Dezessete brigadeiros que seriam vendidos por alunos em uma escola estadual no município de Itabuna, no sul da Bahia, foram apreendidos e encaminhados para a 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Itabuna) na manhã desta quarta-feira (15). A suspeita é de que os doces tenham sido preparados com maconha.

Os jovens responsáveis pelos brigadeiros foram conduzidos à delegacia por agentes da Polícia Militar, que disse ter sido acionada pela direção da escola. O site G1 tentou contato com a diretora da unidade de ensino, que informou que não pretende se posicionar sobre o caso no momento.

Ao G1, a 6ª Coorpin confirmou que os brigadeiros estão na unidade policial e que irão passar por perícia. A coordenadoria informou que a suspeita da direção da escola partiu do cheiro exalado pelo doces. Os pais dos estudantes envolvidos no caso – uma adolescente de 16 anos e um de 17 -, devem ser ouvidos na unidade policial na tarde desta quarta-feira. (G1)


Um morador da Rua do Miranda no bairro Novo, entrou em contato com a redação do Itacaré Urgente, para informar que vários moradores da Rua Miranda estão com sintomas de dengue e zika. “Minha rua já tem mais de 20 pessoas com suspeita de dengue, zika ou chikungunya, e infelizmente não estamos tendo a assistência necessária por parte do setor de Endemias”, denuncia o morador. Ainda segundo ele, a falta de coleta de lixo regulamente, a irresponsabilidade de alguns moradores que deixam lixo acumulado nos quintais e principalmente a falta de abastecimento de água, onde obriga a maioria dos moradores a acumular água em vasilhames, muito das vezes destampados, pode ser os responsáveis diretos pela proliferação de mosquitos na rua. O morador concluiu, fazendo um apelo ao setor responsável tome as providências para eliminar os focos do mosquito, para que o pior não venha acontecer, ou será que estão esperando um morrer para tomar alguma providência, estamos pedindo socorro”!


Itacaré: Alunos protestam por falta de ônibus universitário (vídeo)

Na tarde desta segunda-feira (15), alguns estudantes universitários protestaram na Rodoviária de Itacaré contra a falta de ônibus. Os alunos se revoltaram, porque só está tendo transporte para a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), e não para outras faculdades particulares.
Os estudantes prejudicados foram saber o motivo da falta do transporte e porque só estaria tendo ônibus para a UESC, mas o Secretario de Transporte, José Alberto de Jesus, agiu de forma inoportuna, deselegante e mal educada.
“Ele bateu na mesa com um tapa e nos tratou de forma grosseria”, relatou uma das estudante.

Os alunos das outras faculdades usaram apitos, se posicionaram atrás do ônibus e impediram o veículo de seguir apenas com os alunos da UESC.
“Se não vai ter aula pra quem estuda em outras faculdades, não vai ter aula pra ninguém, pois os direitos são iguais para todos. Os estudantes e aqui em Itacaré sempre teve ônibus para quem fez faculdade particular e pública”, desabafou uma aluna que não quis se identificar.
A estudante Jessica Farias, que cursa administração na faculdade de ilhéus, falou ao Itacaré Notícias o principal motivo do protesto:  “Os alunos vão à Câmara de Vereadores cobrarem melhorias no Transporte Universitário na cidade, Pois é um direito de todos”, disse a aluna.

A equipe de reportagem do site Itacaré Notícias procurou os responsáveis pelo transporte universitário, Secretaria de Transporte, mas não encontrou ninguém ara prestar esclarecimento. Fonte: Itacaré Notícias.


Uma semana após nossa denúncia, o Diário Oficial do Município e o Portal da Transparência continuam fora do Ar, desrespeitando a Lei de acesso a informação. O site oficial do Município está no ar, porém ao clicar no Portal da Transparência aparece a mensagem: Esta página da web não está disponível.

A não manutenção do site do Município configura desrespeito à Lei Complementar n.° 101/00, que determina a implantação e alimentação de Portal de Transparência no município, o que configura o Crime de Improbidade Administrativa.

Caso haja denúncia do fato ao Ministério Público de que as informações que a execução orçamentária não estão sendo divulgadas pela Prefeitura de Itacaré no Portal da Transparência, poderá ser instaurado um processo civil público contra o chefe do Executivo Municipal para apurar o não cumprimento da Lei.

Para acessar:

http://ba.ioe.org.br/prefeitura/itacare/ Diário Oficial ou  http://177.128.137.215:5020/portal/ para o Portal da Transparência.


Centenas de buracos na BA-001, rodovia que interliga Itacaré ao município de Ilhéus, causam prejuízos, transtornos e colocam em risco motoristas que trafegam pelo local. Os buracos surgem na rodovia com frequência. O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) já algum tempo não realiza manutenção na rodovia, e diversas crateras se formaram, algumas já tomaram conta de uma das mãos, assim como o mato que já tomou quase todo o acostamento da estrada. Os condutores vem sendo obrigados a fazerem verdadeiro malabarismos para desviarem dos buracos, o que aumenta de forma significativa os riscos. “Há sempre o risco de acidentes, pois temos de desviar para o acostamento e às vezes até para a contramão para tentar escapar dos buracos”, alerta um taxista que trafega diariamente na rodovia, que também relatou que também com grande fluxo de carro neste verão a situação piorou. (Itacaré Urgente)


Um vídeo mostrando uma ambulância deixando um paciente no meio da rua após ele ter deixado uma unidade de saúde causou revolta entre moradores de Cubatão (SP). A gravação foi feita em uma avenida movimentada da cidade e mostra o motorista do veículo argumentando que estava deixando o paciente por não haver vagas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

As imagens foram divulgadas nas redes sociais no início desta semana e foram compartilhadas milhares de vezes até a manhã desta quarta-feira (6). A Prefeitura de Cubatão confirmou que está investigando o caso e que um processo administrativo foi aberto para procurar os responsáveis.
No vídeo, é possível ver o paciente, que tinha ferimentos na perna, colocando o pé na frente da roda do veículo no momento em que o motorista acelera. A autora das imagens alerta os ocupantes do carro e eles descem para explicar a situação para os moradores que reclamavam do descaso.
Durante a conversa, o motorista afirma que trouxe o paciente de uma UPA e que o rapaz não conseguiu uma vaga na unidade de saúde. “Eu vou deixar ele onde? Não quiseram aceitar ele. Nossa parte nós fizemos, mas eu vou colocar ele aonde?”, questiona.

Durante a conversa, o motorista afirma que trouxe o paciente de uma UPA e que o rapaz não conseguiu uma vaga na unidade de saúde. “Eu vou deixar ele onde? Não quiseram aceitar ele. Nossa parte nós fizemos, mas eu vou colocar ele aonde?”, questiona.

Em certo ponto, a autora do vídeo diz que o motorista ia atropelar o paciente com a ambulância e o condutor nega a intenção. “Eu não ia passar em cima da perna dele. Eu trabalho aqui há 40 anos. Não sou louco. Posso ser velho, mas não sou doido”.

Em nota enviada ao G1, a Organização Social Saúde Revolução – OSS Revolução, responsável pela gestão da UPA, informou que o fato está sendo apurado. A entidade lamentou a situação e afirmou que a atitude não condiz com as diretrizes da OSS Revolução e nem com a postura dos profissionais.

Ainda de acordo com a instituição, um processo administrativo foi aberto e a equipe envolvida está sendo ouvida. A OSS Revolução também está fazendo contato com a autora do vídeo para, após ouvir todos os envolvidos, tomar as devidas providências. (G1)


Um ônibus da empresa Cidade Sol, que faz a linha Canavieiras-Ilhéus, foi flagrado na manhã desta terça-feira (05), circulando, com considerável número de passageiros, e com a suspensão nitidamente com problemas.
Tal problema, de acordo com especialistas, faz com que o veículo perca estabilidade, e o risco que ele vire é grande. Ou seja, circulando dessa forma, a empresa, que pertence ao mesmo grupo da Rota e da Viametro, de Ronaldo Carletto, coloca a vida de centenas de passageiros em risco. Segundo informações, essa não é a primeira vez que ônibus nesse estado, são vistos circulando na rodovia.
Eis que questionamos: Existe alguma espécie de fiscalização, que vise evitar que veículos, que transportam pessoas que pagam caras passagens, sigam colocando as suas vidas em risco?
Cadê os órgãos estaduais, responsáveis por fiscalizar tal setor?
Fonte: Verdinho de Itabuna