Com timbre diferenciado, o músico Leonardo Oliveira, mais conhecido como Leo Poet nasceu em 1987 em Salvador e já desde criança demonstrava interesse pela música. Estimulado pela família, teve o primeiro contato com o piano aos 8 anos e começou a aprender os fundamentos musicais através dele.

Na adolescência, aos 15 anos de idade, Leo passou a integrar a banda Unidos & Resistentes como guitarrista e vocalista. O grupo chegou a conquistar um espaço importante na cena local juntamente com outras bandas como Red Meditation e Semente da Paz. As três juntas formaram uma família musical que por muitos anos representou a resistência do movimento do Reggae em Salvador.

Ao lado da “Unidos” (como era chamada pelos fãs), Léo gravou dois CDs que foram essenciais para o seu amadurecimento como músico e no traçado da sua futura carreira.

Em 2010, Leo Poet saiu em carreira solo já com um EP de 4 músicas que rendeu diversas apresentações e também participações com outros grupos de destaque da cena local.

Já no ano de 2014 Leo Poet lança um grande álbum com o titulo de Vaso Novo, contendo canções com mensagens fortes de força fé e esperança , com base em suas experiencias e crescimento espiritual. Musicas como Espirito Santo , Guiado por Jah e Vaso Novo se tornaram bem conhecidas e cantadas pelos fãs.

Já morando em Itacaré, o terceiro álbum, intitulado “Coração Sedento”, com 13 faixas, gravado no Studio Poet, mixado por Leo Poet, masterizado no Estúdio 878. Faixas Dub produzidas por Rafael Labate DUB Baixada Lab Produz.Se você ainda não conhece o som, confira:

Você pode tá ouvido outras música de Léo Poet clicando aqui

 


O Projeto “Entre Calças” é um show com linguagem híbrida que reúne performance, dança, música e audiovisual. A iniciativa é um desdobramento da performance “Uma Coreografia para minha calça”, que já aconteceu nas cidades de Belém (PA) e Brasília (DF), com a atuação do bailarino Danilo Bracchi. Na Bahia, a releitura da performance deu origem ao Projeto “Entre Calças”, que conta com a cantora e compositora Laís Marques, o DJ Múcio Caló e o bailarino Danilo Bracchi.
O “Entre Calças” vai estrear nessa sexta-feira (18), às 21h, no Estúdios Armondes, em Itacaré, ao lado da Pousada Sítio Paraíso, localizado na Rua Leonardo Magalhães – Centro . No dia 26 de maio, sábado, o trio vai apresentar o mesmo espetáculo na Casa Malvina, em Ilhéus. (Blog do Gusmão)


O jornalista e escritor Flavio Gomes lança em São Paulo, no dia 27 de março,  seu primeiro romance: “Dois Cigarros”, pela editora mineira Guliver, de Divinópolis. 

Depois de “O Boto do Reno”, de 2005, uma coletânea de crônicas da época em que viajava pelo mundo para coberturas da Fórmula 1, “Dois Cigarros” traz um arquiteto solitário e uma jovem misteriosa que nunca falava do passado, que se encontram para uma viagem sem destino, passando pelo interior de Minas Gerias, pequenas cidades alemãs, São Paulo, Paris, Berlim, Amsterdã, Itacaré, Budapeste, Praga e Estrasburgo, sem que jamais um saiba o bastante do outro para imaginar um fim possível. Clique aqui e veja a sinopse completa.

Depois do lançamento em São Paulo, na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinnho, 915), Flavio Gomes também estará em noite de autógrafos no Rio de Janeiro (12/04) e Belo Horizonte (05/05).


A grande festa da virada do Terra Boa Hotel Boutique, já se tornou tradição em Itacaré.Gente bonita, muita diversão, música de qualidade, ceia completa, segurança, conforto e open bar!

Há seis anos o Terra Boa Hotel Boutique festeja a virada do ano com seus clientes e amigos. Uma festa recheada de muita alegria, diversão e música de qualidade, com ceia completa, open bar e muita gente bonita.E no Réveillon 2018 não poderia ser diferente, terá como atração Jane Monteiro (a banda da curtição) e Diego Schaun (rock clássico).

Já reservou sua mesa? Garanta seu Réveillon 2018 em Itacaré,

Clique aqui e reserve agora sua mesa.


O Projeto Caravana da Música desembarca no próximo dia 18 de novembro em Itacaré, trazendo como atração principal a banda Skanibais. O show será às 19 horas, na praça São Miguel, mas a proposta é de realizar durante o dia oficinas e encontros com estudantes para discutir arte e cultura.

O Projeto Caravana da Música é uma iniciativa que pelo segundo ano percorrerá diversos municípios baianos promovendo a circulação de artistas com apresentações gratuitas em espaços públicos e oficinas. A realização é da Maré Projetos Culturais, com patrocínio da Vivo e Governo da Bahia, por meio do Fazcultura, programa de incentivo fiscal da Secretaria da Fazenda e da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e em Itacaré conta com o apoio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Juventude, Esporte e Cultura e Secretaria de Turismo.

A banda Skanibais, primeira produção baiana que toca o ritmo jamaicano ska. O grupo leva para o público o repertório do disco “Qual É A Parte Mais Gostosa de Você”, com versões de samba, MPB, reggae, rock nacional e internacional, forró e clássicos do ska. Em formato instrumental, a banda é composta pelos músicos Uirá ( bateria), Neomário Marques (baixo), Jorge Solovera (guitarra), Anderson Lacerda (piano), Gilmar Santos (trombone), Ito Bispo (sax tenor e alto), Kiko Souza (sax barítono e flauta) e João Teoria (trompete). A proposta é divulgar o ritmo jamaicano e suas possibilidades de mistura com a música brasileira e, em particular, com a música nordestina.

O Caravana da Música promove a interiorização da música baiana e difusão da produção artística e estima chegar a 10 mil espectadores. Os nomes que compõem a programação foram selecionados por meio de uma chamada pública que contou com 250 inscritos, submetidos à avaliação da curadoria formada pelo jornalista Luciano Matos, os produtores culturais Ivanna Souto e Luizão Pereira. Foram avaliados aspectos como diversidade de gênero entre os inscritos, iniciativas que valorizam o diálogo entre ritmos e difundam a brasilidade com criatividade e a trajetória do artista/ banda, bem como demandas técnicas e logísticas.

De acordo com Fernanda Bezerra, diretora da Maré Produções Culturais e idealizadora do projeto, “Caravana da Música é um dos principais projetos, realizados hoje na Bahia, destinados a interiorização da música contemporânea autoral produzida por artistas baianos. A segunda edição chega para amadurecer este projeto que busca promover a ocupação e dinamização cultural do espaço público”.


A sexta edição do Festival de Dança Itacaré consolidou o evento como um dos mais importantes do Calendário das Artes da Bahia. Realizado em duas etapas (13 a 17 em Itacaré, 22 e 23 de setembro em Ilhéus), pela Casa Ver Arte e Comunidade Tia Marita, com apoio financeiro do governo da Bahia (através do Fundo de Cultura) e secretarias estaduais da Fazenda e Cultura, envolveu 66 pessoas, entre bailarinos, palestrantes e oficineiros, de Salvador, Itacaré, Valença, Curitiba, Ipatinga, Belo Horizonte, Goiânia, Paraíba, Fortaleza e Ilhéus, além da equipe de produção.

Durante sete dias de programação, o festival apresentou 12 espetáculos de dança contemporânea, rodas de conversas e oficinas sobre questões essenciais das políticas públicas e produção cultural do setor. “Este festival já é um dos mais importantes do Brasil, por isso ficamos muito gratos pela participação. Esperamos que a comunidade e os artistas o apoiem cada vez mais”, disse o coreógrafo Bruno de Jesus, diretor de Da Própria Pele não há quem Fuja, espetáculo da Cia. de Dança ExperimentandoNUS, que encerrou a programação do evento, sábado (23), no Teatro Municipal de Ilhéus, apresentando uma emblemática pesquisa sobre a diversidade no contexto afro-cultural brasileiro.

Ainda no sábado, o grupo Ateliê do Gesto encenou O Crivo, inspirado na obra Primeiras Estórias, do escritor João Guimarães Rosa. O especialista em gestão cultural, Pawlo Cidade, ministrou oficina sobre produção cultural, na Academia de Letras de Ilhéus. “Foi uma oportunidade de aperfeiçoamento do nosso trabalho cotidiano e de contato com pontos estratégicos da atividade profissional”, comentou o produtor Well Perelo, após a oficina.

Na sexta-feira (22), os ilheenses receberam os solos A Mulata, da bailarina cearense Wilemara Barros e ISTC, trabalho biográfico e performático de Isaura Tupiniquim. A diretora artística do festival, Verusya Correia observa que toda a complexidade crítica, profissional e artística do evento começa a ter visibilidade na região e no país. “Agradeço imensamente aos produtores, artistas, parceiros, convidados, apoiador financeiro e públicos por acreditarem na expansão do imaginário político. Que possamos dar visibilidade às questões que nos assombram”.

Fonte: Municípios Baianos


Em outubro de 2014, após uma briga doméstica, o cantor e compositor ubaitabense Moreno decidiu largar a música mundana. Desde então se tornou um missionário da palavra de Deus. Consagrado no passado como Moreno do Caprixo, agora ele é Moreno em Cristo. O vídeo abaixo mostra um dos seus sucessos na fase atual, o hit “Bota a mão que cai”, do álbum “Marcas da minha vida”. Confira! (Blog do Gusmão)