Os candidatos do o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 já podem consultar o espelho da correção da redação. Segundo a assessoria de imprensa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o acesso ao espelho foi liberado na noite de sexta-feira (8). Para acessar a correção, é preciso inserir o CPF e a senha de login no site de resultados do Enem. O Inep diz que foram corrigidas 6.193.565 provas de redação, e que 250 estudantes tiveram a nota máxima. Eles representam um índice de apenas 0,004% do total de pessoas que fizeram o exame de 2014. De acordo com o instituto, nesse ano houve menos discrepância entre as notas dos corretores. Os dados mostram que 43,5% de todas as redações tiveram que passar por um terceiro corretor. No ano passado, 50% das redações passaram por uma terceira correção. Pelas regras do edital, desde o Enem 2013 a prova de redação tem dois corretores, mas precisa passar pela correção de uma terceira pessoa sempre que as duas primeiras notas tenham discrepância acima de 100 pontos na nota final, ou 80 pontos em pelo menos uma das cinco competências avaliadas na prova.

Nota mil, nota zero
O seleto grupo de 250 estudantes cumpriu com eficiência as cinco competências exigidas na prova e soube dissertar com propriedade sobre o tema proposto na prova, “Publicidade infantil no Brasil”.
Mais de 529 mil candidatos tiraram zero na redação do Enem realizado em novembro do ano passado, sendo que 217 mil tiveram a prova anulada porque fugiram no texto ao tema proposto.

Em janeiro, quando divulgou um balanço do exame de 2014, o MEC afirmou que a média das notas em redação teve uma queda de 9,7% em relação ao Enem de 2013 entre os alunos que estão concluindo o ensino médio.
O G1 reuniu as histórias de alguns desses alunos nota 1.000 na redação do Enem. Entre as dicas estão treino e dedicação, conhecimento profundo das regras da prova, técnicas de relaxamento para não deixar o nervosismo atrapalhar o desempenho, hábito de leitura enraizado desde a infância e experiência acumulada de outras edições da prova.(G1)


G1

O prazo para quem não tem o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) fazer a inscrição termina nesta quinta-feira (30). As inscrições devem ser feitas no site do Fies. O Ministério da Educação (MEC) prorrogou para 29 de maio o prazo apenas para quem já tem o auxílio e precisa renovar o contrato.

Muitos estudantes reclamam que não conseguem fazer a inscrição e temem ficar sem o auxílio ao término do prazo.

Para não perder alunos, algumas faculdades têm buscado alternativas. Em Belo Horizonte, uma universidade ofereceu financiamento próprio. Nesse caso, os estudantes pagam 50% das mensalidades durante o curso e a outra metade após a formação.

Entretanto, o ministro da Educação Renato Janine Ribeiro alerta que o aluno deve se atentar aos juros e não se endividar além do que pode comprometer sua renda futura. Os alunos que já fazem parte do Fies não podem recorrer a esta opção e devem fazer a renovação.

O ministro afirmou que os estudantes que buscam a renovação serão atendidos. “Eu garanto que, quem tem refinanciamento, tem um mês de prazo e, nesse mês, vai dar para resolver todas as situações deles. Eles [estudantes] têm que ficar tranquilos”, garantiu Janine.

Até a sexta-feira (23), cerca de 242 mil novos contratos tinham sido feitos pelo site do Fies. Janine Ribeiro garantiu, em entrevista ao Bom Dia Brasil, que todos os empréstimos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) serão renovados e pediu desculpas pelas falhas apresentadas no sistema de inscrições.

Nota mínima no Enem

Desde 30 de março, com a entrada das novas regras do Fies, para fazer a inscrição, o estudante deverá ter nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio e não ter tirado nota zero na redação. Além disso, as instituições particulares de ensino superior não podem aumentar as mensalidades acima do teto de 6,4%. Algumas faculdades, como Santa Casa e a PUC Campinas, suspenderam a adesão ao Fies para novos alunos porque preferiram reajustar as mensalidades acima deste limite.

O Fies permite ao estudante cursar uma graduação em uma instituição particular e, depois de formado, pagar as mensalidades a uma taxa de juros de 3,4% ao ano. O aluno só começa pagar após 18 meses de concluído o curso.


A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), torna público o Edital Nº 08/2015, referente ao processo seletivo especial para preenchimento de vagas, nos cursos de graduação da instituição, para estudantes indígenas aldeados ou remanescente de comunidades quilombolas. São oferecidas 56 vagas em 27 cursos, para ingresso no semestre 2015.1.

As inscrições são gratuitas e poderão ser realizadas entre os dias 23 de abril e 03 de maio, na página de Processos Seletivos da UFRB. O resultado será divulgado no dia 15 de maio. Podem concorrer os candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente em escola da rede pública de ensino, que tenham realizado as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2014, e que comprovem ser indígenas aldeados ou remanescentes de comunidades quilombolas.

A matrícula dos candidatos convocados será realizada no dia 22 de maio, de acordo com o Edital de matrícula que será divulgado posteriormente. Para efeito de comprovação os candidatos indígenas aldeados deverão apresentar no ato da matrícula, autodeclaração, declaração de sua respectiva comunidade sobre sua condição de pertencimento étnico, assinada por pelo menos 3 lideranças reconhecidas e declaração da Fundação Nacional do Índio (FUNAI).

Já os oriundos de comunidades quilombolas deverão apresentar a autodeclaração, declaração de sua respectiva comunidade sobre sua condição de pertencimento étnico, assinada por pelo menos 3 lideranças reconhecidas, declaração da Fundação Cultural Palmares que o estudante reside em comunidade remanescente quilombola ou comprovante de residência de comunidade quilombo.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AGORA CLICANDO AQUI.


Após 3 dias de paralisação na semana passada, os professores da rede estadual vão cruzar os braços de novo. Pelo menos outras duas paralisações estão agendadas. A próxima na sexta-feira.

Os professores são contra o reajuste salarial parcelado. O governo acenou com reposição de 6,41%, mas parcelado em duas vezes. A primeira parcela, de 3,5%, seria retroativa a março. A segunda, de 2,91%, em novembro.

Os professores cobram reajuste integral, sem parcelamento, segundo nota da direção da APLB-Sindicato, que representa os docentes da educação básica. Além da paralisação, não haverá aula no dia 30. ( Aregião)


A estudante de Feira de Santana que foi aceita em nove universidades dos Estados Unidos, Geórgia Gabriela Sampaio, 19 anos, não tem condições financeiras para viajar e conhecer todos os campi universitários. A mãe de Geórgia, a dona de casa Sidney da Silva Sampaio, conta que a jovem viajaria para os Estados Unidos na próxima segunda-feira (13) para visitar as instituições antes de tomar a decisão sobre em qual delas vai estudar. “Nós não temos alto poder aquisitivo e a recepção nos campi já começa na terça-feira (14)” lamenta. As informações são do site Acorda Cidade. A jovem feirense foi aceita na Yale University, Stanford University, Minerva, Columbia University, Duke University, Northeastern University, Middlebury College, Dartmouth College e Barnard College. Para a estudante, sua pesquisa sobre endometriose ajudou na aceitação das universidades. As aulas estão previstas para começar em agosto.


Representantes dos professores, servidores e alunos das universidades estaduais foram recebidos por gestores das secretarias estaduais da Educação e da Administração, nesta quarta-feira (8), na sede da Secretaria da Educação, no Centro Administrativo (CAB), em Salvador. Na ocasião, o Governo do Estado reafirmou, mais uma vez, o compromisso de que não haverá corte no orçamento das universidades estaduais que, em 2015, passa de R$ 1,1 bilhão. O valor é 3,8% superior ao destinado às universidades no ano passado. De 2007 a 2015, o governo ampliou em mais de 145% o orçamento para as quatro universidades estaduais passando, neste período, de R$ 460,7 milhões para montante acima de R$ 1,1 bilhão. A Secretaria da Educação ressalta que universidades têm autonomia para administrar os recursos, de acordo com suas necessidades administrativas. A garantia do orçamento para as universidades também foi reafirmada em reunião, no dia 31 de março, com os reitores das universidades estaduais e representantes das secretarias estaduais da Administração, Fazenda e Educação.