Saquaira foi uma das mais atingidas, mas um grande grupo de voluntários retirou todo óleo. 

Novas pelotas de óleo em Morro de São Paulo, no município de Cairu, neste final de semana. As imagens mostram os fragmentos da substância na areia da Quarta Praia. De acordo com a prefeitura de Cairu ao G1, a área foi limpa e no período da tarde já não havia mais registro dos fragmentos.
Ainda neste sábado, novos fragmentos de óleo foram observados nas praias do Cassange e Saquaíra, na Península de Maraú, no sul do estado. Nessas regiões, foi encontrado uma grande quantidade de pelotas de óleo.

Ainda no sul da Bahia, em Ilhéus, as manchas foram vistas também na manhã deste sábado, na praia de São Domingos. Um grupo do Corpo de Bombeiros cuidou da limpeza.
Uma análise elaborada pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), órgão ligado ao governo da estado, concluiu que as praias de Salvador e do Litoral Norte da Bahia já estão livres de substâncias derivadas do óleo que atinge diversos pontos da costa nordestina. (Ilheús 24hs)


O feriadão ainda nem começou e Itacaré já oferece uma série de opções de lazer para os turistas de diversas cidades brasileiras e também do mundo que querem unir diversão e tranquilidade, tendo contato direto com a natureza. Tudo isso com direitos a praias exuberantes, cachoeiras encantadoras e a gastronomia fascinante que faz de Itacaré um destino completo. Entre as opções, se destaca o Festival Música Boa, evento totalmente gratuito, que terá sua primeira edição realizada nos dias 15 e 16 de novembro.

E para completar todo esse cenário, a cidade começou a semana com praias limpas, águas claras e propícias para o banho de mar. Logo na madrugada desta segunda-feira equipes da Prefeitura de Itacaré realizaram o monitoramento de todas as praias urbanas do município e verificaram que permanecem limpas, sem as ameaças do óleo que vem atingindo o litoral brasileiro. Somente alguns fragmentos foram registrados nas praias, mas logo cedo estão sendo retirados pelas equipes da Prefeitura e voluntários, deixando o local novamente limpo.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, vem acompanhando passo a passo esse trabalho de monitoramento e reafirmou que as equipes permanecerão vigilantes para verificar diariamente todas as praias do município. “E se chegar a gente limpa”, garantiu o prefeito. Para facilitar o trabalho, as equipes foram divididas em grupos para monitorar todas as praias do município e em caso de perceber a presença do óleo os agentes ambientais, técnicos da Prefeitura e voluntários serão acionados para agir com rapidez e remover as manchas.

O município também conta com uma Base de Monitoramento para acompanhar toda a evolução da mancha de óleo que atinge o litoral nordestino e ainda uma unidade de treinamento de voluntários para auxiliar, caso necessário, na retirada do material das praias da cidade. A Base de Monitoramento foi montada na Secretaria de Juventude, Esporte e Cultura, na Praça do Canhão, onde estarão de plantão equipes da Prefeitura de Itacaré, Petrobrás e Polícia Militar.


O WhatsApp divulgou nesta quarta-feira (6) uma nova configuração de privacidade que permite ao usuário evitar que desconhecidos o adicionem em grupos de conversa. O recurso era testado na Índia desde abril. Agora, começa a funcionar gradualmente em todos os países onde o aplicativo opera. Era uma demanda especial para o Brasil, onde a inclusão de integrantes em grupos sem permissão virou uma prática comum na época das eleições. O controle também deve minimizar o efeito de conteúdos virais disseminados em grupos.

Para ativar o recurso, o usuário deve abrir o WhatsApp e fazer o seguinte caminho: configurações, conta, privacidade e grupos. Na última opção, decide quem tem permissão para adicioná-lo em grupos: todas as pessoas, apenas seus contatos ou apenas alguns de seus contatos. Administradores de grupos que não puderem incluir uma pessoa que tenha ativado o controle poderão enviar um convite privado via conversa individual para o usuário, que escolhe se deseja entrar no grupo. Ele terá três dias para aceitar o convite antes que expire, segundo a empresa.

A função ainda não está disponível a todos os usuários, mas isso deve ocorrer nos próximos dias, de acordo com o WhatsApp. É preciso estar com o aplicativo atualizado na última versão. A medida segue outras mudanças que tentam tornar o aplicativo, que pertence ao Facebook, um pouco mais privativo, como a redução do limite de encaminhamentos de mensagens, de 20 para cinco, e o selo que aparece quando uma mensagem é encaminhada a partir de outra conversa no mensageiro.


Do Portal Pratigi

Um dos destinos mais procurados por turistas na Bahia, o Morro de São Paulo se prepara para receber os visitantes que vão lotar as suas praias no feriado prolongado de 15 de novembro. Além das conhecidas belezas naturais e riqueza histórica, grandes festas vão agitar o destino paradisíaco.

A partir da quinta-feira, 14, o Festival do Morro, aberto ao público, leva os shows de Baiana System e Denny Denan para a ilha de Tinharé. Já no Festival Terceira Praia, que acontece nos dias 15 e 16, Wesley Safadão, Saulo e Rafa e Pipo são algumas das atrações que irão garantir a diversão de quem optar pelo destino. No dia 16 de novembro, a Toca do Morcego, local conhecido pela visão privilegiada do pôr do sol, vai promover o evento “Sunset Day Party” com o Duo Felipe (Fel) e Gustavo (Guk) – Felguk.

Morro de São Paulo é dividido em cinco praias, cada uma para um tipo de público distinto. Para quem prefere o agito das baladas, Morro de São Paulo oferece muitas opções. Outro atrativo é o acervo arquitetônico. A Fortaleza do Morro, recém inaugurada, se transformou em um novo local de visitação para quem chega à ilha.

Segundo a Secretaria de Turismo de Cairu, a expectativa é que mais de 8 mil turistas passem pela ilha durante o final de semana. O destino possui cerca de 9 mil leitos. Destes, mais de 90% já estão com reservas garantidas. Para ter acesso à ilha é necessário pagar uma tarifa no valor de R$ 15,00 por pessoa.

Fonte: Cauzando/TV Aratu


Uma grande quantidade do óleo que atinge praias do litoral do Nordeste do Brasil foi encontrada novamente, na manhã desta sábado (09), na praia do Cassange, localizada na Península de Maraú, no baixo sul da Bahia. Até o último balanço, 30 toneladas de óleo tinham sido recolhidos das praias do município.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram vários voluntários e membros da prefeitura de Maraú retirando da faixa de areia as manchas que apareceram no Cassange. Equipes do Ibama estiveram na praia e realizaram um monitoramento de todo litoral com apoio de um helicóptero do órgão.

As manchas de óleo começaram a chegar à Bahia em 3 de outubro, quase um mês após o início do problema no país. Ao menos 30 cidades baianas e o Parque Nacional de Abrolhos já foram atingidos. O Governo do Estado e a Prefeitura decretaram situação de emergência.


Foto: ILUSTRATIVA/Arnaldo Carvalho/ JC Imagem

Dois meses e uma semana após começarem a ser identificadas nas praias do Nordeste brasileiro, as manchas de petróleo cru foram encontradas pela primeira vez no Sudeste do País, na quinta-feira. Segundo a força-tarefa do governo federal que acompanha a situação, “pequenos fragmentos de óleo” foram achados na praia de Guriri, em São Mateus, que é o segundo município do Espírito Santo após a fronteira com a Bahia. O primeiro é Conceição da Barra, onde até ontem não havia registro do óleo.

Segundo nota do Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), composto pela Marinha, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), as amostras da substância foram encaminhadas para o Instituto de Estudos do Mar (IEAPM), que confirmou ser o óleo encontrado no Nordeste.

Com o registro em São Mateus, subiu para dez o número de Estados atingidos pelo poluente. No total, são 409 localidades afetadas. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indicou, na semana passada, a possibilidade o poluente chegar até o Estado do Rio.

A causa do vazamento e a origem do poluente ainda são desconhecidas. A Polícia Federal apontou o navio grego Bouboulina como suspeito pelo derramamento. Mas a empresa Delta Tankers, dona da embarcação, nega envolvimento.


Com o fim da prisão após condenação em 2ª instância, José Dirceu segue Lula e volta para casa, enquanto Cabral e Cunha, não.

Foto: Folhapress/Cassiano Rosário

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derruba o encarceramento após condenação em segunda instância, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve sua soltura determinada pelo juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, nesta sexta-feira. Contudo, o petista não é o único preso a se beneficiar.

Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), além de Lula, o julgamento no Supremo prevê que 4.895 presos possam sair da prisão. Entre os condenados na Lava Jato estão 38 presos que têm chances de deixar a cadeia, de acordo com o Ministério Público Federal.

Entre os réus, a lista de quem também pode ir para casa inclui Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão do ex-ministro José Dirceu, que já foi solto pela Justiça. O empresário José Adelmário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, da OEA, que atualmente cumpre prisão domiciliar, é outro que pode ser privilegiado.

Entretanto, nem todos os que estão na prisão após condenação em segunda instância poderão sair. Com o voto de desempate do presidente do STF, Dias Toffoli, que foi contra a norma vigente, agora só haverá prisão quando acabarem as possibilidades de recurso.

Este entendimento abrange os presos que tiveram antecipação da pena, mas não poderão abrir caminho para a soltura dos que estão em prisão temporária ou preventiva.

É o caso do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB). Apesar de ter sido condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), ele cumpre prisão preventiva desde outubro de 2016 por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Assim como a de Lula, a prisão de Cunha também foi decretada pelo ex-juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo de Jair Bolsonaro.

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) está em situação parecida à do ex-presidente da Câmara. Preso desde novembro de 2016, no ano passado, ele passou a cumprir pena em 2ª instância. Moro decretou a prisão do do emedebista para execução provisória da pena em setembro, em substituição à prisão preventiva decretada dois anos antes. Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A mudança de entendimento do Supremo sobre as prisões após condenação em 2ª instância não impede que juízes decretem prisões preventivas em casos excepcionais, como ameaça à ordem pública ou ao aprofundamento das investigações. Mesmo deixando a prisão, Lula, portanto, pode voltar à cadeia se tiver uma prisão preventiva decretada.

Veja quem mais pode ser solto após decisão do STF
  • Luiz Eduardo de Oliveira e Silva – irmão de José Dirceu
  • Waldomiro de Oliveira – funcionário de Alberto Youssef
  • Márcio Andrade Bonilho – sócio da Sanko Sider
  • Jayme Alves de Oliveira Filho – agente da Polícia Federal
  • Gerson de Mello Almada – ex-vice-presidente da Engevix
  • Rogerio Cunha Oliveira – ex-diretor da Mendes Junior
  • Sergio Cunha Mendes – ex-vice-presidente da Mendes Junior
  • Enivaldo Quadrado – dono da corretora Bônus Banval
  • Alberto Elisio Vilaça Gomes – ex-diretor de Mendes Junior
  • João Augusto Rezende Henriques – lobista / operador do PMDB
  • Fernando Moura – empresário / lobista
  • Roberto Gonçalves – ex-gerente de engenharia da Petrobras
  • Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos – ex-gerente de área internacional da Petrobras

Uol/Com informações do Estadão Conteúdo