Após 3 dias de paralisação na semana passada, os professores da rede estadual vão cruzar os braços de novo. Pelo menos outras duas paralisações estão agendadas. A próxima na sexta-feira.

Os professores são contra o reajuste salarial parcelado. O governo acenou com reposição de 6,41%, mas parcelado em duas vezes. A primeira parcela, de 3,5%, seria retroativa a março. A segunda, de 2,91%, em novembro.

Os professores cobram reajuste integral, sem parcelamento, segundo nota da direção da APLB-Sindicato, que representa os docentes da educação básica. Além da paralisação, não haverá aula no dia 30. ( Aregião)


A estudante de Feira de Santana que foi aceita em nove universidades dos Estados Unidos, Geórgia Gabriela Sampaio, 19 anos, não tem condições financeiras para viajar e conhecer todos os campi universitários. A mãe de Geórgia, a dona de casa Sidney da Silva Sampaio, conta que a jovem viajaria para os Estados Unidos na próxima segunda-feira (13) para visitar as instituições antes de tomar a decisão sobre em qual delas vai estudar. “Nós não temos alto poder aquisitivo e a recepção nos campi já começa na terça-feira (14)” lamenta. As informações são do site Acorda Cidade. A jovem feirense foi aceita na Yale University, Stanford University, Minerva, Columbia University, Duke University, Northeastern University, Middlebury College, Dartmouth College e Barnard College. Para a estudante, sua pesquisa sobre endometriose ajudou na aceitação das universidades. As aulas estão previstas para começar em agosto.


Representantes dos professores, servidores e alunos das universidades estaduais foram recebidos por gestores das secretarias estaduais da Educação e da Administração, nesta quarta-feira (8), na sede da Secretaria da Educação, no Centro Administrativo (CAB), em Salvador. Na ocasião, o Governo do Estado reafirmou, mais uma vez, o compromisso de que não haverá corte no orçamento das universidades estaduais que, em 2015, passa de R$ 1,1 bilhão. O valor é 3,8% superior ao destinado às universidades no ano passado. De 2007 a 2015, o governo ampliou em mais de 145% o orçamento para as quatro universidades estaduais passando, neste período, de R$ 460,7 milhões para montante acima de R$ 1,1 bilhão. A Secretaria da Educação ressalta que universidades têm autonomia para administrar os recursos, de acordo com suas necessidades administrativas. A garantia do orçamento para as universidades também foi reafirmada em reunião, no dia 31 de março, com os reitores das universidades estaduais e representantes das secretarias estaduais da Administração, Fazenda e Educação.