A Universidade Estadual de Santa Cruz caiu duas posições no Ranking Universitário da Folha de São Paulo, levantamento anual que mede a qualidade das instituições de ensino superior. A Uesc aparece na 65ª posição neste ano. A Uesc caiu duas posições por obter a nota 56,68. A líder do levantamento deste ano é a UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, com 97,46. Ela superou a USP, segunda colocada com 97,03. A melhor instituição baiana no Ranking é a Universidade Federal da Bahia. Aparece na 14ª posição, com 86,94. A segunda é a Universidade Estadual de Feira de Santana, na 64ª posição, um pouco melhor que a da Uesc, com 58,99. O ranking universitário da Folha avalia, além da qualidade do ensino, itens como inovação e internacionalização. Outro conceito é a produção científica, incluindo número de trabalhos científicos e recursos federais captados para pesquisa. *Informações do site A Região


Faltando pouco mais de dois meses para as provas, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 alcançou dois números recordes. A edição deste ano já é a campeã no valor arrecadado em inscrições e, ao mesmo tempo, deve ser a mais cara para os cofres do governo federal desde 2009, quando a prova teve seu  formato alterado. De acordo com o Ministério da Educação, a previsão orçamentária para o Enem 2016 é de R$ 788.345.024, o maior valor absoluto autorizado a ser empregado em sua realização. Com as 8,732 milhões de inscrições, o MEC arrecadou R$ 136,2 milhões, maior valor da série. Segundo a estimativa do MEC, o custo médio por aluno, descontando os gastos e o valor arrecadado com inscrições, será de R$ 74,67 nessa edição.


Com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) marcado para a primeira semana de novembro, o Ministério da Educação tornou disponível a terceira etapa do simulado de 2016 no portal Hora do Enem. Para os estudantes que farão o exame e têm interesse em fazer o simulado, o acesso é gratuito, pelo site e ficará disponível até as 20h deste domingo (11). O simulado tem 80 questões, divididas em 2 áreas, podendo ser resolvido em até 4 horas. O tempo é cronometrado e não permite pausas. Do total de questões, 75% são novas. Os candidatos podem fazer o simulado por computador, tablet ou pelo aplicativo que está disponível para Android. Os alunos que não tiverem acesso à internet em casa, o poderão fazer o simulado na própria escola.

Ao finalizar o simulado, o aplicativo disponibiliza ao candidato o acesso a um ranking geral de todos os candidatos interessados no mesmo curso, também fica disponível o desempenho do estudante, mostrando sua nota atual e a nota de corte do curso desejado. A nota de corte do simulado não é válida para concorrer a uma vaga nas universidades. A quarta e última edição do simulado terá início no dia 8 de outubro e contará com 45 questões por área, totalizando 180 questões, com 2h15 de realização em cada caderno, assim como no Enem. A aplicação das provas do Enem 2016 acontecerá nos dias 05 e 06 de novembro de 2016, com 180 questões, divididas em 4 áreas: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática e Linguagens e Códigos.


Em tom de desabafo, alunos da Escola Municipal Padre Edgar dos Santos Torres (Ensino Fundamental), localizada em Taboquinhas, nos enviaram diversas imagens das sala de aula completamente alagada após chuva de hoje pela manhã. Os alunos reivindicam melhorias na estrutura precária da unidade e cobram providências urgentes da gestão municipal.

Segundo informações, a água que alagou a escola é oriunda de uma sala de aula que desabou no inicio do último mês. E até a manhã desta segunda-feira (29), permanece descoberta, e aguardando reparo da prefeitura. Confira algumas imagens abaixo:

escola_alaga_em_taboquinhas01

IMG-20160829-WA0031
Nas imagens, é possível ver o chão da sala de aula alagado, o que impede os alunos de estudarem.
escolas_alaga_em_taboquinhas
Alunos retirando a água do chão da sala de aula alagado.

 

Abaixo imagem do teto de uma sala de aula da mesma Escola, desabou, e felizmente ninguém estava na escola no momento do acidente.

13901927_630900310396256_553199737_o

 


Já algum tempo, estudantes universitários reclamam das más condições do transporte universitário, em Itacaré. Eles alegam que os veículos estão em situação precária, vidros quebrados, cintos de segurança ruins e sujeira. E nesta terça-feira(23), os estudantes tiveram que revezar, puxando uma corda improvisada amarrada ao limpador de para-brisa que estava quebrado.A noite a situação foi pior ainda, ônibus parou várias vezes na estrada em meio a escuridão, para arrumar a corda que não suportou.Cerca de 40 alunos estavam no ônibus. “O motorista puxava a corda de um lado e nos do outro, para seguirmos viagem, um verdadeiro absurdo com a educação do municipio que está abandonada a bom tempo”, comentou uma estudante. “Outro dia, o ônibus pegou fogo e saiu fumaça pra todo lado, com todo mundo dentro, por sorte não causou um desastre. Prefeito respeito é tudo que pedimos”, comentou outra estudante.

Atualizado as 17hrs.

Por meio da assessoria, a Secretária da Educação de Itacaré informou que não tinha tomado conhecimento da situação ocorrida com o ônibus. A secretaria informou ainda que o limpador de para-brisa foi consertado nesta quarta-feira (24).

Confira o vídeo abaixo:


Alunos do CETEP Litoral Sul, em Maraú, organizaram uma manifestação pelas ruas da cidade cobrando soluções para a escola. Eles se solidarizaram com os trabalhadores terceirizados que estão com salários atrasados e sem contrato de trabalho.

A unidade de ensino estadual está paralisada por conta da falta de pagamento aos funcionários. Além disso, os trabalhadores estão sem contrato de trabalho desde o início de julho. A situação é idêntica ao que já acontece em outras unidades de ensino do estado.

O governo do estado prometeu resolver a situação mediante a recontratação através de novas empresas que venceram as licitações para terceirização, onde os contratos seriam adequados às novas regras da “lei anticalote”, porém nada foi resolvido para os funcionários do colégio. Os alunos cobram solução definitiva e prometem só voltar às aulas quando tudo estiver resolvido. (Maraú Notícias)


Segundo o MPF, outras procuradorias da República no estado  expediram recomendações com o mesmo objetivo a municípios baianos com o objetivo de garantir a utilização desses recursos na manutenção e desenvolvimento do ensino. Algumas cidades brasileiras moveram ações com o objetivo de receber o reembolso dos gastos que tiveram no período em que o Governo Federal deixou de repassar os valores do Fundo, entre os anos de 1998 e 2007.

Contudo, alguns prefeitos têm recebido os precatórios e alegado que a aplicação dos valores pode ocorrer em outras áreas que não a Educação. As recomendações, assinadas pelo procurador da República Tiago Modesto Rabelo, consideram que, se a condenação da União visa a complementação do repasse de verbas do então Fundef, os valores obtidos por meio desses precatórios somente podem ser usados na Educação, nas específicas finalidades previstas em lei.

Os municípios que receberam a recomendação foram: Ilhéus, Itabuna, Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barro Preto, Buerarema, Cairu, Camamu, Canavieiras, Gandu, Camacan, Coaraci, Firmino Alves, Floresta Azul, Ibicaraí, Ibicuí, Ibirapitanga, Igrapiúna, Iguaí, Itacaré, Ituberá, Itajú do Colônia, Itajuípe, Itapé, Itapitanga, Itororó, Jussari, Maraú, Mascote, Nilo Peçanha, Nova Canaã, Pau Brasil, Piraí do Norte, Potiraguá, Presidente Tancredo Neves, Santa Cruz da Vitória, Santa Luzia, São José da Vitória, Taperoá, Teolândia, Ubaitaba, Una, Uruçuca e Wenceslau Guimarães. Fonte: Metrópole 1