasil está classificado para a semifinal do Mundial Sub-20. A seleção brasileira venceu Portugal nos pênaltis, repetindo a vitória passada, contra o Uruguai. Nas cobranças, A. Pereira marcou, mas Lucão bateu pra fora. Em seguida, Jean defendeu e manteve o Brasil na disputa. Danilo marcou na sequência e aí foi a vez de André Silva chutar para fora e desanimar os portugueses. Gabriel Jesus acertou e Nuno Santos mandou por cima do travessão, garantindo a vaga brasileira nas semifinais.

A seleção portuguesa começou a partida pressionando e chegou com perigo na área brasileira três vezes nos primeiros treze minutos de jogo. Mais objetivo, o grupo dominou a primeira metade da etapa inicial. Depois, Brasil começou a equilibrar, mas não chegou a marcar. Danilo até balançou as redes adversárias, mas o gol foi anulado por conta de uma falta marcada na hora do lance.

No segundo tempo, o grupo canarinho entrou em campo mais confiante e a disputa ficou travada no princípio. Chutando mais vezes ao gol, a equipe do técnico Rogério Micale chegou perto de definir a partida, mas não marcou. Portugal também teve boas oportunidades, inclusive com uma bola na trave de Rony Lopes. Na segunda metade da fase, a seleção portuguesa foi ganhando espaço e voltou a comandar a partida.

A prorrogação já começou tensa, com oportunidades incríveis para a seleção portuguesa. Na segunda parte, ambas as seleções estavam mais agressivas, mas sem sucesso na virada do placar.