A Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba) recebeu do Ibama a Licença de Operação do Porto do Malhado, em Ilhéus, válida pelo período de quatro anos. O objeto desta licença refere-se à regularização ambiental, como instalações portuárias terrestres. No porto público da região cacaueira há dois armazéns com 8 mil metros quadrados de área e capacidade para 64 mil metros cúbicos cada um, pátio descoberto para carga geral e contêineres (14.000m2 de área), armazém regulador, oficina mecânica, três subestações de energia elétrica, almoxarifado, reservatório de água, instalações prediais destinadas à administração do porto, escritórios, guaritas da guarda portuária e posto médico. “A obtenção da Licença Ambiental do Porto de Ilhéus é uma grande conquista e avanço, o que vai implicar em melhorias na gestão e infraestrutura portuária, como também na avaliação do Indicador de Desempenho Ambiental (IDA) da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – Antaq”, destacou o diretor-presidente da Codeba, Rondon Brandão do Vale. “Esta conquista demonstra o cumprimento das exigências ambientais, possibilitando assim o desenvolvimento do porto de forma responsável e sustentável, conforme preconiza a Política Ambiental da Codeba”, acrescentou. (Blog do Gusmão)


Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) anunciou, na noite desta sexta-feira (13), que fechou um acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF) e restabeleceu contrato com o banco para que os pagamento das faturas da conta de luz seja feitos nas casas lotéricas de todo o estado. Conforme a Coelba, os consumidores já poderão fazer o pagamento nas lotéricas a partir de sábado (14). Em nota, a empresa fornecedora de energia afirmou que o acordo selado “atende à solicitação da sociedade, assegura ganhos para a Caixa Econômica Federal e para os agentes lotéricos, além de mais opções de pagamento para os clientes da Coelba”. “As empresas entendem que a situação gerada se tornou incompatível com a qualidade dos serviços essenciais prestados e lamentam os transtornos causados”, afirmou o comunicado.

Os pagamentos nas casas lotéricas deixaram de valer no dia 1º de junho. Segundo a empresa, a decisão foi tomada em virtude da não renovação do contrato da concessionária com a Caixa Econômica Federal. Na quarta (11), o MP-BA emitiu uma recomendação para que o convênio entre a empresa e o banco fosse retomado, para evitar transtornos os consumidores. (Correio24hrs)


Começou nesta quinta-feira, na Praça São Miguel e na avenida Castro Alves, orla da cidade, a quinta edição do Festival Sabores de Itacaré. O evento, que conta com 40 restaurantes participantes e mais de 50 receitas, além de 22 barraquinhas na feira gastronômica, atraiu moradores e turistas para conhecer mais da gastronomia local.Confira a Programação desta sexta-feira (13).

DIA 13 DE JULHO (sexta feira) – Orla de Itacaré
17h00 – Feirinha com Artesãos Locais e Agricultura Familiar
18h00 – Apresentação Cultural (Quadrilha Junina Sai de Baixo que lá vem a Zorra)
COZINHA SHOW
14H – Oficina Gastronômica – Chef Merice Rocha (Faculdade Madre Thais) Apresentação: casquinha de siri revisitada em Carolina cobertas com crumble salgado. Tema: Oxente Paris
15H – Cozinha kids – Chef Marly Catarina (café com cacau) Apresentação: Brigadeiro Gourmet Tema: Brincando com a criançada
———————————–
18H30 – Chef Josenilton Santos (SENAC) Apresentação: Raízes Tema: Raízes de uma lembrança
19H30 – Chef Txai (Damiano Maggiotto) Apresentação: Camarão e abacaxi Havaizinho Tema: Cozinhando com os Companheiros
20h30 – Sommilier da Cervejaria Baden Baden
21H – Chef Junior França (Consultor Gastronômico) Apresentação: Da Terra ao Mar na Mesa Tema:“Cozinhando com sabores e lembranças de Itacaré”
SHOWS NO PALCO
21h00 – Abaga Roots
23h00 – TRIO BAIANADO


Foi feito o chamado e o público atendeu. Começou na noite desta quinta-feira, na Praça São Miguel e na avenida Castro Alves, orla da cidade, a quinta edição do Festival Sabores de Itacaré. O evento, que conta com 40 restaurantes participantes e mais de 50 receitas, além de 22 barraquinhas na feira gastronômica, atraiu moradores e turistas para conhecer mais da gastronomia local.

A apresentadora de TV e curadora do evento, Elibia Portela, abriu a cozinha show, em um espaço montado no centro histórico da cidade. Ensinado receitas de moquecas e contanto um pouco da história deste prato da culinária baiana, a destacada culinarista ensinou a fazer uma moqueca com ingredientes da culinária local.

Neste espaço, na sequência foi a vez do chef Brict Perez, do Peru, apresentar receita inspirada no seu país. Vindo através de uma parceria com o Escritório Comercial do Peru no Brasil, o chef fez pratos como Lomo Saltado, Arroz Chaufa, Planchas de Polvo, Sudado de Peixe, além de Pisco Sour e Chilcanos.

Para Milagros Ochoa, diretora do escritório peruano, “É muito gratificante estar presente no festival Sabores de Itacaré e estreitar os laços de integração através da gastronomia e seu resgate das tradições e insumos locais”. No evento foi confirmado o convite de chefs de Itacaré no Mistura 2018, evento gastronômico em Lima, Peru.

Paralela à cozinha show, o evento também estava nas ruas da cidade. Com o tema Gastronomia de Raiz, o festival também conta com uma Feira Gastronômica com pratos inscritos especialmente para este momento, com preços de até R$12,00.

Na quinta feira ainda teve espaço para música. O Padre Ednaldo, junto a seus amigos, abriu o palco principal. Na sequência Skanibais apresentou clássicos do dia jamaicano misturado a sambas, jazz, rock, forró e outros ritmos com versões da banda.

O evento é uma realização da Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Turismo, com patrocínio da Secretaria Estadual de Turismo, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural através da CAR Governo da Bahia. O Festival tem o apoio da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, do Sindicato Patronal de Hospedagem e Alimentação de Itacaré, da Faculdade Madre Thais e do Senac. A Baden Baden é a cerveja oficial do evento.


Com estimativa de atrair até 15 mil turistas ao longo da costa marítima da Bahia, segundo o Instituto Baleia Jubarte, começou em julho e estende-se até o final de outubro, a temporada de Observação de Baleias. O período coincide com o ciclo reprodutivo das baleias jubartes, que trocam as águas geladas da Antártida pelas temperaturas quentes do litoral baiano para reproduzir.

A previsão é de que cerca de 20 mil desses mamíferos circulem pela costa baiana, o que possibilita grandes chances de avistamentos em mar aberto e até nas proximidades da orla, o chamado Turismo de Observação de Baleias.

“Capacitamos mais de 200 pessoas do setor turístico e operadores náuticos para esta temporada e temos parceria com várias agências que promovem passeios de avistamento ao longo da costa baiana”, afirma Sérgio Cipolotti, biólogo e coordenador operacional do Instituto Baleia Jubarte, organização não governamental engajada na pesquisa e conservação das espécies marinhas (com sedes na Praia do Forte e em Caravelas).

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, próximo a Caravelas, no Sul da Bahia, é o paraíso das jubartes, maior berço reprodutivo da espécie no Atlântico Sul. Mas há passeios também em locais como Porto Seguro, Itacaré, Morro de São Paulo, Praia do Forte e Salvador.

Agências que promovem passeios de barcos, escunas e lanchas para avistar baleias podem ser conferidas no site do Projeto Baleia Jubarte (www.baleiajubarte.org.br). Os passeios duram em média quatro horas, com boas chances de se avistar os mamíferos: 98% a 99%.

Saltos, esguichos de água, cantos dos machos para atrair as fêmeas e nados em grupo fazem parte do espetáculo das baleias. Para participar das expedições, no entanto, são necessários palestra preparatória e o atendimento a normas de turismo responsável.

Pesquisas – Segundo Cipolotti, o Turismo de Observação de Baleias na Bahia começou a crescer em 2001, atraindo principalmente estrangeiros. “Hoje, 60% deste público são de brasileiros de todo o país, em geral famílias, estudantes, pesquisadores”. Uma fatia de 15% dos turistas viaja com o propósito principal de avistar baleias. Pesquisas realizadas pelo instituto indicam ainda que a grande maioria quer retornar para assistir ao espetáculo das baleias.

Em Praia do Forte, os passeios podem ser precedidos de uma visita ao Espaço Baleia Jubarte, onde é possível ver partes originais e réplicas de baleias, além de assistir a vídeos e palestras técnicas sobre o passeio. Porto Seguro é outra cidade em que o Turismo de Observação de Baleias é forte. Já Salvador, onde as jubartes apareceram antes mesmo do início oficial da temporada, adere cada vez mais à atividade. Há um posto no Porto da Barra onde uma agência organiza passeios diários para avistamentos. Fonte: Eduardo Bastos // Ascom / Setur.


Dos 417 municípios localizados na Bahia, apenas 92 deles dispõem, atualmente, de um plano integrado para o manejo do lixo. O número corresponde a 22% do total de cidades do estado.

Os números foram divulgados na quinta-feira (5), por uma pesquisa que traçou o Perfil dos Municípios Brasileiros (Munic 2017), elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com esses dados, a Bahia é o segundo estado brasileiro com o menor número de cidades que contam com o plano. O estado fica atrás do Piauí, onde somente 17,4% das cidades foram contempladas com projetos do tipo.

As prefeituras não podem se credenciar para receber recursos, financiamentos e incentivo da União para investimento na área de descarte de resíduos sólidos se não possuírem um planejamento integrado do manejo do lixo. De acordo com o G1, a falta de um projeto ambiental que contemple o manejo do lixo resulta em impactos ambientais do município, bem como mudanças nas condições climáticas da região, podendo provocar enxurradas e secas. No estado, as cidades de Alagoinhas, Caetité, Castro Alves, Guanambi, Itaparica, Senhor do Bonfim e Teofilândia estão entre as 92 contempladas por algum programa ambiental nesta área.


O Cana Brava All Inclusive Resort, situado da Rodovia Ilhéus-Canavieiras, km 24, Olivença, Ilhéus-BA, foi invadido por hackers na madrugada desta quinta-feira (12).

De acordo com informações exclusivas concedidas ao Ilhéus24h, o conceituado Resort está sem acesso ao sistema desde o início do ataque. Até o momento não há divulgação de suspeitos ou possíveis pedidos de recompensa para que as atividades do Cana Brava sejam normalizadas.