Com o rival Vitória eliminado pelo Ceará após empate por 2 a 2 no Barradão, os mais de 40 mil torcedores do Bahia ocuparam a Arena Fonte Nova certos de ver o Tricolor se classificar à final da Copa do Nordeste.
Para isso, no entanto, seria preciso vencer o Sport de Recife (um empate por 0 a 0, mesmo resultado da primeira partida das semifinais, levaria para a decisão por pênaltis).

O técnico Sérgio Soares optou por escalar Willians Santana, com o objetivo de acelerar a transição entre o meio de campo e o ataque, facilitando o trabalho de Kieza e Maxi Biancucchi.

Mas aos 22 minutos do primeiro tempo uma tempestade de água fria desabou sobre a Fonte Nova. Renê cobrou uma falta na área do Bahia, Diego Souza subiu mais que Titi e cabeceou para o fundo das redes, vencendo o goleiro Douglas Pires. Era Bahia 0 x 1 Sport, resultado que eliminaria o segundo representante baiano.
E aos 30 o Rubro-Negro pernambucano até poderia ter ampliado. Élber chutou depois de receber livre na área, mas Douglas Pires salvou o Tricolor baiano, que continua insistindo nas jogadas aéreas, sem sucesso.
Bem fechado, o Sport foi para o intervalo com a vantagem. O Bahia (sem Tiago Real, suspenso pelo terceiro cartão amarelo) precisaria de pelo menos 2 gols na segunda etapa, já que um empate por 1 a 1 classificaria o visitante.
A estatística estava do lado baiano. De oito jogos como mandante na Arena Fonte Nova, em 2015, o time venceu 7 e empatou apenas 1.
Segundo tempo
O Bahia voltou disposto a marcar logo o gol de empate e com um minuto Souza disparou uma bomba, que desviou na defesa e foi para escanteio.
E o gol veio aos 7 minutos, com Souza, de novo em chute de fora da área, um frango do goleiro Marcão. Bahia 1 x 1 Sport, resultado ainda insuficiente para levar o Tricolor à final da Copa do Nordeste.
Um minuto depois, Kieza recebeu falta dentro da área. Pênalti. Souza de novo. Bahia 2 x 1 Sport. O resultado levava o Tricolor para a final contra o Ceará.

Aí Douglas Pires resolveu antecipar a véspera do natal. Soltou uma bola fácil, um peru em cobrança de falta de Renê pela direita que mais parecia um bola atrasada. Bahia 2 x 2 Sport. Outra cachoeira de água gelada sobre os mais de 40 mil tricolores.

Mas se era véspera de natal para Douglas Pires, era festa de largo para Souza, que aos 18 minutos fez seu terceiro gol na partida e colocou de novo o Bahia na final. Bahia 3 x 2 Sport, depois de cruzamento feito pela esquerda por Bruno Paulista e de rebote da zaga do Sport.

Com 5 minutos de descontos, a torcida baiana iniciou a contagem regressiva para o domingo de festa. O Sport se lançou inteiro ao ataque, o Bahia se fechou. Terminou o jogo.

Ficha do jogo
Bahia – Douglas Pires; Tony, Thales, Titi e Patric (Bruno Paulista); Pittoni, Souza e Willians Santana (Rômulo); Maxi Biancucchi, Kieza e Léo Gamalho (Zé Ramalho)
Sport – Magrão; Vitor, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rodrigo Mancha (Régis), Ronaldo, Neto (Danilo) e Diego Souza; Elber (Felipe) e Samuel

Cartões amarelos
— Souza e Pittoni (B)
— Diego Souza, Matheus Ferraz e Danilo (S)
Cartão Vermelho
— Bruno Paulista (B)

Gols
— 3 de Souza (B)
— Diego Souza e Renê (S)

Fonte: Tribuna da Bahia.


O Paris Saint-Germain conseguiu neste sábado o combustível que precisava para encarar o Barcelona nas quartas de final da Liga dos Campeões: com dois gols de Ibrahimovice dois de Cavani, o time venceu o Bastia por 4 a 0, no Stade de France, e conquistou a Copa da Liga da França pelo segundo ano seguido.

O problema é que o sueco está suspenso (por causa da expulsão após entrada em Oscar, do Chelsea) e não vai entrar em campo contra o Barça, na próxima quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), no Parc des Princes. A partida terá transmissão ao vivo do GloboEsporte.com e da TV Globo.

Com Thiago Silva, Marquinhos e Maxwell em campo como titulares (Lucas entrou só no segundo tempo e voltou a jogar após dois meses, recuperado de lesão), Ibra abriu o placar no Stade de France aos 21 minutos do primeiro tempo, em pênalti bem cobrado no alto, sem defesa para o goleiro Areola. Squilacci, que fez a falta em Lavezzi na área, foi expulso pelo árbitro antes do gol.
O camisa 10 do PSG ampliou para 2 a 0 ainda na etapa inicial, aos 41, quando matou no peito na entrada da área e chutou rasteiro, no canto direito de Areola – este foi o 13º gol de Ibra nos últimos sete jogos. Depois, Cavani completou a vitória no segundo tempo aos 35 e 46.
A partida marcou o retorno do brasileiro Brandão aos gramados pelo Bastia. O atacante não atuava desde agosto de 2014, quando chegou a ser detido e condenado por causa de uma cabeçada em Thiago Motta, do PSG, no corredor de acesso aos vestiários. Brandão começou no banco e entrou em campo aos 36 da etapa final no lugar de Sio.
A vitória garantiu o bi da Copa da Liga da França ao PSG, que tem cinco títulos e é o maior campeão da história do torneio. Líder do Campeonato Francês com 62 pontos (um a mais que o Lyon), o time treinado por Laurent Blanc busca o tri da principal competição nacional.
– A minha alegria por poder levantar mais um troféu com a camisa do PSG é enorme. Desde que cheguei aqui, tinha a certeza de que seria uma trajetória de muitas conquistas. E esta é mais uma prova de que com comprometimento, sacrifício e amor ao que se faz, podemos ter sucesso sempre. O time todo está de parabéns pela campanha que vem fazendo nesta temporada. Com o grupo unido e focado, estamos alcançando as vitórias e nos aproximando de nossos objetivos para esta temporada – afirmou Thiago Silva.


Mais novo reforço do Flamengo, Pablo Armero foi apresentado na Gávea no fim da tarde desta sexta-feira. O lateral-esquerdo colombiano foi contratado por empréstimo junto ao Udinese-ITA até o fim do ano, com opção de compra do passe após o período. Animado, ele vestiu a camisa 2 do Rubro-Negro – que pertencia a Léo Moura – e prometeu brindar os torcedores com suas famosas danças nas comemorações de gols, conhecidas como “Armeration”.
– Gosto muito de dançar na seleção quando tem gol. Vou pensar primeiro em defender, ajudar meus companheiros. Depois, se fizer gol, todo mundo sabe que gosto de dançar. Quero dar alegrias ao torcedor – disse o jogador.

Armero, de 28 anos, estava emprestado ao Milan, mas não vinha sendo aproveitado por lá. Com a ajuda de seu empresário, Luciano Ramalho, conseguiu ser liberado pelo clube de Milão e depois também pelo Udinese, dono de seus direitos federativos e com quem tem compromisso até 2017. A chance de trabalhar novamente com Vanderlei Luxemburgo, que o comandou no Palmeiras em 2009, contribuiu bastante para a chegada do atleta da seleção da Colômbia ao Fla.
– É um jogador consagrado, de seleção colombiana e com experiência internacional. Tenho certeza que vai honrar o manto sagrado e nos dar alegrias. É um jogador de muita raça, aquilo que nossa torcida gosta. Por isso que ele vai se identificar muito com a torcida – elogiou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, que o apresentou ao lado do vice de futebol do clube, Alexandre Wrobel.
Armero ainda não se juntará ao grupo rubro-negro neste fim de semana. Ele voltará à Itália para organizar a mudança para o Rio de Janeiro junto da família e deve se apresentar a Luxemburgo no decorrer da semana que vem. O colombiano, que não poderá atuar no Campeonato Carioca por conta do fim das inscrições, terá condições para Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.
Outros tópicos da entrevista de Armero:
Escolha pelo Flamengo
– Quando me falaram do Flamengo, eu tinha duas ou três opções de seguir na Europa, mas sei que o Flamengo tem muita história na América do Sul, muitos torcedores e muitos títulos. Para mim é uma oportunidade importante. Tenho muita garra e espero agradar os torcedores.
Camisa do Léo Moura
– Dois é o dia do meu aniversário, 2 de novembro, e por isso escolhi, foi coincidência. Não foi por nada especial.
Tem a cara do Flamengo?
– Sempre fui assim, sorrisos e alegria. Isso me caracterizou. Importante eu poder estar junto de toda a gente.
Grandeza do Fla
– É uma satisfação muito grande vestir essa camisa. Joguei na Itália, na Colômbia, na Inglaterra, e todo mundo gosta do Flamengo, por toda a história do clube. Isso é muito importante para mim, me deu motivação para escolher esse time, que é muito importante a nível mundial.
Time do Flamengo
– Vi o jogo passado (empate com o Nova Iguaçu). É um bom time, que quer ganhar. Isso é muito importante. Estou torcendo para que eles vençam a próxima partida.
Data da estreia
– Eu treino sempre, todos os dias. Sou tranquilo. Continuei treinando com o grupo do Milan. Estarei à disposição da comissão técnica quando precisarem de mim.

Maracanã
– A primeira vez que joguei estava no Palmeiras. Depois pela seleção colombiana, contra o Uruguai (Copa 2014). É uma sensação muito bonita. A torcida sempre torcendo por nós, para mim. Espero que tenha muita gente nos apoiando no estádio, que nós façamos grandes partidas. Jogar no Maracanã é um sonho.


A atleta da ACI (Associação de Canoagem de Itacaré), Marta Ferreira embarca nesta sexta-feira(06), para mais um título, a da 1° Etapa da Copa Brasil de Paracanoagem. O evento acontecerá neste final de semana na Raia Olímpica da USP em São Paulo. Está etapa valerá para o Controle Nacional e classificação para vaga na Copa do Mundo no mês de maio na Alemanha.


A atleta de canoagem Marta Ferreira comprovou o favoritismo e trouxe mais um ouro para o Brasil na 1° Etapa da Copa Brasil de Paracanoagem ocorrido neste final de semana na Raia da Olímpica da Universidade de São Paulo. Esta etapa é importante para a carreira da canoísta pois serve para o Controle Nacional de atletas e vaga para o mundial que ocorrerá no mês de maio na Alemanha. Com a conquista de mais esse título, as chances de Martinha representar a nação nas maiores competições de paracanoagem do mundo aumentam. Na redes sociais Marta agradece o apoio da torcida. “Obrigada a todos os amigos que torcem por mim. Graças a Deus conquistei mais um ouro”, disse. No “dia internacional da mulher”, Marta deixa um belo exemplo de superação, força e competência. Ela mostra que não existem barreiras quando se quer vencer. E para se tornar uma vencedora, tem de fazer por merecer! Parabéns! (Informe)