O surfista Chris Blowes, de 26 anos, se encontra em estado crítico após sofrer o ataque de um tubarão branco de seis metros no sul da Austrália. O acidente ocorreu na manhã do último sábado, quando ele surfava a 350 metros da praia, no pico conhecido como “Right Point”, em Fishery Bay, a cerca de 40 quilômetros ao sul de Port Lincoln. Depois de ser encaminhado para o Port Lincoln Hospital, o australiano foi transferido de helicóptero para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Royal Adelaide Hospital, em Adelaide, cidade com mais recursos para atender o jovem em estado grave. De acordo com as autoridades locais, Blowes precisou ser reanimado na ambulância.
Blowes estava na água com outros 12 surfistas quando foi atacado pelo enorme tubarão, descrito pelas testemunhas como “monstro gigante”. De acordo com a mídia local, ele teria sofrido algumas mordidas antes de o animal ter arrancado uma parte de sua perna (da coxa para baixo). Após ser resgatado, alguns surfistas e amigos do australiano fizeram um torniquete na tentativa de estancar o sangramento.

– O tubarão veio, arrancou a perna dele e os caras o ajudaram, levando-o até o penhasco – disse Glenn Lugg, que surfa há 25 anos no pico e assistiu ao ataque da areia, em uma entrevista ao jornal “Adelaide Now” – Eu estava ali só olhando o tubarão se afastando em direção ao oceano com a prancha. Obviamente, o tubarão ainda estava com a perna dele e nadando em círculos. Havia sangue por todo o lado – completou a testemunha.

Após o incidente, a polícia local espalhou cartazes pela praia avisando sobre o risco de novos ataques na região. De acordo com as autoridades, o acidente teria acontecido em um dia de condições perigosas, em que não era possível observar o fundo do mar e detectar a presença de tubarões. Muitas vezes, os ataques acontecem porque os humanos são confundidos com focas, tartarugas ou golfinhos. Há 10 anos, um outro surfista, Jake Heron, foi atacado por um tubarão branco de quatro metros em Fishery Bay. Ele lutou com o animal e conseguiu escapar depois de acertar alguns chutes, levando 20 pontos no braço e outros 40 na coxa.
Pescadores locais afirmam que o número de tubarões vistos na área aumentou recentemente.
– Muitos tubarões têm sido vistos recentemente nas localidades próximas à costa de Fishery Bay, bem na esquina. E os que viram disseram que eles estão mais agressivos atualmente – disse Jonas Woolford, presidente da associação de pescadores da região, à “ABC”. (Globo Esporte)


Bocão News:

Continuando a ‘zoação’ que teve início na noite de quarta-feira (22), quando Jean engoliu um frango na Fonte Nova, os torcedores rivais do Bahia voltaram tirar onda com o Bahia nas redes sociais após a goleada sofrida pelo Esquadrão diante do Conquista, em partida válida pela final do Campeonato Baiano.

Sem esquecer o apelido de ‘Sardinha’, os agora adeptos do Bode colocaram a criatividade para trabalhar, confira os memes:

Bahia_perde_para_vitoria_da_conquista

Bahia_perde_para_vitoria_da_conquista


Bocão News

Buscando defender o atacante Rafaelson, que marcou contra o Bahia na final do Baianão sub-20 e foi acusado de ser ‘Gato’, ou seja, ter alterado a idade, o Vitória tratou de esclarecer a situação do atleta.

Através do site oficial, o Leão soltou uma nota em que chega a provocar o rival Bahia, dizendo que a suposta irregularidade só teria sido apontada após a derrota na final do estadual.
 
Confira a nota:

Tomando conhecimento de nota publicada pela imprensa apontando suspeita de irregularidade do atleta RAFAELSON BEZERRA FERNANDES, autor de um dos gols da partida contra o Bahia, pelo primeiro jogo da final do Campeonato Baiano Sub-20, realizada sábado, dia 25 de abril, a Diretoria do EC Vitória presta os seguintes esclarecimentos à nossa torcida:

1. O atleta Rafaelson nasceu em 30/03/1997, conforme certidão de nascimento, declaração do Hospital onde ocorreu o parto e outros documentos em poder de sua família;

2. Atuou pela Divisão de Base do Bahia, clube pelo qual foi registrado com indicação da data de nascimento acima e que jamais questionou a sua idade;

3. Transferido para o Vitória, foi regularmente registrado, tendo participado de diversas partidas e competições, sem que houvesse qualquer impugnação, quer pelo Bahia, quer de outro clube qualquer;

4. Segundo informações do pai do atleta, houve efetivamente equívoco no registro do irmão do atleta, Antônio Ranielson Bezerra Fernandes, que nasceu em 13/12/1995, mas foi registrado como tendo nascido em 13/12/1996, o que ocasionou a interpretação equivocada;

5. A Diretoria do Vitória tranquiliza a sua torcida quanto à regularidade do atleta, destacando a sua estranheza pelo fato de jamais ter sido alegada a pretensa irregularidade – que somente foi feita agora, após derrota do adversário.

Salvador, 26 de abril de 2015
A DIRETORIA


O ex-meia Piá, com passagens por Corinthians, Ponte Preta e Santos, foi preso em flagrante pela Polícia Militar de Americana, na tarde deste sábado, após instalar dispositivos de “pescar” envelopes num caixa eletrônico de uma agência na Avenida Cillos. Ele foi levado para a Central de Polícia Judiciária da cidade, onde será registrada a ocorrência. É a segunda vez que Piá é detido por tentativa de furto a caixa eletrônico.
A PM chegou ao local após uma denúncia anônima de um cliente da agência. Após a prisão, a Polícia Militar entrou em contato com a empresa de monitoramento para se certificar que o equipamento havia sido instalado. A resposta foi que, além da ação em Americana, Piá também foi visto pelas imagens em um banco de Limeira. Outros dispositivos estavam escondidos presos ao teto do veículo dele.

Em janeiro do ano passado, o ex-jogador passou 21 dias no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia depois de ser indiciado por tentativa de furto qualificado a um caixa eletrônico de Campinas. Foi liberado após a Justiça conceder habeas corpus e respondia o processo em liberdade provisória. Piá também já tinha ficha por porte de drogas e de arma e falta de pagamento de pensão
O ex-meia já teve o nome envolvido em outros casos policiais. A primeira aconteceu em julho de 1999, quando ele, então atleta da Ponte Preta, foi indiciado como coautor do assassinato de um mecânico, em uma lanchonete de Limeira. A acusação era que Piá foi o responsável por dar a ordem para um primo pegar o revólver em seu carro e atirar na vítima. Ele foi absolvido.

Aos 40 anos, Piá parou de jogar em 2011, pelo Aparecidense-GO. O último trabalho foi pelo União São João de Araras, ano passado, como auxiliar técnico. O auge da carreira foi entre 1999 e 2003, quando fez parte dos times da Ponte que atingiram as semifinais do Paulistão e também da Copa do Brasil e as quartas do Brasileirão.

Além de Macaca, Corinthians e Santos, defendeu, entre outros clubes, Portuguesa, Santa Cruz, Coritiba, Inter de Limeira, Bragantino, São Raimundo, Rio Preto e Independente de Limeira. (Globoesporte.com)


O atacante Jobson, do Botafogo, está suspenso do futebol por quatro anos. A punição acontece por ele ter se negado a fazer um exame antidoping enquanto atuava no futebol da Arábia Saudita, em 2014. Sempre existiu a dúvida sobre a validade da pena fora do país árabe, mas nesta sexta-feira a Fifa confirmou que a suspensão é válida em todo mundo.

O Botafogo já foi notificado, e o departamento jurídico está analisando o caso. De acordo com Marcos Motta, advogado do atacante, a decisão da Fifa não causa surpresa, mas as medidas legais já estão sendo tomadas para que o jogador esteja em campo no segundo jogo da final do Campeonato Carioca, diante do Vasco.
– É uma determinação da Fifa, os métodos adotados na Arábia são até certo ponto questionáveis, mas não nos pegou de surpresa. Ele terá que acatar a decisão da entidade máxima e não vai para o primeiro jogo da final, não tem jeito. Já conversei com o Jobson e ele está ciente. Vamos manejar e entrar com a apelação na semana que vem para conseguir pelo menos um efeito suspensivo. Com certeza vamos impetrar a primeira apelação – disse.
Bichara Netto, que também está cuidando do caso, explicou que o maior obstáculo no momento é conseguir ter acesso ao processo, para que a defesa possa fundamentar a argumentação.
– Nesse caso, o pedido de efeito suspensivo, infelizmente, não é tão rápido como seria aqui no nosso STJD. Nós precisaremos saber como foi feita a fundamentação. Nossa luta é para ver o processo antes do próximo jogo – disse em entrevista à Rádio Globo.
De acordo com o vice-jurídico do Alvinegro, Domingos Fleury, o Botafogo considera a punição exagerada e vai dar todo suporte ao jogador neste momento.
– O Botafogo acha que quatro anos de suspensão é uma punição elevadíssima. Até porque o Jobson já realizou dois exames antidoping desde que voltou ao Botafogo e nada foi constatado. O advogado dele vai defender o caso, e o Botafogo vai dar todo o suporte necessário. A ideia é cancelar ou reduzir a pena, já que uma suspensão de quatro anos encerraria a carreira do Jobson. O advogado dele (Marcos Motta) vai entrar com o pedido de efeito suspensivo na próxima semana. Então, para esse primeiro jogo contra o Vasco, o Jobson está fora. Estamos pensando na Copa do Brasil e no segundo jogo.

Entenda o caso:
Há um ano, Jobson foi notificado de que estaria suspenso por quatro anos por ter se recusado a fazer um exame antidoping no dia 25 de março de 2014, pelo Antidoping da Arábia Saudita. O documento dizia que a suspensão preventiva vale para jogos “internamente e externamente”. De acordo com a nota, o jogador se omitiu a realizar o teste e não deu ouvidos aos avisos subsequentes. O Comitê Antidoping afirma ter comunicado, primeiramente, o clube sobre a infração. Depois, o jogador teria sido procurado pessoalmente através de telefone e até mesmo em sua residência, não sendo encontrado.
Por fim, Jobson teria faltado a duas audiências no Gabinete da Presidência Geral da Juventude e Bem-Estar de Jidá. O comunicado do comitê lembrou que o jogador já teve outros dois problemas com doping, em 2009, testando positivo para o uso de cocaína, o que o deixou afastado dos gramados, primeiramente, por sete meses, e, depois, por mais seis.

Os advogados do atacante, no entanto, sempre afirmaram que o que aconteceu na ocasião foi uma arbitrariedade. A principal tese levantada pelos responsáveis pela defesa de Jobson é de que trata-se de uma espécie de represália, já que o atacante acionou o Al Ittihad na Fifa para receber salários e outros pagamentos devidos. Como o clube tem força na Federação Saudita, teria havido uma suposta articulação para punir o jogador numa situação no mínimo incomum quando se trata de um procedimento antidoping.
Jobson voltou a entrar em campo e reestreou com a camisa do Botafogo apenas no dia 20 de outubro do ano passado, no empate com o Sport, pelo Campeonato Brasileiro.
Atualmente, o jogador negocia a renovação do contrato com o clube alvinegro.


A diretoria do Juazeirense confirmou na manhã desta segunda-feira (1º) a rescisão do contrato de mais três atletas: o atacante Itacaré, o meia Tiago Mexerica e o zagueiro Marcondes. O trio não estava agradando a comissão técnica e por isso foram liberadores.

– Tudo foi acertado amigavelmente. Infelizmente eles não deram certo aqui no Juazeirense e por isso entramos em acordo e liberamos – disse Roberto Carlos, presidente do clube, em entrevista ao Bahia Notícias.

De acordo com o mandatário do Cancão de Fogo, novos reforços devem chegar ainda nesta semana.

– Vamos contratar reforços. Já estamos em busca e devemos anunciar assim que fecharmos – finalizou.

O Juazeirense volta a campo no próximo sábado (6), no clássico contra o Juazeiro, no Estádio Adauto Moraes.