O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) não desistiu da candidatura à Presidência da República. O parlamentar pediu seu desligamento partido que representa e pelo qual foi eleito. A desfiliação foi feita em pedido ao presidente da sigla, senador Ciro Nogueira (PP-PI).

Bolsonaro, agora, já começa a negociar com partidos menores para poder sair candidato à presidente em 2018. Ele acredita que, se tentar fundar um novo partido, pode acabar fora da disputa – assim como aconteceu com Marina Silva em 2014 ao tentar fundar a Rede Sustentabilidade.

Partidos conservadores, como o PRTB, já se movimentam para tentar trazer Bolsonaro. “Tenho simpatia pelos evangélicos, os cristãos, com os que querem arma para defesa pessoal dentro de casa. Não adianta eu ser deputado e ver o Brasil afundando”, afirmou o militar da reserva no discurso que fez, onde ainda ressaltou os problemas do PP.

“Acredito que meu partido está numa situação difícil, levou um golpe duro. Estamos no noticiário negativo quase todos os dias”, disse em referência às investigações da Operação Lava Jato.

Conhecido por declarações polêmicas contra a união homoafetiva e em defesa da ditadura militar, Bolsonaro afirmou não ter espaço no PP para seguir o “sonho” de concorrer à Presidência. (Varela Notícias)


A ex-secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Rodham Clinton, confirmou neste domingo (12) que será candidata à presidência da República pelo Partido Democrata. É a segunda vez que a esposa do ex-presidente norte-americano, Bill Clinton, tenta concorrer ao cargo – em 2008, Hillary perdeu as prévias para o atual presidente Barack Obama. Com o anúncio, feito pelo porta-voz John Podesta, pôs fim a dois anos de especulações e desmentidos, de acordo com o jornal “The New York Times” e a agência Associated Press.