A mulher conhecida como “a gata do pó” foi presa em São Paulo. Ela viajava com uma pedra de crack do tamanho de uma bola de futebol.

Uma denúncia anônima revelou o plano da traficante para a polícia. Thaise Aparecida e o comparsa, Alexandre Ferreira, levavam a droga de Sorocaba para São Roque, no interior de São Paulo. Quando a polícia pediu para o carro deles parar, houve uma rápida tentativa de fuga, mas os dois acabaram presos.

Na casa dela, a polícia ainda encontrou plásticos usados para embalar as drogas. A “gata do pó” já tinha sido presa em 2011, também por tráfico de drogas.

R7


Por volta das 13:00h da tarde de ontem (24) a guarnição do PETO em diligencia no sentido de localizar dois indivíduos que haviam praticado um assalto a mão armada à turista na praia da concha, localizaram a residência de um dos indivíduos e lá foi encontrado um rapaz de 18 anos. A casa fica localizada na RUA 31 DE MARÇO, CENTRO ITACARÉ, próximo ao Banco do Brasil, lá foram encontrados 82 gramas de maconha prensada, 8 gramas de maconha a granel, 131 reais, 02 facas pequenas, 02 tesouras, 01 RG e 01 Título eleitoral em nome de um indivíduo que é apontado por uma vítima de ser o autor do assalto, encontrado também 01 notebook HP preto, algumas peças de roupas novas, 02 Maquitas, 01 furadeira Boche. O indivíduo e os objetos foram conduzidos a DP de Ilhéus onde foi feito o registro de ocorrência e o delegado de plantão lavrou o Termo circunstanciado.


Uma operação conjunta entre Polícia Federal, Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) e CIPE Cacaueira resultou na apreensão de 145kg de maconha que seriam destinadas a cidade de Ubatã. De acordo com o blog Ocorrência Policial, foram detidos Ayan Carlos e Sérgio Andrade, que é pré-candidato a vereador em Ubatã. Também foram apreendidos um Fiat Uno de placa JQC-8669, licença de Ubatã-BA e um Ford Fiesta de placa JQC-7694. A dupla bem como todo material foram apresentados na Sede da Polícia Federal na cidade de Ilhéus-BA. Fonte: Noticia de Ubatã

droga-1-500x500

e739bb3d-fbe1-4ded-b6dd-7dfda0e11825


Dezessete brigadeiros que seriam vendidos por alunos em uma escola estadual no município de Itabuna, no sul da Bahia, foram apreendidos e encaminhados para a 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Itabuna) na manhã desta quarta-feira (15). A suspeita é de que os doces tenham sido preparados com maconha.

Os jovens responsáveis pelos brigadeiros foram conduzidos à delegacia por agentes da Polícia Militar, que disse ter sido acionada pela direção da escola. O site G1 tentou contato com a diretora da unidade de ensino, que informou que não pretende se posicionar sobre o caso no momento.

Ao G1, a 6ª Coorpin confirmou que os brigadeiros estão na unidade policial e que irão passar por perícia. A coordenadoria informou que a suspeita da direção da escola partiu do cheiro exalado pelo doces. Os pais dos estudantes envolvidos no caso – uma adolescente de 16 anos e um de 17 -, devem ser ouvidos na unidade policial na tarde desta quarta-feira. (G1)


Uma mensagem que circula nas redes sociais e WhatsApp afirma que uma nova droga — conhecida como docinho — é vendida nas escolas e alerta os pais sobre os perigos da substância. De acordo com o texto, as balinhas dissolvem na boca e possuem sabor doce para atrair crianças e adolescentes, mas seria um produto semelhante à droga sintética ecstasy. Muitas vezes, a mensagem é acompanhada pela foto de duas meninas com uniforme de escola e, aparentemente, sob o efeito de entorpecentes.

docinho

O trecho — que é amplamente compartilhado em grupos de pais e famílias no WhatsApp — sofre pequenas alterações sobre as localidades em que as apreensões foram feitas. Em uma versão seria em um shopping de São Paulo, em outra, nas escolas de Brasília ou Rio de Janeiro, por exemplo.

Segundo a mensagem, o alerta teria sido emitido pela Polícia Militar. Entretanto, até o momento, nada indica que as informações sejam verdadeiras. A Polícia Militar do Rio de Janeiro também desconhece informações sobre essa nova droga e não fez nenhuma apreensão do produto. Na verdade, a imagem de duas meninas ilustra uma matéria sobre duas estudantes que foram vistas, supostamente embriagadas, em uma avenida do bairro Adrianópolis, em Manaus, no Amazonas. Já a imagem que mostra balas em formato de peças de dominó e Nintendo foi veiculada nos Estados Unidos, justamente sobre um boato que circulava sobre drogas estarem misturadas às balas distribuídas para as crianças no Haloween. Essa informação foi desmentida por lá por várias agências de notícia.


Em Lauro de Freitas, os policiais federais apreenderam também 67 kg de cocaína que estavam escondidos em um galpão onde o trio elétrico da família Tripodi é guardado. Outras quatro pessoas também foram presas em flagrante.

As prisões em flagrante aconteceram quando os policiais federais cumpriram os mandados de busca e apreensão na fazenda Tripolândia, pertencente à família Tripodi, em Jaguaquara. Parte da droga foi encontrada no interior da propriedade.

Um outro montante foi achado dentro de uma ambulância que seguiria para Aracaju, em Sergipe – o veículo também estava na área da fazenda. As investigações foram iniciadas há cerca de dois meses e deram origem à operação, batizada de Carnaval.
De acordo com a apuração da PF, a quadrilha abastecia vários bairros de Salvador e os pontos de venda de drogas das cidades de Jaguaquara, Porto Seguro, Itabuna e Jequié. (Ubaitaba.com)


Três pessoas foram presas e identificadas como Messias Lopes Gonçalves, Marivanda Assis dos Santos e Marivaldo dos Santos. Segundo a Polícia, 48 kg de cocaína estavam escondidas num Fiat Strada. Na mesma operação foram apreendidos R$ 17. 690,00 em espécie, um Siena branco, 37 cartuchos calibre 12 e 01 Rifle Urko calibre 27. A droga está avaliada em mais de R$ 100 mil. O trio foi apresentado na sede da Polícia Federal de Ilhéus. (Ubatã Notícias)