Butantan protocola pedido à Anvisa para iniciar última fase de estudo da vacina contra dengue.

O Instituto Butantan enviou nesta sexta-feira (10) pedido formal à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o início da fase III de estudos clínicos da vacina que a instituição desenvolve contra a dengue. A nova etapa contará com testes humanos em grande escala: cerca de 17 mil voluntários – 2/3 deles receberão a vacina e 1/3 placebo – deverão ser recrutados em todo o Brasil. O Butatan já tem as doses prontas. Se autorizada pela Anvisa, a medida pode antecipar em até dois anos o fim dos estudos.  Com isso, a previsão é de que a vacina esteja disponível para distribuição à população brasileira, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), até 2016 – o prazo original era somente 2018. O instituto produziu uma vacina com potencial de proteger contra os quatro tipos de vírus da dengue com apenas uma única dose. O diretor do Butantan, Jorge Kalil, afirmou que “ainda não existe no mundo uma vacina licenciada contra a doença”. “Para o Brasil é extremamente relevante ter uma instituição nacional que roduza uma vacina eficaz contra a dengue, pois é garantia de autossuficiência na produção da vacina e, portanto, possibilidade de ampla oferta e proteção aos brasileiros”, afirmou. O instituto ainda disse que, segundo estudos realizados nos Estados Unidos com vacina semelhante, mostraram que a proteção desenvolvida pelo instituto brasileiro é seguro e potencialmente eficaz e que pode se tratar da melhor e mais apta vacina em desenvolvimento no mundo para atuar no combate a todos os tipos de vírus da doença. Ainda segundo o Butantan, todas as manifestações clínicas após a vacinação foram leves e esperadas. (Bahia Noticias)


Comentários

Os comentários estão fechados.